Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
7 dicas para reformar a casa sem estourar o orçamento
| Foto: Leticia Akemi/Arquivo/Gazeta do Povo|

Quando falamos em reformar, e talvez isso já não seja mais nenhuma surpresa para ninguém, a primeira coisa que nos dizem é que a obra “vai custar o dobro do que a gente quer e demorar o dobro do que a gente gostaria”. Uma reforma, independentemente de sua escala ou natureza, costuma doer tanto na cabeça quanto no bolso, especialmente depois que a poeira começa a subir. Ainda assim, mesmo cientes de todos os desafios, muitas vezes não há como evitar aquela tão terrível e aguardada reforma.

Siga a HAUS no Instagram

Materiais

Mas nem toda reforma deve nos levar à falência ou à loucura, e buscar soluções mais econômicas nem sempre significa abrir mão da qualidade. Desde gerir a própria obra, a meter a mão na massa ou restaurar os móveis que você já tem em casa, aqui vão algumas dicas para não estourar o orçamento com o seu projeto de reforma. Vale ressaltar, também, que é sempre imprescindível ter o acompanhamento de um profissional qualificado (arquiteto, engenheiro, designer de interiores) para realizá-lo da forma mais eficaz e garantir bons resultados.

A durabilidade dos produtos utilizados em uma reforma é importante para evitar retrabalhos.
A durabilidade dos produtos utilizados em uma reforma é importante para evitar retrabalhos.| Shutterstock

Procure utilizar materiais que estejam acessíveis no mercado e produzidos próximos do local onde você vive. Materiais locais, técnicas e soluções construtivas tradicionais estão cada dia mais em voga na arquitetura contemporânea, principalmente por seus benefícios ambientais e também por incentivar o desenvolvimento da economia local. Na maioria dos casos, os materiais mais baratos são aqueles produzidos localmente, portanto pergunte e procure descobrir quais são os materiais mais comuns em sua região e onde estão os fornecedores e fabricantes de sua cidade.

Menos é mais

Nem sempre um espaço vazio dentro de casa precisa estar preenchido. Um ambiente entulhado de móveis e objetos geralmente se torna cansativo, principalmente se a sua sala de estar acabou sendo transformada em escritório recentemente. Neste caso é hora de limpar e organizar, se livrar de tudo aquilo que você não precisa mais. Esteja atento às paredes também, libere mais espaço de circulação, permitindo que o espaço respire. Se for o caso, remova também as paredes— desde que estas não sejam estruturais, é claro, e sempre com o acompanhamento de um profissional qualificado para avaliar este ponto.

Repinte

A pintura é uma das soluções mais baratas e eficazes para renovar um espaço ou ambiente. As superfícies que mais demandam manutenção são as paredes, seguidas diretamente pelos forros e tetos — atualmente as tintas à base de água são a melhor opção, com ótima cobertura, sem cheiro e secagem rápida. Entretanto, as tintas mais baratas precisam de mais demãos para igualar a cobertura de produtos de maior qualidade.

Pintar as paredes é uma das formas mais baratas de dar cara nova aos espaços.
Pintar as paredes é uma das formas mais baratas de dar cara nova aos espaços.| Projeto de Sertão Arquitetos/Guilherme Pucci/Divulgação

Dar um trato nos armários, portas e caixilhos também ajuda a trazer vida nova ao espaço. Antes de pintar móveis ou caixilhos de madeira é sempre bom lixá-los e limpá-los bem. Em se tratando de mobiliário, repintar as cadeiras com outra cor pode ser uma solução até melhor do que comprar novas, principalmente se estas estiverem em bom estado. Outro elemento que pode dar um upgrade em seu projeto de reforma, e que muitas vezes passa desapercebido, é a cor da argamassa dos azulejos da cozinha ou do banheiro. Mudar a cor dos rejuntes pode transformar completamente a atmosfera de um espaço.

Ressignifique

Uma das dicas mais importantes para manter a sua reforma dentro do orçamento é reaproveitar tudo aquilo que for possível. Dito isso, a primeira coisa que você deve se perguntar é: quanto custa reaproveitar o que eu já tenho em relação a um novo? Existem soluções prontas mais baratas, então procure pesquisar bastante antes de tomar qualquer decisão. Em segundo lugar, não jogue nada fora —tudo pode ser reaproveitado de alguma maneira, então a melhor forma de economizar dinheiro é não jogá-lo fora. Por exemplo, em vez de se desfazer se seu sofá ou cadeiras, pense que você pode mandar estofá-los de novo, com outras cores e tecidos, especialmente se a estrutura estiver em boas condições. E se você não tiver nada para reaproveitar, você poderá sempre encontrar móveis de segunda mão com grande potencial e por um bom preço.

