Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Foto: Bigstock.
Foto: Bigstock.| Foto:

Quem sonha cursar Arquitetura e Urbanismo ou Engenharias terá, a partir de 2018, mais uma opção de modalidade de ensino para fazer a graduação. Unindo os ensinos presencial e a distância, a Unicesumar apresenta seu modelo Híbrido, que promete revolucionar o ensino destes cursos no país.

Lançado oficialmente durante o 23º Congresso Internacional ABED de Educação a Distância, realizado em setembro, em Foz do Iguaçu, o modelo nasce tendo como um de seus principais objetivos a melhora na qualidade da formação dos futuros arquitetos e engenheiros, como aponta Aécio Lira, coordenador do projeto Híbrido Unicesumar. Segundo ele, apenas 19% dos cerca de cinco mil cursos de Engenharia brasileiros, por exemplo, têm nota 4 ou 5 no Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes), contra os 51% com resultado 1 e 2.

Foto: Bigstock.
Foto: Bigstock.

“Os órgãos de autorização e de regulação, que são os conselhos de engenharia e arquitetura, não têm sistemas de controle que pressionem as instituições a zelar pela qualidade como objetivo intrínseco ao projeto [dos cursos]. Ou seja, eles são autorizados, o MEC [Ministério da Educação] tem algum controle, seja pelo Enade ou outros indicadores, mas eles são, no contexto do dia a dia, frouxos”, avalia o professor, que por 30 anos lecionou na Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Para dar conta desta tarefa, a universidade contou com o apoio de nomes importantes no meio acadêmico, como o engenheiro José Roberto Castilho Piquera, professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), no projeto do modelo Híbrido de ensino, desenvolvido nos últimos dois anos.

“Estamos com 32 cursos na modalidade de Educação a Distância (EAD) e passamos a discutir a possibilidade de também ofertá-la nas engenharias [e Arquitetura e Urbanismo]. Sou formado em Matemática, conheço a dificuldade dos processos construtivos da educação nessas áreas e sei que, se não tiver um pouco de presencialidade e tecnologias altamente desenvolvidas para a integração do estudante com o conhecimento não estaríamos formando bons alunos”, ressalta Wilson de Matos Silva, reitor da Unicesumar.

Híbrido

O modelo Híbrido de ensino será ofertado para seis cursos: Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Engenharia Mecatrônica e Engenharia de Produção. Neste primeiro momento, 60 polos de EAD da universidade, em 14 estados brasileiros, incluindo o Paraná, receberão as graduações. No estado, os cursos serão ofertados nos polos de Curitiba, Apucarana, Campo Mourão, Cascavel, Foz do Iguaçu e Guarapuava.

Universidade lança modelo híbrido de ensino de Arquitetura e Engenharias

Divididos em quatro módulos por ano (compostos por duas disciplinas cada e duração de dez semanas), os cursos aliam técnicas pedagógicas presenciais e a distância, o que o difere dos modelos semipresenciais, como destaca a coordenadora do curso Híbrido de Arquitetura e Urbanismo, Andréia Gonçalves.

“O modelo Híbrido vem como uma junção dos ensinos presencial e EAD. Sua grande diferença em relação ao semipresencial é que, neste, algumas disciplinas são realizadas presencialmente e outras totalmente online. No Híbrido todas as disciplinas terão momentos presenciais e online”, explica.

Assim, independentemente da disciplina que o aluno esteja cursando, ele terá que ir até o polo para realizar as atividades práticas de laboratório, estudos de casos e visitas de campo, além das provas e avaliações.

Universidade lança modelo híbrido de ensino de Arquitetura e Engenharias

A estrutura das aulas está organizada a partir do conceito de sala de aula invertida – na qual os alunos estudam o tema antes das aulas para, nelas, avançar no assunto – e de um calendário semanal composto por uma prática laboratorial, um encontro presencial da turma, uma aula ao vivo (transmitida via streaming live), três encontros com o tutor facilitador e três dias para autoestudo. “Isto faz com que o aluno passe a ser a peça central [do seu aprendizado]”, pontua Lira.

Tecnologia

Para aproximar os estudantes da realidade profissional e fazê-lo mergulhar nos estudos, a Unicesumar fez da tecnologia uma aliada dentro do modelo Híbrido de ensino. Materiais didáticos com QR Code e tecnologia de realidade aumentada fazem com que os estudantes possam ampliar o conteúdo ao que têm acesso e visualizar na tela do tablet ou do celular o funcionamento de um motor (por dentro e por fora) ou as modificações de uma planta residencial, por exemplo.

Universidade lança modelo híbrido de ensino de Arquitetura e Engenharias

“Essas ferramentas buscam não só explicar [o conteúdo] para o aluno, mas fazer com que ele seja interessante para o estudante. Por meio da gamificação e da realidade aumentada conseguimos despertar a curiosidade do aluno e quebrar possíveis barreiras iniciais”, acrescenta Andréia.

A mensalidade dos cursos híbridos, que parte dos R$ 719,10, deverá ser outro atrativo para os estudantes, uma vez que custará cerca da metade do valor da cobrada nos cursos presenciais. A primeira turma do Híbrido Unicesumar terá início em fevereiro de 2018, cujo vestibular será realizado ainda no último trimestre de 2017.

*A repórter viajou a convite da Unicesumar.

LEIA TAMBÉM

 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]