Lerner na palestra magna da II Conferência Nacional de Arquitetura e Urbanismo . Foto: Reprodução/CAU-BR
Lerner na palestra magna da II Conferência Nacional de Arquitetura e Urbanismo . Foto: Reprodução/CAU-BR| Foto:

O arquiteto e urbanista Jaime Lerner revelou na abertura da II Conferência Nacional de Arquitetura e Urbanismo neste sábado (7), que está trabalhando com uma equipe de jovens arquitetos no desenvolvimento de um carro.

Na palestra transmitida ao vivo, não ficou claro se o projeto é o desenvolvimento do Dock Dock, protótipo que foi apresentado por ele entre 2011 e 2012. De acordo com Lerner, o projeto é para um veículo pequeno, feito de materiais recicláveis. “Estou sempre com um brinquedo novo” reforçou.

Esse era o projeto do Dock Dock, apresentado entre 2011 e 2012. Foto: Reprodução
Esse era o projeto do Dock Dock, apresentado entre 2011 e 2012. Foto: Reprodução

O protótipo anterior era acionado por motor elétrico alimentado por quatro baterias de 12 V, produzindo 2.200 W em corrente contínua, o veículo poderia desenvolver até 25 km/h, com autonomia de 100 km. A ideia era de um carro com apenas 80 cm de largura e 1,80 m de comprimento, sendo a estrutura composta de papelão tipo “favo de abelha” e resina, produzindo um conjunto leve e resistente; capota e para-brisas permaneceriam como nas propostas anteriores, em peça única de policarbonato.

Melhoria nas cidades

Durante a palestra ele lembrou que ainda defende que três medidas são necessárias para a cidade: usar menos o carro, morar perto do trabalho e reciclar o lixo.

Na palestra, o arquiteto afirmou que o “problema está na concepção da cidade, e quanto mais tivermos moradia, trabalho e mobilidade juntos, mais perto estaremos da solução.” Para ele, não se deve dedicar tanto espaço para carros – espaço que poderia estar sendo usado para a construção de cidades melhores. Ele coloca como exemplo a cidade de São Paulo, que possui cinco milhões de carros: “Vocês podem imaginar o que poderia ser feito se conseguíssemos distribuir melhor esse espaço para conseguir moradias mais próximas”

Segundo o ex-prefeito de Curitiba e ex-governador do Paraná, o segredo para a arquitetura sustentável está na simplicidade e na rapidez. Ele diz que o arquiteto muitas vezes demora na construção de um projeto, pois procura ter todas as respostas de imediato. Para Lerner, os arquitetos devem entender que não é problema errar na trajetória, e que “temos de deixar que a população nos corrija quando estivermos no caminho errado”. Ele declara: “Temos de ter orgulho da nossa constelação de arquitetos-estrelas, mas precisamos mais de uma constelação de arquitetos preocupados com as cidades. Menos ego-arquitetos, mais eco-arquitetos”.

LEIA TAMBÉM

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]