Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Painel por John Graz e  mobiliário por Lasar Segall em exposição na Casa Zalszupin.
Painel por John Graz e mobiliário por Lasar Segall em exposição na Casa Zalszupin.| Foto: Ruy Teixeira

Nas redes sociais, nos sites noticiosos, nos museus, nos podcasts, nas rodas de conversa. Para cada lado que se olhe, só se fala dela: a celebração do centenário da Semana de Arte Moderna. E não é para menos. Exaltada por uns, considerada uma espécie de mito por outros, não há como negar a importância do movimento e a presença dele no imaginário popular passados cem anos de sua realização.

São tantos os eventos em sua homenagem que fica até difícil listar todos eles sem correr o risco de deixar algum (ou alguns) de fora. A seguir você confere sete entre os principais deles, realizados em São Paulo (SP), capital que recebeu a Semana de Arte Moderna, no Theatro Municipal, entre os dias 13 e 17 de fevereiro de 1922. Confira!

Siga a HAUS no Instagram

Ciclo de encontros "A (des)construção social da Semana de Arte Moderna e sua atualidade cem anos depois"

Organizado pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), o ciclo irá contemplar cinco encontros on-line (quinzenais) que terão como objetivo apresentar uma reflexão crítica sobre o evento, conhecido como "marco fundante" do modernismo no Brasil, e seu legado. Os encontros serão realizados a partir de 21 de fevereiro, sempre às segundas-feiras, às 19h. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas aqui.

“Semana sim, semana não: paisagens, corpos e cotidianos entre um século”

| Ruy Teixeira

Com abertura nesta segunda-feira (14), a exposição reúne obras das décadas de 1920 e 1930 de artistas modernistas como Di Cavalcanti, Tarsila do Amaral, Vicente do Rego Monteiro, Victor Brecheret, além de mobiliários do arquiteto Gregori Warchavchik e do pintor, escultor e gravurista Lasar Segall. A mostra tem curadoria de Germano Dushá e ocorre na Casa Zalszupin, espaço cultural administrado pela Etel e pela galeria Almeida & Dale. A exposição segue até 12 de março com visitas de 2ª a 6ª-feira, das 10h às 17h, com agendamento prévio.

"Era uma vez o moderno"

Em cartaz no Centro Cultural Fiesp, a mostra reúne diários, manuscritos, cartas, fotografias e obras de artistas e intelectuais que fizeram parte das diversas iniciativas que culminaram no modernismo brasileiro, localizadas entre as décadas de 1910 e 1944. A curadoria é Luiz Armando Bagolin e de Fabrício Reiner e apresenta mais de 300 obras. A exposição segue em cartaz até 29 de maio, com entrada gratuita.

Theatro Municipal

O Theatro Municipal de São Paulo abrigou os eventos da Semana de Arte Moderna.
O Theatro Municipal de São Paulo abrigou os eventos da Semana de Arte Moderna. | Eli Kazuyuki Hayasaka

Palco dos eventos que sacudiram o país e as artes nacionais, o Theatro Municipal de São Paulo não poderia ficar de fora das celebrações ao centenário da Semana de 22. Até o próximo dia 17, será apresentada uma programação especial que inclui apresentações da Osquestra Sinfônica Municipal, do Balé da Cidade, do Coral Paulistano, entre outras. Shows, ciclo de encontros e saraus também compõem a programação.

"Brasilidade Pós-Modernismo

Em exposição no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), a mostra reúne, até 7 de março, trabalhos de 51 artistas contemporâneos, ressaltando características e heranças do legado artístico deixado pelo movimento moderno. Entre eles estão nomes como Tunga, Adriana Varejão e Cildo Meireles, para citar alguns. A entrada é gratuita.

"Modernismo: destaques do acervo"

Em cartaz na Pinacoteca de São Paulo até 31 de dezembro, a mostra apresenta mais de 130 obras de artistas ligados ao movimento modernista, apresentadas em diferentes áreas do museu. Entre elas, destacam-se as obras "Antropofagia", de Tarsila do Amaral, e "Amigos", assinada por Di Cavalcanti e exposta durante a Semana de Arte Moderna.

Modernidade fora de foco: foto e filme no Brasil, 1889-1930

O Instituto Moreira Salles irá inaugurar em setembro de 2022 uma exposição sobre a produção fotográfica durante a Primeira República tendo como foco o processo de urbanização das cidades brasileiras, que também esteve presente nas discussões propostas pela Semana de 22. A abertura está prevista para 13 de setembro, e a mostra deverá seguir em cartaz até 26 de fevereiro de 2023.

Conteúdo editado por:Luan Galani
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]