Trump quer tornar arquitetura clássica obrigatória nos novos edifícios federais dos EUA

Rascunho da ordem executiva foi batizado de "Making Federal Buildings Beautiful Again"

Detalhes do frontão clássico e da cúpula do Capitólio, em Washington, nos Estados Unidos. Foto: Bigstock

por Luan Galani

07/02/2020

compartilhe

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tomou uma decisão que mal foi anunciada e já está sendo considerada a iniciativa mais autoritária de todo seu mandato, como ressalta a revista Wired. Foi revelado no último dia 4 pela jornalista Cathleen McGuigan, editora da publicação especializada “Architectural Record”, o desejo de Trump de criar uma lei que obrigue todos os edifícios federais a serem construídos no estilo arquitetônico clássico.

O rascunho recebeu o nome oficial temporário de “Making Federal Buildings Beautiful Again” (Tornando os edifícios federais bonitos novamente, em tradução livre do inglês) e foi considerado por diversas instituições da arquitetura como uma guerra declarada à arquitetura moderna e contemporânea. Confira ao fim da matéria a íntegra do projeto de lei, obtida pelo Chicago Sun-Times.

Memorial Lincoln, em Washington, celebra o máximo da arquitetura clássica em território norte-americano. Foto: Bigstock

No rascunho, o presidente Trump elogia o Capitólio, a Casa Branca e a Suprema Corte Americana, que, para ele, são símbolos internacionais de um governo democrático, e diz preferir os “estilos gótico, colonial espanhol e outros estilos mediterrâneos encontrados na Flórida e no sudoeste americano”.

Para o presidente, edifícios construídos durante seu mandato devem transmitir dignidade, vigor e estabilidade. Bem como as reformas dos prédios já existentes.

Capitólio, em Washington, nos Estados Unidos. Foto: Bigstock

Em resposta à proposta de Trump, o Instituto Americano de Arquitetos (AIA) pediu aos seus membros que assinem uma carta aberta ao governo na qual a organização afirma ser “forte e inequivocamente” contra a mudança. “As decisões de design devem ser deixadas ao designer e à comunidade, não aos burocratas em Washington, DC”, escreveu a organização na manifestação.

“Todos os estilos arquitetônicos têm valor e todas as comunidades têm o direito de pensar nos prédios do governo, destinados à servi-las.”

Para diversos especialistas, o neoclássico se mostra um tipo de fachadismo sem autenticidade, que gosta de esbanjar uma pretensa glória, e que por isso mesmo foi escolhido pelo arquiteto oficial do nazismo, Albert Speer, para as obras de Adolf Hitler.

Até o momento, a Casa Branca não se posicionou oficialmente em relação ao assunto.

Segundo editorial do Chicago Sun-Times, essa “ordem executiva de Trump pertence à lixeira da história. Uma de mármore, com domos e colunas”.

Confira a íntegra do projeto de lei criado a pedido do presidente Donald Trump:

LEIA TAMBÉM

Opinião: construções “neoclássicas” não refletem Paris, são jogadas de marketing

160 instituições na França oferecem vagas em cursos de artes, design e arquitetura

Lobo do Batel: as opiniões polêmicas do construtor das “casas para ricaços”

Receba nossas notícias por e-mail

Inscreva-se em nossas newsletters e leia em
seu e-mail os conteúdos de que você mais
gosta. É fácil e grátis.

Quero receber

8 recomendações para você