30% dos terrenos do Centro de Curitiba são subutilizados, apontam arquitetos

Levantamento realizado pelo escritório Grifo Arquitetura para a 3ª Mostra Arquitetura de Curitiba mostra que um terço da área central é ocupada por terrenos vazios ou estacionamentos

Maquete do centro de Curitiba demonstra que 30% dos terrenos da área é subutilizado atualmente. Foto: Eduardo Macarios/divulgação

por Aléxia Saraiva

24/10/2019

compartilhe

“Os centros de quarteirões poderão ser destinados à utilização comum, para onde terão frente estabelecimentos comerciais”. Em outras palavras, essa frase — que integra o texto do primeiro plano diretor de Curitiba, elaborado em 1965 — previa que os miolos das quadras na área central da cidade tivessem áreas verdes públicas. Aos poucos, essa exigência deixou de existir. No entanto, como seria a cidade se essa fosse uma realidade?

Com isso em mente, o escritório Grifo Arquitetura fez um levantamento do Centro curitibano para entender como é o uso desses terrenos atualmente. E sua conclusão é que 30% dos lotes são subutilizados — seja por terrenos baldios, estacionamentos ou ainda terrenos vazios à venda. Para ilustrar este resultado, uma maquete desta área ilumina os espaços vazios, mostrando quão expressivo é seu potencial.

O projeto está em exibição durante a 3ª Mostra Arquitetura para Curitiba, que nesta edição explora vazios urbanos a partir do tema “Cidade Presente, Cidade Ausente”. A mostra bienal segue em exibição no Memorial de Curitiba até o dia 15 de dezembro.

Foto: divulgação

“A nossa intenção é fazer com que o público perceba isso e se questione: Por que isso acontece? Isso é bom ou ruim? Uma ocupação do centro poderia trazer uma melhor segurança para a região? Por que a cidade continua crescendo para periferia, enquanto temos terrenos sobrando no centro, com ótima infraestrutura? Como esses espaços poderiam ser melhor ocupados? Mais áreas verdes? Habitações? Comércio? Prédios de escritórios? Ou um pouco de tudo?”, esclarecem os arquitetos da Grifo.

Foto: Eduardo Macarios/divulgação

Para que esse questionamento tome forma, alguns dos terrenos elencados foram selecionados pelos estudantes da equipe para sofrerem intervenções, a partir de propostas do que eles poderiam se tornar com mais escala e mais urbanidade. Durante a exibição do projeto no Memorial de Curitiba, a maquete está livre para intervenção do público.

3ª Mostra Arquitetura para Curitiba

A terceira edição da exposição bienal que apresenta provocações e possibilidades para a cidade traz o tema “Cidade Presente, Cidade Ausente”. A exposição consiste em 21 propostas desenvolvidas em parcerias de arquitetos com estudantes de todos os cursos de arquitetura da cidade. Os grupos se debruçaram sobre os projetos durante quatro meses.

Neste projeto, participaram os arquitetos Fábio Domingos Batista, Igor Costa Spanger, Luciano Suski, Moacir Zancopé Junior, Suzanna de Geus, Aline Train e Rodolfo Scuiciato e os estudantes Caroline Fortuna, Caroline P. Costa, Elaine Spiel, Gabriel Furuya Alberti, Giovana Cooper, Henrique Steffens, Janaina Nichele, Karine Ribeiro, Mariana Ronzani e Vitor Nunez Gonzalez.

Serviço

3ª Mostra Arquitetura para Curitiba

De 15 de outubro a 15 de dezembro no 2º andar do Memorial de Curitiba (R. Dr. Claudino dos Santos, 79 – São Francisco).

LEIA MAIS

Arquitetos apresentam solução para unificar Shopping Estação e Praça Eufrásio Correa

Arquitetos propõem jardins d’água no Centro Cívico e Cândido de Abreu para pedestres

Arquitetas questionam como cidades podem ser mais inclusivas para mulheres

Receba nossas notícias por e-mail

Inscreva-se em nossas newsletters e leia em
seu e-mail os conteúdos de que você mais
gosta. É fácil e grátis.

Quero receber

8 recomendações para você