i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Ambientes integrados

6 residências com planta aberta para otimizar espaços e privilegiar o convívio

  • PorAndrea Torrente, especial para HAUS
  • 27/02/2020 11:35
Foto: Mariana Camargo
Foto: Mariana Camargo| Foto: Mariana Camargo

Caracterizada por flexibilidade e fluidez, a solução “open space” é estética e funcional. O conceito propõe a redução do uso de divisórias e barreiras, e a junção de cômodos diversos, o que pode ser feito em pequenos apartamentos ou em mega residências.

A solução de privilegiar os espaços abertos remonta aos projetos residenciais de Frank Lloyd Wright (1867-1959) no começo do século 20, quando os ambientes de estar e jantar começaram a se integrar. Na Europa, o franco-suíço Le Corbusier (1887-1965) foi quem estabeleceu os cinco pontos da arquitetura a partir da “planta livre”. Apesar dos grandes exemplos modernos, os ambientes integrados demoraram décadas para se popularizarem.

A integração entre living, sala de jantar e cozinha é a solução mais popular quando pensamos em espaços contínuos. Por aqui, a tendência que chegou há pouco mais de duas décadas, hoje traz também propostas que fogem do tradicional. Um exemplo é a derrubada das paredes de living, varanda, terraço e jardim, abrindo novas possibilidades criativas de convívio.

Cozinha, espaço gourmet e living integrados proporcionam ambiente acolhedor e amplo para receber familiares e amigos em projeto de Juliana Meda, em Porecatu, no norte do Paraná. Foto: Fábio Pitrez
Cozinha, espaço gourmet e living integrados proporcionam ambiente acolhedor e amplo para receber familiares e amigos em projeto de Juliana Meda, em Porecatu, no norte do Paraná. Foto: Fábio Pitrez

Já os projetos mais ousados apostam em soluções que unificam as áreas social e íntima, o que possibilita um melhor aproveitamento de espaço em ambientes menores. “A dimensão do apartamento não é o único critério a ser levado em conta antes de se escolher uma planta aberta. Mais importante é que o conceito seja relacionado ao estilo de vida dos moradores. Fazer uma leitura da vida do cliente é mais importante que o tipo de imóvel”, afirma Antonio Carlos Figueira de Mello, sócio do Superlimão.

Para a professora de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e sócia fundadora do escritório Saboia+Ruiz Arquitetos, Thais Saboia Martins, os espaços abertos são uma forma de compensar o pouco tempo que dedicamos à família.“Quando estamos em casa, vale a pena estarmos realmente juntos”.

Iluminação e ventilação

Optar por uma moradia integrada não significa necessariamente abrir mão de organização e silêncio, mas demanda um acordo tácito no uso compartilhado dos espaços. Do ponto de vista funcional, espaços integrados multiplicam a luminosidade – o que pode deixar a casa mais aquecida num dia ensolarado de inverno –, e facilitam a ventilação cruzada, permitindo ambientes mais frescos no verão.

 Com a derrubada da parede que separava a cozinha da varanda, o  apartamento ganhou amplitude. O projeto é de  Rua 141 + Rafael Zalc.  Foto: Nathalie Artaxo
Com a derrubada da parede que separava a cozinha da varanda, o apartamento ganhou amplitude. O projeto é de Rua 141 + Rafael Zalc. Foto: Nathalie Artaxo | Nathalie Artaxo

“A meu ver se ganha sobretudo em espacialidade, na qualidade do espaço”, explica Thais. “Os ambientes se ampliam, o exterior se funde com o interior, as pessoas se movimentam livremente, os mobiliários ou os nichos baixos podem configurar espaços mais reservados ao se eliminar as barreiras tradicionais, como paredes e portas.”

Mesmo que a opção de integrar a residência inteira seja fascinante, é importante também prever a possibilidade de isolar alguns espaços, mesmo que temporariamente. “É interessante trabalhar com portas camarão, de correr, ou divisórias”, recomenda a arquiteta Eliza Schuschovski, da SCK Arquitetura. A seguir, você confere projetos com plantas abertas que vão desde uma grande casa na represa a soluções urbanas e compactas.

