Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
O empreendimento Pinah, da Laguna, é um dos resultados de uma parceria sólida entre a construtora e o escritório de arquitetura.
O empreendimento Pinah, da Laguna, é um dos resultados de uma parceria sólida entre a construtora e o escritório de arquitetura.| Foto: Divulgação

LLUM Batel, Maison Heritage, BW Residence, Pinah, Epic. O que esses empreendimentos têm em comum? Além de seguirem um estilo contemporâneo e serem de alto padrão, são projetos de importantes construtoras e incorporadoras do mercado paranaense - Laguna, A. Yoshii e San Remo -, todos assinados pelo escritório curitibano Baggio+Schiavon Arquitetura, que está celebrando seus 40 anos de existência. Ou seja, mostram a relevância que o escritório ganhou e consolidou ao longo dos anos no mercado imobiliário de Curitiba.

Siga HAUS no Instagram

Um dos motivos para isso, conforme representantes das construtoras, é o fato de o Baggio+Schiavon criar soluções que unem beleza e funcionalidade, que se adequam bem ao terreno e à região onde os empreendimentos serão implantados e que atendem às exigências das empresas e seus públicos.

“No caso do BW Residence, o desafio foi exatamente encaixar todo o projeto em um terreno menor. Com a expertise do escritório, eles conseguiram incluir o máximo de área comum; são espaços como salão de festas, espaço gourmet, fitness, sauna e spa, praça suspensa, quadra poliesportiva, piscina coberta com vidro retrátil, piscina infantil, deck solarium, salão de jogos, game station e playground”, diz a diretora de marketing da San Remo, Aline Moritz Perussolo.

BW Residence, da San Remo, construído em um terreno de dimensões menores, mas totalmente para atender o público-alvo.
BW Residence, da San Remo, construído em um terreno de dimensões menores, mas totalmente para atender o público-alvo.| Divulgação

No mesmo projeto, ela destaca ainda a abertura das esquadrias, que fazem com que o apartamento vire uma grande sacada, integrando o exterior ao interior.

Ricardo Kitamura, diretor da unidade Curitiba do Grupo A.Yoshii, segue a mesma linha ao comentar os projetos do Maison Heritage e o Epic. Para ele, o Maison Heritage, primeiro projeto da londrinense A. Yoshii em Curitiba, “mudou a paisagem da região com suas linhas retilíneas e características marcantes”.

Implantado no Ecoville, o Maison Heritage foi o primeiro projeto da A. Yoshii em Curitiba.
Implantado no Ecoville, o Maison Heritage foi o primeiro projeto da A. Yoshii em Curitiba.| Divulgação

No caso do Epic, ainda em implantação, ele diz: “​​Os profissionais [do escritório] estudaram e compreenderam o formato do terreno, garantindo seu máximo aproveitamento. O Epic foi desenvolvido com plantas de 323 metros quadrados e com coberturas duplex de 451 e 548 metros quadrados de área privativa. Estamos certos que será outra entrega marcante e transformadora para o bairro Água Verde”.

Projeto do Epic foi pensado para garantir o melhor aproveitamento do terreno.
Projeto do Epic foi pensado para garantir o melhor aproveitamento do terreno.| Divulgação

Conceito e identidade

Outro motivo que faz com que importantes players da construção busquem parceria com o escritório é que, embora tenham pontos em comum - predominância de linhas retas, muito vidro e as fachadas “que se movimentam”, para citar alguns -, os projetos são desenvolvidos sem perder de vista o posicionamento das marcas que vão representar.

“Não temos aquela postura ‘autoral’, que diz: ‘o meu tipo de arquitetura é assim e eu vou fazer igual para todas’. Buscamos entender a personalidade de cada uma”, explica o arquiteto e sócio do escritório Flávio Schiavon.

Isso é possível graças a um trabalho conjunto entre escritório e construtoras que busca estabelecer o conceito de cada projeto e o que se deseja com cada um deles. “Uma coisa importante dessa parceria é a questão de buscarmos o porquê daquele projeto, daquela localização, daquele desenho. Tudo tem uma história, um contexto”, diz o diretor geral da construtora e incorporadora Laguna, Gabriel Raad.

LLUM Batel é um exemplo do desenvolvimento do projeto a partir de um conceito.
LLUM Batel é um exemplo do desenvolvimento do projeto a partir de um conceito.| Divulgação

São da Laguna, por exemplo, o LLUM Batel e o Pinah. O primeiro foi desenvolvido a partir da ideia de que a localização - um dos últimos terrenos de frente para a Av. Visconde de Guarapuava, “no coração do Batel” - era uma jóia, o que resultou em uma fachada que faz alusão a cristais rutilados (aqueles com fios dourados, prateados ou pretos dentro de si). O segundo, que ainda está em construção no Bigorrilho, foi desenvolvido visando preservar e integrar um pequeno bosque com pinheiros que ocupa parte do terreno - e, por isso, é um projeto que busca usar mais elementos naturais.

“Quando trazemos as ideias para o Flávio [Schiavon] e o Manuel [Baggio], eles realmente se jogam naquilo e conseguem traduzir o que queremos de uma forma estética, conseguem transformar os conceitos em projetos”, resume Raad.

Projeto do Pinah preserva e integra o bosque com araucárias (à esq.).
Projeto do Pinah preserva e integra o bosque com araucárias (à esq.).| Divulgação


Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]