i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Novos conceitos

Arquitetos propõem transformar edifícios comerciais em conjuntos que unam moradia e trabalho

  • PorDaliane Nogueira
  • 03/07/2020 17:00
Repensar o uso de edifícios de uso exclusivo para escritórios: essa é a proposta do projeto H.O.M.E do Hiperstudio
Repensar o uso de edifícios de uso exclusivo para escritórios: essa é a proposta do projeto H.O.M.E do Hiperstudio| Foto: Divulgação

Há mais de 100 dias milhares de pessoas deixaram de ir para os escritórios e passaram a trabalhar a partir de suas casas. O impacto dessa mudança, que em muitos casos permanecerá para o pós-pandemia, é ainda incerto. Mas não seria exagero imaginar que muitos prédios corporativos e comerciais, em endereços importantes das grandes cidades, passem a ficar subutilizados.

Siga HAUS no Instagram

Essa realidade leva a um debate, uma reflexão no campo da arquitetura no que diz respeito ao futuro da organização urbana e das construções. Apesar de estar longe de ser uma questão nova, o adensamento urbano, com as pessoas morando perto do trabalho, vem ocupando a cabeça de quem pensa a cidade de forma ainda mais constante.

| Divulgação

Neste cenário os profissionais do escritório Hiperstudio, sediado em São Paulo, imaginaram a conversão de edifícios hoje exclusivamente comerciais em conjuntos de uso misto, incluindo unidades residenciais e áreas de convívio.

“Essa discussão de uso misto existe há muito tempo, não é nova. Haja vista os empreendimentos que têm duas torres, sendo uma comercial e outra residencial. A partir disso, começamos a discutir, fazer um projeto conceitual. Especialmente observando o local onde nós mantemos o escritório, a Avenida Brigadeiro Faria Lima. Até por volta das 19 horas ela é muito movimentada, depois desse horário ela acaba ficando obsoleta”, aponta Matheus Marques que junto do sócio Ricardo Felipe Gonçalves, do arquiteto Luís Favilla e do estudante de arquitetura Rolando Figueiredo, assinam o projeto intitulado H.O.M.E (Housing and Office Modular Environment).

| Divulgação

“Nossa ideia é intensificar o uso misto, promovendo uma simbiose direta entre a habitação e o escritório", explica Matheus, colocando como ganho direto dessa iniciativa a diminuição dos deslocamentos que produzem aglomerações e diminuem a qualidade de vida da população.

O projeto

A equipe tomou como estudo de caso justamente o edifício onde fica o escritório do Hiperstudio, área reconhecida em São Paulo como eixo de serviços e com predominância de edificações monofuncionais.

| Divulgação

A ideia, basicamente, é fomentar novos usos e garantir que o prédio continue habitado, em uso, por todo o período do dia. Para isso, são propostos módulos residenciais. “É um sistema de encaixe de diferentes tipos de apartamento que se conectam verticalmente a pelo menos um módulo de escritório”, descreve Matheus.

O sistema modular permitiria a criação de apartamentos de salas comerciais de diferentes tamanhos e seria possível que os moradores garantissem um local de trabalho tranquilo e isolado da intimidade da convivência doméstica.

“É importante pontuar que os escritórios podem permanecer funcionando com acesso independente em seus pavimentos exclusivos. Isso permite que se receba clientes ou profissionais que não morem no prédio”, destaca.

| Divulgação

Mas, para um novo uso, abre-se a questão das áreas de convívio, tão importantes em empreendimentos residenciais. Para atender esta necessidade, a cobertura do edifício seria convertida em espaço de lazer, com projeto de paisagismo específico para os moradores. “Outra alternativa seria a subtração de unidades no meio do edifício, como que criando “buracos” onde seriam instalados espaços de convivência espalhados pela torre”, completa Matheus.

Os arquitetos explicam que os edifícios comerciais têm características semelhantes, o que possibilitaria a adequação deste projeto em outros prédios. Prédios centrais, antigos e que já eram subutilizados mesmo antes da pandemia poderiam receber estudos parecidos.

A ideia do Hiperstudio participou de um concurso internacional para propor algo conceitual sobre novos espaços de moradia e trabalho, com a intenção de arrecadar fundos para ações contra a Covid-19. O projeto brasileiro ficou entre as 12 melhores propostas.

Para Ricardo Felipe Gonçalves a equipe em nenhum momento “reinventou a roda, [apenas colocou em prática o pensamento de que] uma cidade compacta é a melhor solução. O que a gente propõe é mudar um pouco a tipologia”, defende.

A equipe do Hiperstudio.
A equipe do Hiperstudio. | Divulgação

A reação advinda com a pandemia de “negação da cidade”, como se este fosse o espaço que “promove ou favorece a disseminação da pandemia”, incomoda os profissionais que, de certa forma, entendem o projeto como uma provocação. “Não é saudável, nem sustentável negar a cidade. E neste projeto, no fundo, estamos defendendo algo que se discute há muito tempo: a cidade compacta, o morar perto do trabalho e uma cidade mais humana, promovendo um estilo de vida mais saudável. Gostaríamos que [o isolamento provocado pela pandemia] fosse uma oportunidade para que pensássemos em uma cidade melhor e déssemos valor para o espaço urbano e todas as suas qualidades”, finaliza Ricardo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.