i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
WhatsApp Pay

Com pagamentos online no Brasil, WhatsApp avança para se tornar primeiro super app do Ocidente

Na avaliação de especialistas, WhatsApp Pay deve ganhar o Brasil em breve, mas precisa antes passar por aprovação dos brasileiros.

  • PorPatrícia Basilio, especial para o GazzConecta
  • 17/06/2020 14:44
Pesquisa realizada com brasileiros apontou que 61% dos usuários do WhatsApp gostariam realizar pagamentos e transferências de dinheiro pelo aplicativo.
Pesquisa realizada com brasileiros apontou que 61% dos usuários do WhatsApp gostariam realizar pagamentos e transferências de dinheiro pelo aplicativo.| Foto: Divulgação

O WhatsApp lançou, na última segunda-feira (15), o WhatsApp Pay, função oferecida com pioneirismo no Brasil que permite enviar e receber dinheiro pelo mensageiro com o Facebook Pay. O recurso estava em teste na Índia no início do ano e será disponibilizado gradualmente nas próximas semanas para usuários de celulares Android e iPhone (iOS). Adquirido por Mark Zuckerberg, do Facebook, por US$ 19 bilhões em 2014, o aplicativo entra agora em uma nova fase: deixa de ser apenas uma plataforma de comunicação e pode tornar o primeiro super app do Ocidente, cada vez mais parecido com o chinês WeChat.

“Mais de 10 milhões de micro e pequenas empresas movimentam a economia brasileira e já é muito comum mandar um zap para essas empresas para tirar dúvidas sobre produtos e fazer pedidos. Ao simplificar o processo de pagamento, esperamos ajudar a trazer mais empresas para a economia digital e gerar mais oportunidades de crescimento”, informa o WhatsApp em seu blog.

Para realizar a operação, os usuários precisam configurar cartões de débito e crédito das bandeiras Visa e Mastercard emitidos pelo Banco do Brasil, Nubank e Sicredi. Segundo o WhatsApp, pessoas físicas poderão enviar dinheiro e fazer compras sem taxas. Já as empresas pagarão uma taxa de processamento para receber pagamentos de clientes. Todos os pagamentos serão processados pela Cielo.

“O brasileiro é ávido por tecnologia e é um dos países com mais usuários do aplicativo no mundo [há 130 milhões de usuários no país]. Existe um sentimento de inovação muito grande entre nós. Queremos passar por essa crise e vamos passar”, afirma Percival Jatobá, vice-presidente de soluções e inovação da Visa do Brasil, que opera a tecnologia de pagamento digital, em parceria com Banco do Brasil e Sicredi.

Segundo Jatobá, o projeto foi desenvolvido por cerca de dois anos e contou com forte investimento em segurança, principalmente na tokenização e no processamento de informações em nuvem. “Diminuir o uso do dinheiro é vantagem para todo mundo. Ele não é rastreável e não faz parte da sociedade moderna”, argumenta o executivo.

Primeiro super app do Ocidente

De acordo com Felipe Zmoginski, CEO da Inovasia Consulting, nenhum outro aplicativo teve tanto potencial para se tornar o primeiro super app do Ocidente, a exemplo do chinês WeChat, como o WhatsApp. Um super app é um aplicativo que possui várias funções além de sua principal — como plataforma de comunicação, pagamentos e transferência de dinheiro, no caso do Whatsapp.

“No Brasil, algumas empresas perceberam o potencial de se movimentar como um super app, como a Rappi, com a Rappi Pay, e o Magazine Luiza, com o Mercado Online. Esses aplicativos, contudo, não têm musculatura suficiente. O Google e o Facebook, sim, porque são grandes grupos com vários aplicativos”, compara Zmoginski, que é especialista em Ásia.

O executivo, que já trabalhou por cinco anos na multinacional chinesa Baidu, conta que o WeChat e o Alipay, de Jack Ma, são conglomerados de investimentos dominantes na China. “O WeChat é o Facebook da China e está integrado a uma ferramenta de mensagens e a uma wallet de pagamentos. Eu cheguei a transferir esmola a um pedinte por QR Code por meio dele”, ele conta.

Na avaliação do executivo, o WhatsApp Pay deve ganhar o Brasil em breve, mas exige a “evangelização” dos brasileiros. “É necessário oferecer vantagens para os usuários e comerciantes se sentirem motivados. Não acho que dificuldades técnicas sejam barreiras. Há uma curva de aprendizado. As classes mais populares são descoladas e vão aprender rápido”, conclui.

Brasileiro prefere pagar contas por aplicativo

E de fato o dinheiro parece estar sendo deixado de lado no Brasil — a exemplo da própria China, que realiza grande parte das transações via QR Code.

É o que mostra levantamento Panorama Mobile Time/Opinion Box, realizado com 2.072 brasileiros em fevereiro deste ano. Segundo a pesquisa, 61% dos usuários do WhatsApp gostariam realizar pagamentos e transferências de dinheiro pelo aplicativo.

Na comparação por faixa etária, a modalidade desperta mais interesse no grupo entre 16 e 29 anos (64%) do que naqueles entre 30 a 49 (60%) e com 50 anos ou mais (56%). Não há diferença na análise por classe social: A e B (61%), C, D e E (61%).

“As pessoas não querem mais usar papel moeda. Estamos disponibilizando diferentes plataformas para seguir esse caminho. 69% das pessoas que realizaram pagamento por aproximação não querem mais deixar de fazer esse tipo de operação”, complementou João Pedro Paro Neto, presidente da Mastercard Brasil e Cone Sul. Os cartões Mastercard vão operar pelo Whatsapp em parceria com o Nubank.

 João Pedro Paro Neto, presidente da Mastercard Brasil e Cone Sul.
João Pedro Paro Neto, presidente da Mastercard Brasil e Cone Sul.

Na avaliação do executivo, o WhatsApp Pay vai criar uma nova fase no setor de pagamentos digitais por conta da relevância do aplicativo no mundo. “Muitas coisas vão mudar, em termos de tecnologia. O Brasil é o segundo país em pagamento digital no mundo, atrás dos EUA”, explicou Paro Neto. A China seria a primeira colocada, mas como é um país com regime fechado, os dados não podem ser comparados.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • P

    Paulista

    ± 2 dias

    Será que o usuário não estaria colocando muitos ovos em uma só cesta? De início da à entender que estaríamos facilitando as nossas vidas, mas será que não estaríamos simplesmente nos tornando escravos de matrizes tecnológicas?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso