Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Daniela Busarello (insta : @danisbusa) com o designer
Philippe Starck e Dorothée Boissier, organizadora do prêmio.
Daniela Busarello (insta : @danisbusa) com o designer Philippe Starck e Dorothée Boissier, organizadora do prêmio.| Foto:

Se alguém dissesse para mim, 12 anos atrás:

“Você está escolhendo sair da sua zona de conforto, ir para outro país, fazer sua carreira lá. Vai para uma terra de muita competição, onde o mundo inteiro observa, aprende e usa como exemplo.
Onde a exigência e a excelência são primordiais. Criatividade, inovação e ser único são fundamentais. Vai! Tenta! Com todo seu empenho! Mas se prepare… pois o mais comum é não dar certo.”

Vim

Estudei Arte na École du Louvre, trabalhei no escritório de Christian de Portzamparc, abri meu escritório. Fiz acontecer projetos de arquitetura de interiores e cenografia. Clientes particulares,
multiculturais, de todos os continentes. Cassina, Louis Vuitton, Merci, Gastromotiva, Apex. Representei o escritório brasileiro fazendo palestra e contatos em dois eventos internacionais:
Mipim em Cannes [o mais importante evento do setor imobiliário mundial] e Smart Cities Barcelona [sobre inovação urbana], ambos organizados pela Apex, onde escolheram apenas 6
escritórios brasileiros para participar. Vi. Aos poucos, além da arquitetura, foi surgindo o “ser design” … e mais profundamente o “ser artista”.

Vivi

Trabalho todos os dias, me divirto todos os dias, de domingo a domingo. Meditação, esporte e leitura. Aprendo com o que os outros fazem, mas me concentro mesmo é na minha linguagem,
para criar algo único. Ser único também tem seus inconvenientes, pois você pode não estar na “referência” do público. E ele não sabe se acha estranho… ou incrível!

Venci

Até que chega um dia que você é reconhecida pelo mais exigente. Você quase pensa que está num sonho. É escolhida para apresentar sua candidatura para um júri importante e internacional:
China, França, Helsinki, Inglaterra, Líbano, Singapura, USA. Se prepara para um evento que acontece no Museu de Artes Decorativas em Paris. Frio na barriga, felicidade, tudo ao mesmo
tempo. Sorriso enorme, já estava avisada que eu era uma das 100! SIM, uma brasileira, EU, escolhida pelo conjunto do meu trabalho como um dos 100 designers que fazem a “French Touch”
no mundo internacional! Resultado, exposições, imprensa.

O FD100 é uma recompensa, mas também é uma responsabilidade. O júri destacou elegância, audácia e um senso de equilíbrio nos cerca de 500 projetos apresentados. Esses valores são nutridos
pela nossa história, formada pelas nossas escolas, acompanhada pelos nossos artesãos e pelos nossos industriais. Mas eles terão que se espalhar em um mundo de design sem fronteiras. Para acompanhar esse desenvolvimento, essa jornada sem cortar nossas raízes, o FD100 é um ponto de referência que regularmente dá uma imagem do design francês e suas evoluções visto do internacional.

É… dessa vez eu precisei me “exibir”! Estou mais do que orgulhosa de ser brasileira e de ser escolhida pela França como uma de suas representantes. Representa o meu “ser cosmopolita” e aberto às novas culturas e desafios! Vamos lá! Tem muito mais para acontecer neste 2019!

*licença poética de Nelson Rodrigues.

A vida como ela é
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]