Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
O brutalismo de materiais
como o cimento e a serralheria contrasta com a delicadeza da marcenaria e de obras
de arte e design. Foto: Eduardo Macarios
O brutalismo de materiais como o cimento e a serralheria contrasta com a delicadeza da marcenaria e de obras de arte e design. Foto: Eduardo Macarios| Foto: Eduardo Macarios

Quando um jovem casal procurou as arquitetas Carolina Danylczuk e Lisa Zimmerlin, da UNIC Arquitetura, o pedido foi direto: queriam um apartamento com influências do estilo industrial e minimalista, e que fosse um refúgio aconchegante para receberem amigos e familiares.

Siga a HAUS no Instagram!

O apartamento de 141 m² no bairro Água Verde, em Curitiba, foi adquirido na planta, o que possibilitou que as profissionais fizessem as mudanças estruturais ainda durante a construção. Paredes foram “derrubadas” para que estar, jantar, cozinha e churrasqueira constituíssem um espaço integrado e amplo, um pedido dos proprietários.

Sem paredes, cozinha, churrasqueira,
sala de jantar, estar e varanda se
conectam em um ambiente único. Foto: Eduardo Macarios
Sem paredes, cozinha, churrasqueira, sala de jantar, estar e varanda se conectam em um ambiente único. Foto: Eduardo Macarios| Eduardo Macarios

O projeto se guia pelo conceito high-low urbano, que aparece na oposição proposital entre materiais brutos e obras de arte e de design. Na paleta, predominam branco, preto, cinza e amadeirado, que são quebrados com as cores de obras de arte pontuais e plantas posicionadas estrategicamente.

Na área social, o destaque fica por conta da churrasqueira, que é integrada à cozinha. “O fato desse apartamento ter a churrasqueira dentro da cozinha foi decisivo na escolha dos proprietários. Eles queriam que esse fosse um ambiente aconchegante e que pudesse ser usado no dia a dia”, conta Carolina. No espaço, chama atenção o aramado que reveste uma das paredes do chão ao teto, trama que também aparece em outros pontos do apartamento. Na bancada da churrasqueira, a fotografia “Dead Vlei”, da fotógrafa Mana Gollo, atrai os olhares.

O aramado que reveste
uma das paredes do
chão ao teto é ponto de
destaque na cozinha
integrada com a
churrasqueira. Foto: Eduardo Macarios
O aramado que reveste uma das paredes do chão ao teto é ponto de destaque na cozinha integrada com a churrasqueira. Foto: Eduardo Macarios| Eduardo Macarios

Na sala de jantar, quem rouba a cena são os móveis soltos e as peças de design e arte, protagonistas da ambientação. As mesas laterais de apoio são do designer Jader Almeida. O quadro a óleo sobre tela na sala de jantar é obra da artista plástica Iolanda Mazzotti. Ao lado, a sala de estar e de tevê recebeu uma parede em tijolo de concreto, reforçando a opção por materiais brutos. “O espaço tem iluminação indireta de baixo para cima, o que, à noite, confere uma luz bem cênica e traz aconchego”, observa Carolina.

O muro verde remete
ao conceito urban
jungle e o balanço
feito pelos
proprietários traz
personalidade ao
ambiente. Foto: Eduardo Macarios
O muro verde remete ao conceito urban jungle e o balanço feito pelos proprietários traz personalidade ao ambiente. Foto: Eduardo Macarios| Eduardo Macarios

A dualidade é conferida quando a porta de correr da varanda se abre totalmente, ampliando o espaço e trazendo o muro verde para “dentro de casa”, em uma referência ao estilo urban jungle. Na varanda, o balanço, uma peça feita pelos próprios moradores, é o local ideal para apreciar o pôr do sol.

Materiais

Todo o apartamento recebeu piso de cimento queimado monolítico, para dar sensação de continuidade. Outra preocupação das arquitetas foi trazer unidade ao projeto. Por isso, optaram pela repetição de materiais nos diferentes ambientes. O cimento do piso é visto em placas no painel de tevê do quarto, por exemplo. A marcenaria em tons preto, branco e amadeirado é uma escolha que aparece nas áreas sociais e íntima.

Detalhe da suíte do casal. Foto: Eduardo Macarios
Detalhe da suíte do casal. Foto: Eduardo Macarios| Eduardo Macarios

É o caso também das chapas metálicas e dos aramados, uma forte referência na decoração. A lareira, desenhada pelo escritório, ganhou a mesma trama da cozinha e da prateleira do closet. “Para a lareira, criamos um bloco em Dekton e serralheria. Ela também funciona como mesa de centro”, explica. Além disso, o móvel conversa com a poltrona redonda C-26, da OD-DO Design para Carbono Design, de São Paulo, que traz os pés em serralheria.

Área íntima

O segundo quarto deu lugar ao closet. Tanto a cabeceira da cama quanto as prateleiras do closet receberam chapas metálicas, conferindo o visual industrial e urbano da proposta. No quarto, os pontos de atenção são as telas do artista plástico André Zimmerlin e da artista e arquiteta Kalissa Pequito.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]