Toque rústico sob os pés

De madeira, porcelanato ou cerâmica, deques são soluções práticas para ambientar áreas internas e externas e cobrir tubulações

Duas propostas de deques: projeto do paisagista Wolfgang Schlögel em madeira reaproveitada de dormentes para ambiente da Artefacto Curitiba (à esq.) e proposta da Formighieri Madeiras com madeira natural (ipê) para áreas externas (nesta foto)

por Luan Galani, especial para a Gazeta do Povo

28/03/2013

compartilhe

Áreas no entorno de piscinas, banheiras, ofurôs e até de jardins, varandas e solários apresentam um duplo desafio na hora de construir e decorar: necessitam de um piso que concilie beleza e boas qualidades técnicas, como durabilidade, resistência à insolação e à umidade e sistema antiderrapante. Nestes casos, os deques – pisos normalmente elevados com função de cobrir, adornar ou esconder tubulações em áreas externas e internas – são uma boa alternativa.

“Os deques possibilitam prolongar os níveis ou formar patamares de diferentes alturas, permitindo um convívio maior com a natureza e a criação de espaços especiais e aconchegantes”, explica o paisagista Wolfgang Schlögel, que usou a estrutura em vários projetos. “E as diferentes opções de materiais disponíveis para a montagem, sejam sintéticas, mistas ou naturais, oferecem uma maior liberdade criativa na concepção dos ambientes”, completa.

O diretor comercial da For­mi­ghieri Madeiras, José Augusto Formighieri, explica que os deques podem ser encomendados sob medida, em forma de réguas convencionais, ou comprados em placas modulares (quadrados) de madeira com base de plástico, que podem ser encaixadas como em um quebra-cabeça. “Os sistemas modulares são práticos, duráveis e fáceis de montar e de limpar. O modelo foi concebido justamente para aumentar a flexibilidade e a drenagem do material”, afirma.

Nos últimos anos, a busca por alternativas mais econômicas e sustentáveis fez surgirem no mercado diversos materiais que imitam a madeira. “Entre as novas opções estão a madeira ecológica, o porcelanato e a cerâmica. Mas a madeira natural, principalmente o ipê e o cumaru, continua a ser o material mais procurado para a montagem de deques”, completa o gerente comercial da Scrock Pisos de Madeira, Luciano Lunardi.

Confira os principais materiais utilizados na construção de deques:

Opções

*Preço do metro quadrado, sem instalação

Serviço:

• Formighieri Madeiras, Rua André Zanetti, 315, Mercês, fone (41) 3342-3838.
• Scrock Pisos de Madeira, Rua Dr. Raul Carneiro Filho, 150, Água Verde, fone (41) 3338-2994.
• Wolfgang Schlögel, fone (41) 9628-8909 e e-mail wolf.projetos@gmail.com.

Madeira: o mais tradicional dos materiais, a madeira concilia beleza e conforto com durabilidade e resistên­cia, mas exige cuidados anuais com manuten­ção e imper­mea­bilização para durar anos a fio. Quando desgastada, uma simples recuperação torna o material novo. Preço médio*: de R$ 70 a R$ 250


Madeira ecológica: uma mistura de plástico reciclado com resíduos de madeira sustentável, a madeira ecoló­gica não necessita de manutenção, não solta farpas, é resistente a ataques de fungos e cupins e é 100% reciclável. Preço médio*: R$ 140 a R$ 211


Cerâmica: é similar à madeira natural, na aparência e por suas características técnicas, mas demanda menos cuida­dos com a manutenção. Apesar disso, muitas vezes exige um contrapiso na área que servirá de deque. O custo da instalação e da mão de obra podem elevar consideravel­mente os gastos. Preço médio*: R$ 200 a R$ 250


Porcelanato: a escolha deste material merece cuidado, pois nem todas as peças são indicadas para áreas úmidas. O risco de escorregar pode ser grande e ele tende a esquentar mais que o comum quando em contato com o calor do sol. São mais indicados para deques que serão mantidos secos. Preço médio*: R$ 200 a R$ 250

Receba nossas notícias por e-mail

Inscreva-se em nossas newsletters e leia em
seu e-mail os conteúdos de que você mais
gosta. É fácil e grátis.

Quero receber

Fique atento

Confira alguns cuidados na hora de escolher, instalar e conservar um deque:

• Deques não são indica – dos para áreas com tráfego de carros e outros meios de transporte, pois podem quebrar.

• Utilize apenas madeira certifi­cada, extraída de projetos de manejo ambientalmente corretos.

• Impermeabilize todas as seis faces das réguas de madeira e aplique cola especial para interior ou exterior.

• Utilize mão de obra especializada, que pode ser determinante para o bom resultado da instalação.

• Deixe um espaçamento de pelo menos 4 milímetros entre as réguas de madeira para que, quando dilatarem, não ocorra fissuras nem empenamentos.

• Faça manutenção com stein (verniz náutico) e verniz uma vez por ano, pelo menos.

8 recomendações para você