Em relação aos móveis, você também pode aplicar o conceito de “a forma segue a função”, ajustando um pouco ou ressignificando completamente o uso de uma determinada peça de mobiliário. Alguns exemplos incluem transformar cômodas em pequenas ilhas de cozinha, aparadores de TV, bases para a pia do banheiro ou até mesmo em um trocador de bebê. Cordas grossas ou tiras de couro podem fazer a vez de maçanetas e puxadores, potes, toras de madeira ou cestas de vime podem virar luminárias e assim por diante.

De forma similar, antigos cômodos da casa pouco utilizados também podem assumir novas funções — basta mobiliá-los de acordo. Uma sala de jantar raramente utilizada, por exemplo,  pode virar um novo espaço de escritório. Ao invés de comprar uma mesa de trabalho, use a própria mesa de jantar como uma enorme mesa, mude o estofamento das cadeiras e incorpore acessórios ergonômicos úteis no dia a dia.

Substitua

Em um projeto de reforma, no entanto, nem tudo se resolve com uma simples demão de tinta. Quando a manutenção por si só não é suficiente, é preciso admitir a necessidade de substituir o velho pelo novo. Quando se trata de escolher elementos de revestimento, antes de mais nada faça uma pesquisa e compare os diferentes tipos de materiais e acabamentos disponíveis no mercado. Frequentemente, materiais aparentemente similares variam enormemente em preço e qualidade — esteja atento a isso. Considere sempre e compare diferentes opções de materiais, como alumínio e inox, vidro e acrílico, madeira de lei e laminada.

Os espelhos das tomadas passam freqüentemente desapercebidas em um projeto de reforma. No entanto, esses pequenos acessórios podem fazer uma enorme diferença ao considerar o conjunto como um todo — eles podem contribuir tanto quanto prejudicar um projeto de reforma. Da mesma forma podemos pensar nas maçanetas e puxadores, soluções bastante simples e baratas para recauchutar móveis, portas e janelas.

Reorganize

Ao reorganizar o espaço da sua casa pense em incluir novos planos em altura. Eleve o sofá da sala ou a cama do quarto, utilize suportes que permitam incorporar novas áreas de armazenamento sem comprometer o espaço útil da casa. Os móveis que você tem, assim como a forma como eles estão distribuídos no espaço doméstico, contam uma história — a história de quem mora nesta casa. Em vez de tapar o sol com uma cortina pesada, tente mudar a orientação da cama. Outra dica importante é não mexer nas louças do banheiro, a menos que seja extremamente necessário. Qualquer mudança no encanamento ou na fiação elétrica da casa exigirá que você contrate um especialista, e mão de obra qualificada custa. Opte por incorporar luminárias de chão e explore diferentes padrões de iluminação.

Adicione

como-reciclar-residuos-de-revestimentos-ceramicos-obras-reformas-dicas-arquitetura
A Anfacer (Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimentos, Louças Sanitárias e Congêneres) apresenta cartilha que oferece orientações ao consumidor sobre como reciclar os resíduos residenciais pós-obras.

Finalmente, quando necessárias, adições são sempre bem-vindas. Para transformar a sua cozinha (e ocasionalmente o banheiro), trocar ou pintar o revestimento das áreas molhadas pode transformar drasticamente o caráter e a sensação do espaço. Embora existam milhares de opções disponíveis no mercado, é possível encontrar produtos bastante acessíveis e que não vão comprometer todo o orçamento de seu projeto de reforma.

Pense o espaço de cada ambiente com uma parede de destaque, incorporando um novo revestimento, uma nova cor, um mural pintado à mão, um quadro com moldura ou um painel de madeira.

Erguer novas paredes em uma reforma pode sair mais caro do que você imagina. Uma alternativa a isso são as divisórias leves, que são mais práticas e baratas. Finalmente, ao invés de remover o piso existente e substituí-lo por um novo material, opte por uma solução de adição, que você poderá substituir facilmente no futuro. Vários fabricantes oferecem distintas soluções de acabamento em piso vinílico, que imitam perfeitamente materiais mais nobres como a madeira, o mármore e até mesmo o concreto, além de serem de fácil manutenção e alta resistência.

* Por Dima Stouhi, para Archdaily Brasil

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]