Terraço integrado

Foto: Nathalie Artaxo
Foto: Nathalie Artaxo

Para atender ao estilo de vida da moradora, uma jovem paulistana de 30 anos, e otimizar ao máximo os 70 m² do imóvel, o projeto assinado pelo Rua 141 + Rafael Zalc integrou a cozinha à área social e ao terraço.

A reforma contou com outra mudança na cozinha e lavanderia. “Como estas áreas eram bem reduzidas, propusemos a integração com o living para aumentar a entrada de iluminação natural e ventilação. Essa conexão entre os ambientes ocorre através da bancada linear de concreto aparente, que inicia no hall de entrada”, explica a arquiteta e sócia do Rua 141, Mona Singal.

A decoração apostou em materiais rústicos e artesanais, com diferentes cores e texturas. O ladrilho hidráulico, que é um material antigo, foi proposto no piso dos banheiros e na cozinha com desenho contemporâneo, apenas com linhas e tons pastel. A estante projetada no living, que conta com uma porta de correr, dá acesso à área íntima. No terraço, onde já havia uma área para plantio com sistema de drenagem instalado, o cantinho foi aproveitado para o cultivo de algumas espécies.

Cozinha aberta possibilita melhor aproveitamento de espaço em apartamento de 70 m².  Foto: Nathalie Artaxo
Cozinha aberta possibilita melhor aproveitamento de espaço em apartamento de 70 m². Foto: Nathalie Artaxo | Nathalie Artaxo

Loft com vista

Pensado para um jovem solteiro, com perfil moderno e descontraído, esse loft de 50 m² localizado no centro de São Paulo aproveita os painéis de vidro em toda sua extensão, com luz abundante e vista para o verde das copas das árvores, para trazer o clima da cidade para dentro do imóvel.

Sala aberta para a varanda traz luz abundante e vista para as copas das árvores. Foto: Escanhuela Fotografias
Sala aberta para a varanda traz luz abundante e vista para as copas das árvores. Foto: Escanhuela Fotografias| ADRIANO ESCANHUELA

“Integrando cozinha e sala, o tamanho do apartamento ficou com um espaço bem interessante”, destaca Antonio Carlos Figueira de Mello, sócio do Superlimão. Um armário em marcenaria e uma porta de correr dividem o quarto e a sala. “Assim dá para fechar a bagunça no quarto, receber visitas na sala e comer na sacada”, sugere.

A decoração da sala priorizou elementos neutros, concreto aparente e aço, e procurou liberar a circulação para a varanda. As prateleiras se apoiam sobre vigas de concreto e, para aproveitar ao máximo o espaço, a máquina de lavar foi instalada no closet.

 Armário e porta de correr dividem quarto e sala em estúdio.  Foto: Escanhuela Fotografias
Armário e porta de correr dividem quarto e sala em estúdio. Foto: Escanhuela Fotografias | ADRIANO ESCANHUELA
 Cozinha, sala e quarto integrados multiplicam o espaço em estúdio de 50 m².  Foto: Escanhuela Fotografias
Cozinha, sala e quarto integrados multiplicam o espaço em estúdio de 50 m². Foto: Escanhuela Fotografias | ADRIANO ESCANHUELA

Da sala à varanda

O apartamento de 135 m² em bairro nobre de São Paulo foi reformado com o intuito de integrar a sala à varanda para aproveitar ao máximo a espacialidade dos ambientes. A varanda foi decorada com uma parede verde que traz uma pitada de jardim para dentro de casa.

 Integração entre sala e varanda trouxe espaço e aconchego ao ambiente social desse apartamento de 135 m² . Foto: Mariana Camargo
Integração entre sala e varanda trouxe espaço e aconchego ao ambiente social desse apartamento de 135 m² . Foto: Mariana Camargo | Mariana Camargo

“Graças à integração, temos uma ventilação cruzada que deixa o apartamento mais fresco, uma multiplicação da luz e uma sensação espacial aumentada”, avalia o arquiteto Fernando Forte, do escritório paulistano FGMF Arquitetos. A cozinha foi mantida separada por escolha dos moradores, um casal com dois filhos e um terceiro a caminho. “Eles precisam de uma cozinha a todo vapor para preparar comida para as crianças”, diz Forte.

