Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Detalhes da Cidade Proibida, na China, representa um dos grandes patrimônios históricos do país asiático, que deve ser ainda mais protegido a partir de agora.
Detalhes da Cidade Proibida, na China, representa um dos grandes patrimônios históricos do país asiático, que deve ser ainda mais protegido a partir de agora.| Foto: Bigstock

A China se prepara para ser uma superpotência também na arquitetura. No dia 27 de abril o Ministério de Habitação e Desenvolvimento Urbano-Rural do país asiático publicou novas diretrizes para a arquitetura chinesa.

Como atesta o documento, está "estritamente proibido plágio, imitação e comportamento imitador de edifícios". A nova política proíbe também a construção de arranha-céus com mais de 500 metros de altura e ainda indica que prédios com mais de 250 metros devem ser "severamente restringidos".

Siga a HAUS no Instagram!

Guangdong é uma cidade chinesa construída à imagem e semelhança de Hallstatt, na Áustria.
Guangdong é uma cidade chinesa construída à imagem e semelhança de Hallstatt, na Áustria. | Foto: Alex Hofford/Sinopix/Rex

E pede por uma sensibilidade paisagística, obrigando a proteger o patrimônio histórico, de casinhas tradicionais a prédios mais importantes, como relíquias culturais. O governo sentencia ainda, por meio do ato administrativo, que um comitê será criado para remediar várias "doenças urbanas" criadas ao longo dos anos com edifícios megalomaníacos, estranhos e que tentam imitar grandes ícones turísticos do resto do mundo.

O governo chinês justifica a nova diretiva no próprio documento: "o estilo arquitetônico dos prédios e do planejamento urbano são a unidade orgânica da imagem externa e do espírito de uma cidade, refletindo sua qualidade cultural". Por isso, mudanças são necessárias para acompanhar nosso tempo, "para implementar políticas públicas de construção que sejam democráticas, econômicas, sustentáveis e belas; para fortalecer a arquitetura do país e sua autoconfiança".

Via Chunxi com a torre do relógio ao fundo, em Chengdu.
Via Chunxi com a torre do relógio ao fundo, em Chengdu.| Bigstock

Por fim, e não menos importante, o documento pede para autoridades locais adotarem formas de publicizar e popularizar a cultura da arquitetura em toda a sociedade, para uma vida melhor.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]