Com premiação de R$ 30 mil, Iphan promove concurso para projetos de preservação

Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade 2018 está em sua 31ª edição. Oito trabalhos serão premiados com R$ 30 mil

Casas históricas do período colonial de Belém (Divulgação/Neldson Neves)

por Stephanie D'Ornelas*

18/04/2018

compartilhe

Com o objetivo de estimular e valorizar quem atua em favor da preservação do patrimônio cultural brasileiro, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) promove o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, que está em sua 31ª edição. Criado em 1987, o prêmio foi batizado em homenagem ao fundador da instituição. Neste ano, serão selecionados oito trabalhos, e cada premiado receberá o valor de R$ 30 mil. As inscrições já estão abertas e devem ser feitas mediante a apresentação dos trabalhos nas superintendências do Iphan até o dia 21 de maio.

Carimbó, registrado pelo Iphan como Patrimônio Cultural do Brasil, será celebrado na cerimônia de premiação. Foto: Oswaldo Forte / Pref. Belém (PA) / Portal Brasil / Reprodução

“São dados prêmios a projetos que tenham originalidade e mereçam divulgação. É um reconhecimento do Iphan e da sociedade”, pontua Marcelo Gruman, administrador cultural do Iphan no Paraná. A festa da premiação, marcada para novembro, irá celebrar a cultura do Norte do Brasil. A cerimônia vai acontecer em Belém, capital do Pará, em ritmo de Carimbó, registrado pelo Iphan como Patrimônio Cultural do Brasil, e contará com outras expressões tradicionais do Norte, como o Boi-Bumbá de Parintins.

Seleção

Nesta edição, o prêmio apresenta um novo formato de edital, com duas grandes categorias: iniciativas de excelência no campo do Patrimônio Cultural Material e iniciativas de excelência no campo do Patrimônio Cultural Imaterial. Cada um dele será subdividido em quatro segmentos: entidades governamentais da administração direta dos níveis federal, estadual ou municipal ou indireta; empresas e fundações privadas mantidas por empresas; outras instituições sem fins lucrativos da sociedade civil organizada e pessoas físicas e representantes de grupos ou coletivos. Serão selecionadas oito ações, uma de cada segmento das duas categorias.

Premiação homenageia o advogado, jornalista e escritor Rodrigo Melo Franco de Andrade, fundador do Iphan. Foto: Divulgação

As ações serão pré-selecionadas pelas comissões estaduais, compostas por representantes de diferentes áreas culturais, presidida pelo superintendente. Os projetos vencedores na etapa estadual serão analisados pela Comissão Nacional de Avaliação, formada pela presidente do Iphan e por 16 jurados que atuam nas áreas de preservação ou salvaguarda do Patrimônio Cultural. O resultado final do concurso deverá ser divulgado até o dia 30 de agosto de 2018, no site do Iphan.

Confira o edital completo com todas as informações sobre o concurso.

*Especial para a Gazeta do Povo.

LEIA TAMBÉM

Receba nossas notícias por e-mail

Inscreva-se em nossas newsletters e leia em
seu e-mail os conteúdos de que você mais
gosta. É fácil e grátis.

Quero receber

8 recomendações para você