Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
O home staging reduz o tempo de venda ou locação, pois torna o imóvel mais atrativo no mercado.
O home staging reduz o tempo de venda ou locação, pois torna o imóvel mais atrativo no mercado.| Foto: Divulgação/Shortstay

Encenação da casa. Essa é a tradução literal para uma técnica de marketing imobiliário que foi criada nos anos 1970, nos Estados Unidos, mas só nos últimos anos tomou força no Brasil, o home staging. Basicamente, o conceito se resume em valorizar as qualidades do imóvel, com investimento em decoração e solução de problemas estruturais, para que ele se torne mais atrativo para compra ou aluguel.

Segundo a pesquisa Profile of Home Staging, de 2021, realizada pela National Association of Realtors, maior associação de comércio dos Estados Unidos, 53% dos agentes imobiliários percebem que o home staging diminui o tempo de um imóvel no mercado. Foi o que sentiu também Fernanda Feres, CEO da Shortstay, plataforma digital especializada no aluguel de apartamentos e flats mobiliados por períodos curtos, a partir de 30 dias. “Vimos que apartamentos que já estavam conosco há mais tempo, parados no site, quando propusemos para os proprietários fazer fotos novas e com home staging, tivemos um resultado muito bom, em poucos dias eles já eram escolhidos”, descreve a empresária.

Siga a HAUS no Instagram

A empresa curitibana existe há 8 anos e, durante a pandemia, sentiu que o investimento no home staging foi ainda mais substancial para as pessoas alugarem os imóveis, uma vez que a maioria foi locada sem visita física. Para isso, criaram um departamento específico para preparar e valorizar os imóveis para locação, a Shortstay Design.

Despersonalizar a casa

home staging
O apelo visual é uma das principais estratégias para salientar as características positivas do imóvel.| Divulgação/Shortstay

O home staging consiste em preparar o imóvel com reparos que vão desde possíveis problemas estruturais, com reformas e pequenas adaptações, até o investimento em um projeto de decoração. O objetivo é oferecer não apenas um imóvel, mas uma “experiência de venda ou aluguel”. É como define a arquiteta e urbanista Ana Flávia Braz, da AnaFla Braz Arquitetos. “A proposta do home staging é realmente dar ao interessado em comprar ou alugar um imóvel a possibilidade dele se visualizar vivendo naquele espaço, isso facilita a decisão dele”, explica.

Ainda de acordo com a pesquisa Profile of Home Staging, 82% dos agentes imobiliários percebem que o home staging torna mais fácil que o comprador veja a propriedade como uma futura casa. No entanto, nessa proposta reside o desafio da técnica e a principal diferença entre o método para um projeto personalizado de decoração. Para que seja efetivo, o serviço passa por descaracterizar o ambiente com a personalidade do antigo dono e, ao mesmo tempo, criar uma atmosfera que agregue conforto e decoração afetiva. “Criar uma atmosfera impessoal, mas com memórias afetivas, porque também não podemos deixar tão frio a ponto do cliente não se enxergar ali dentro”, destaca Ana Flávia.

home staging
Especialistas na área consideram que as pessoas buscam cada vez mais por uma experiência de moradia diferenciada e imóveis prontos para morar.| Divulgação/Shortstay

Para isso, algumas estratégias são essenciais para um home staging adequado, seja para a visita presencial ao imóvel, seja para os conteúdos visuais nos sites de anúncio. Para descaracterizar o ambiente, é necessário retirar itens de identidade do titular do imóvel, como itens de higiene pessoal e porta-retratos. Em seguida, o critério é criar experiências afetivas de aconchego.

Na cozinha, itens decorativos de comida, como um pão fatiado e uma fruteira bonita. Na sala de jantar, a mesa posta com as louças. No quarto e banheiros, priorizar a higiene, roupa de cama e toalhas claras, combinadas em conjuntos. A luz também é importante, luzes mais quentes transmitem a sensação de acolhimento. Itens decorativos, como quadros, objetos e luminárias, também são bem-vindos para se investir no ambiente do lar.

Apelo visual

Depois de reorganizar o imóvel com a técnica do home staging, entra em cena outra estratégia de marketing que é essencial para alavancar a possibilidade de venda ou aluguel, as imagens do imóvel. Essa é, na maioria das vezes, o primeiro contato do cliente com o imóvel.

Por meio da fotografia e vídeo, também é possível criar estratégias para salientar os pontos positivos da casa ou apartamento. Para isso, é importante investir em boa iluminação, como um período claro do dia para evidenciar a entrada de luz natural, e bons ângulos do espaço, que apresentem a amplitude dos ambientes. “É muito importante que as fotos sejam profissionais, com boa iluminação. São estratégias de venda de forma que o ambiente seja bem apresentado para o cliente”, destaca Bruna Melnic, arquiteta e urbanista da AnaFla Braz Arquitetos.

Curta ou longa duração

home staging
| Divulgação/Shortstay

O home staging é um diferencial tanto para aluguéis de pequena duração, como oferecido nas plataformas Shortstay e Airbnb, quanto para venda de imóveis. Independentemente do formato, as arquitetas apontam como uma tendência de mercado a busca por praticidade, conforto e novas experiências de moradia.

"Hoje, as pessoas procuram sair de casa e ter novas sensações, não sair da sua casa para outra casa padrão. Ambientes fortes, com conceitos que ofereçam experiências se destacam”, defende Ana Flávia.

Nesse sentido, imóveis com projetos de decoração diferenciados, como uma cabana na natureza, ou uma decoração cosmopolita e moderna para quem visita São Paulo, são experiências que têm sido buscadas nos imóveis. “Você busca quando aquela casa específica está disponível, não uma casa que esteja disponível no seu tempo”, explica.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]