Levantamento inédito vira livro-inventário das casas modernistas de Ponta Grossa

Seis casas da cidade, construídas entre 1949 e 1953 têm sua memória resgatada em trabalho que revela a vertente modernista nos Campos Gerais

Casas modernistas de Ponta Grossa são objeto de estudo inédito. Fotos: Divulgação

por HAUS

01/08/2018

compartilhe

Conhecer a história para preservar e valorizar a arquitetura. Esse é um dos objetivos pretendidos pelas arquitetas Ana Luísa Furquim Bezerra e Gisele Pinna Braga com o livro “Artigas e Miguel Juliano: seis casas modernistas em Ponta Grossa”, com lançamento marcado para o dia 01 de agosto em Curitiba, na Livraria da Vila (Pátio Batel – Av. do Batel, 1868), das 18h30 às 21h30 e no dia 08 de agosto em Ponta Grossa, no hall de entrada da sede urbana do Clube Ponta Lagoa (Praça Marechal Floriano Peixoto, 116 – Centro), das 19 horas às 22 horas.

O livro introduz o leitor ao conceito da “máquina de morar”, forjado pelo arquiteto Le Corbusier na década de 1920, contando por que ela era tão almejada. Depois, faz-se um breve panorama sobre as carreiras dos arquitetos Vilanova Artigas (1915-1985) e Miguel Juliano (1928-2009), evidenciando sua importância no cenário da arquitetura nacional. “É muito além de um livro textual. O projeto gráfico foi realizado a várias mãos: minhas, da Gisele Pinna e do designer gráfico Henrique Jakobi. Cuidamos de cada detalhe para que a mensagem fosse claramente transmitida aos leitores de maneira fácil e visualmente atraente”, avalia Ana Luísa.

Miguel Juliano e Vilanova Artigas, os expoentes modernistas dos Campos Gerais.

Trabalho inédito

Até então, nenhuma das quatro casas assinadas por Miguel Juliano haviam sido estudadas mais profundamente. As duas assinadas por Artigas já foram objeto de uma dissertação de mestrado que analisava também outras obras do arquiteto no estado. O ineditismo também vem no sentido de que a história das casas é confusa para os pontagrossenses. “Existe por lá um mito de que todas as casas com rampas e formas geométricas sejam de autoria de Vilanova Artigas”, diz.

Editado pela ArquiMemo Livros, Arquitetura & Patrimônio, uma editora com foco em registro do patrimônio arquitetônico e processos tecnológicos, o livro foi realizado através do apoio exclusivo da Copel. Trata-se de um projeto viabilizado pelo Programa de Fomento e Incentivo à Cultura do Estado do Paraná (Profice), edital 001/2014, da Secretaria de Estado da Cultura do Estado do Paraná. Tem tiragem de mil exemplares, dos quais 400 serão distribuídos gratuitamente, inclusive aos atuais proprietários das seis casas estudadas. O livro será comercializado a R$ 60.

Receba nossas notícias por e-mail

Inscreva-se em nossas newsletters e leia em
seu e-mail os conteúdos de que você mais
gosta. É fácil e grátis.

Quero receber

8 recomendações para você