Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
O espaço de 100m² privilegia a natureza exuberante e a vista para a praia do Estaleirinho, em Balneário Camboriú (SC).
O espaço de 100m² privilegia a natureza exuberante e a vista para a praia do Estaleirinho, em Balneário Camboriú (SC).| Foto: Mariana Boro/Divulgação

A arquiteta Cláudia de Conto, fundadora do Studio Casa 90, tinha, há anos, um sonho: construir um escritório para ela e o marido (que é advogado) no mesmo terreno da casa onde vivem em Balneário Camboriú (SC), em uma área entre a Mata Atlântica e o mar, com vista para a praia do Estaleirinho. A pandemia do coronavírus e a necessidade do casal de trabalhar em casa acelerou o projeto elaborado pela arquiteta: um espaço retangular de 100 m², que utilizou materiais naturais e privilegia, sobretudo, a natureza.

O piso e o forro do escritório são revestidos por ripas de cumaru. | Mariana Boro/Divulgação

“A principal inspiração foi o entorno, que é muito impressionante. Por isso, tudo foi voltado para privilegiar o visual. As portas têm grandes vãos para se ter a sensação de trazer a natureza para dentro do espaço”, explica Claudia. Uma área multifuncional também foi pensada pela arquiteta, com mesa de pebolim para momentos de descontração de funcionários ou clientes.

escritório
Cláudia de Conto e o marido, que é advogado, aceleraram o sonho de construir um escritório na mesma área de casa.| Mariana Boro/Divulgação

Os filhos do casal, de dez e três anos de idade, também usufruem do local nos finais de semana. “Virou um espaço para reuniões com clientes e fornecedores. Para mim é maravilhoso, porque estou em casa. Temos o conforto de almoçarmos em casa, de não precisarmos nos deslocar. Ganhamos muito na qualidade de vida e na convivência com as crianças”, ressalta Cláudia.

escritório
Azulejos da Lurca foram a escolha de Cláudia de Cunto para a área do lavabo do escritório. | Mariana Boro/Divulgação

Erguido a partir de materiais comuns, como o concreto e a madeira, o escritório é revestido por ripas de cumaru no piso e no forro. Nas paredes, a arquiteta usou o cimento queimado para trazer um ar contemporâneo. Outro elemento que traz essa estética é o grafite do artista Luís Felipe Berejuk, na fachada de fundo e no telhado da construção, com desenhos de folhagens nativas.

Outro destaque do local é uma bancada funcional em ferro, MDF e revestimento de superfície que abriga lavatórios (com desenho e torneiras minimalistas), copa, máquina de café, gavetas e nichos para os materiais de escritório. Há, ainda, uma mesa de apoio lateral, um trabalho experimental de Cláudia, feita com uma mistura de cimento com fibra de coco e tampo de cristal verde, pedra encontrada em Minas Gerais. No lavabo, azulejos brancos e azuis da Lurca trazem ao espaço, de acordo com a arquiteta, um “perfume modernista”.

Designers e artistas nacionais

escritório
Mesa e cadeiras do designer Jader Almeida. A arquiteta busca sempre nomes nacionais para os seus projetos. | Mariana Boro/Divulgação

Uma das preocupações de Cláudia de Conto nos seus projetos do Studio Casa 90 é o de utilizar o máximo possível de materiais nacionais, algo que ela manteve no seu projeto pessoal e incluiu no mobiliário e obras de arte. As mesas e cadeiras de trabalho são do designer Jader Almeida. “Ele tem um design supersofisticado mas é alguém de Santa Catarina, que tem loja em Balneário. Sempre que posso uso peças dele”, relata a arquiteta, que utilizou ainda a cadeira Milla, uma das suas criações preferidas do designer.

escritório
Projeto experimental da arquiteta, mesa lateral tem base em cimento e fibra de coco e tampo de cristal verde de MG. | Mariana Boro/Divulgação

Completam o ambiente um sofá na cor verde do designer Marcus Ferreira para a marca Carbono e tapete sob medida da Punto e Filo. Cláudia trouxe ainda objetos artesanais e fotografias afetivas de artistas como o fotógrafo Guilherme Puppo e Luciano Meirelles. “Tudo veio de uma escolha muito pessoal e dos meus trabalhos de pesquisa”, diz Cláudia.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]