0

Salas integradas: uma solução funcional para quem gosta de receber em casa

Quatro projetos diferentes mostram soluções de como a integração de ambientes pode ajudar na convivência e na funcionalidade

Apartamento Nuvem, assinado por Giuliano Marchiorato. Foto: Leticia Akemi/Gazeta do Povo

por Eloá Cruz

29/11/2015

compartilhe

O arquiteto suíço-francês Le Corbusier pensou à frente do seu tempo quando adotou a planta livre em seus projetos. Deixou de usar paredes como estrutura, para liberar o espaço interno. Uma mudança simples, mas revolucionária. Talvez Le Corbusier nem imaginasse que o estilo de vida contemporâneo mudasse as construções arquitetônicas. As paredes, como que por sugestão do mestre, foram derrubadas, para otimizar espaços e reunir as pessoas.

A funcionalidade é outra vantagem dos ambientes integrados. O arquiteto Luiz Maganhoto e o designer de interiores Daniel Casagrande desenvolveram um projeto de residência totalmente integrado, o que facilita a rotina da casa. A mesa de refeições é única, assim como o estar que reúne a família em torno do home theater ou os amigos em um encontro casual. Com área construída de 500 m², o coração da casa é a sala de 150 m²que reúne estar, jantar, cozinha, varanda e chapelaria, sem divisões estruturais.

Em estilo contemporâneo, a casa tem como revestimentos principais o vidro, o aço e o concreto. Para unificar o ambiente, o piso em porcelanato é o mesmo em toda extensão do primeiro pavimento da casa e não há nenhum pilar interrompendo a área livre da sala. “O interessante é que em cada lugar do ambiente posso ver tudo que está acontecendo na casa”, salienta o designer Daniel Casagrande.

A unidade arquitetônica é um dos principais aspectos do projeto do apartamento Nuvem, assinado pelo arquiteto Giuliano Marchiorato. O piso, as paredes e o teto brancos reforçam o minimalismo supercontemporâneo nos 75 m² do amplo ambiente. A integração foi um pedido especial dos moradores, que gostam de estar sempre reunidos para assistir a filmes, preparar refeições, valorizando o convívio em família.

A planta original do apartamento apresentava uma configuração de quatro pequenos quartos, muitos corredores, cozinha fechada e sala de estar pequena. Com a reforma, o arquiteto Marchiorato optou por transformar o ambiente e remover paredes e todos os corredores. “A varanda de 20 m²do apartamento era pouco utilizada. Ela foi fechada com cortina de vidro, teve piso nivelado e foi integrada ao living”, comenta o profissional.

No projeto da arquiteta Mariana Paula Souza, a integração da sala foi um pedido da família, que queria aproveitar todos os espaços da casa. Uma reforma geral foi feita: paredes foram quebradas e o sistema elétrico, hidráulico, forro e iluminação alterados. Dos 88,5 m² do apartamento, 55 m² fazem parte da sala com jantar, estar, churrasqueira e cozinha.

O estilo da decoração, que mistura peças contemporâneas e vintage, dá unidade e personalidade ao espaço. “A proposta era usar vários objetos de valor sentimental da família. Então, fizermos um projeto retrô chic, usando muitos elementos neutros e algumas peças de destaque”, explica a arquiteta. O buffet azul, o papel de parede que imita azulejaria e as porcelanas portuguesas integram todo o ambiente.

Integrar ajuda também a acolher. A casa transformada pela arquiteta Helaine Goes Pinterich ajudou os moradores e visitantes a aproveitarem todos os cantinhos até durante o inverno curitibano. Com sala de estar, cozinha, churrasqueira e spa, o amplo ambiente soma 65 m².

De acordo com a profissional, sem as paredes, a integração visual é natural. “Usamos o mesmo piso nos quatro espaços para dar continuidade”, comenta. E, entre a lareira e a churrasqueira, uma porta de três folhas traz a possibilidade de privacidade para quem vai usar a lareira, a cozinha, o spa ou a churrasqueira

75 m² – projeto de Giuliano Marchiorato

2

-A iluminação pontual e quente traz aconchego necessário para qualquer ambiente.

-A unidade de materiais deixa o espaço uniforme, com maior sensação de amplitude e serenidade.

-Marcar alguns pontos com peças e acessórios em cores mais fortes valorizam o espaço.

55 m² – projeto de Mariana Paula Souza

3 4

-Mantenha o mesmo estilo em todos os ambientes que compõem o espaço integrado.

-Tapetes, pendentes e iluminação pontual podem criar um limite “invisível” entre os ambientes.

-Para criar sensação de amplitude, uma parede de espelhos pode transformar a sala.

 150 m² – projeto de Luiz Maganhoto e Daniel Casagrande

5 6
-A cozinha com coifa circular de alta potência facilita para que a gordura não invada todo o espaço.

-Manter a unidade de cores e materiais no mobiliário garante mais integração entre os ambientes.

-Grandes janelas e aproveitamento da luz natural deixam o espaço amplo.

65 m² – projeto de Helaine Goes Pinterich

Fotos: Marcelo Stammer/Divulgação

Fotos: Marcelo Stammer/Divulgação

8

-Se a ideia é integrar sem perder privacidade, portas em três folhas de correr podem resolver o problema.

-Retirar portas e paredes criam continuidade no ambiente. Só é preciso estar atento para não comprometer a estrutura do imóvel.

-Escolha materiais que conversem entre si para revestimento e acabamento. Eles criam harmonia entre os ambientes.

8 recomendações para você