Para o projeto de interiores, a base cinza do tipo cimentícia foi usada na maior parte dos revestimentos, com acréscimo de forros e painéis em madeira, que dão um toque atemporal e trazem calor. Alguns móveis, como os sofás dos dois lados, a mesa de centro e a estante da sala foram desenhados pelo escritório. O quarto das crianças foi reformado de modo a criar uma interligação que leva ao “quarto da bagunça”, um closet que serve também como espaço para brincar e que pode ser alcançado também engatinhando.

Multiplicação da luz e sensação espacial aumentada no living. Foto: Mariana Camargo
Multiplicação da luz e sensação espacial aumentada no living. Foto: Mariana Camargo| Mariana Camargo

À beira do lago

A imensidão azul da represa pode ser vista de todos os ambientes que compõem a área social dessa casa localizada em Porecatu, no Norte do Paraná. Integrados, o living e a área gourmet criam um espaço de convivência que se abre para a varanda, que dá acesso à piscina.

“Quando a piscina está longe da vista não dá vontade de entrar, por isso optamos que ela seja percebida de todos os cômodos. E a cozinha aberta facilita a conversação com familiares e amigos”, explica a arquiteta Juliana Meda.

Espaço de convivência se abre para a varanda e piscina à beira do lago. Foto: Fábio Pitrez
Espaço de convivência se abre para a varanda e piscina à beira do lago. Foto: Fábio Pitrez

A casa, usada por um casal com três filhos nos fins de semana, tem estilo contemporâneo, linhas retas e visual limpo. O amplo living é pensado para reuniões de família e churrascos com os amigos. Longos panos de vidro permitem que a luz natural entre por todos os lados.

A obra foi econômica e rápida, desde o aproveitamento do terreno até a padronização e aproveitamento dos materiais utilizados. O terreno foi mantido no original e a casa se apóia sobre pilares metálicos, para economizar nos custos de nivelamento e para manter a circulação de ar e evitar a acumulação de umidade, já que a estrutura é metálica.

A madeira usada no piso, no teto e em outros elementos decorativos foi escolhida por conversar muito com bem com o metal e pela praticidade na limpeza, numa superfície total de 350 m².

Cozinha, espaço gourmet e living integrados proporcionam ambiente acolhedor e amplo para receber familiares e amigos.  Foto: Fábio Pitrez
Cozinha, espaço gourmet e living integrados proporcionam ambiente acolhedor e amplo para receber familiares e amigos. Foto: Fábio Pitrez

Cozinha aberta

Moradia de um casal de aposentados, o apartamento de 180 m² com vista privilegiada para uma praça em bairro nobre de Curitiba tem uma integração total da cozinha com à área da TV, a poltrona de leitura, a sala de jantar e o espaço gourmet.

Cozinha, área da TV, espaço de leitura, sala de jantar e espaço gourmet foram projetados sem divisórias. Foto: Eduardo Macarios
Cozinha, área da TV, espaço de leitura, sala de jantar e espaço gourmet foram projetados sem divisórias. Foto: Eduardo Macarios| Eduardo Macarios

“O casal queria espaços bem integrados, possibilitando o convívio de quem está na cozinha com quem está na sala”, conta a arquiteta Eliza Schuschovski. Por isso a cozinha, antes isolada por uma parede, foi integrada à área social. Para criar contraste entre os ambientes claros, a cozinha se apresenta como um bloco escuro. O uso do verde floresta na bancada e da laca metalizada cobre na louçaria se tornaram mais um ponto de destaque no ambiente.

Espaços integrados facilitam o convívio entre moradores.  Foto: Eduardo Macarios
Espaços integrados facilitam o convívio entre moradores. Foto: Eduardo Macarios | Eduardo Macarios

O piso porcelanato tem acabamento padrão concreto e as paredes brancas dão relevância para o forro em freijó, que traz conforto e aquece o ambiente, sem perder a essência minimalista do casal. Decoram os ambientes itens de design brasileiro, como a Poltrona Mole, de Sérgio Rodrigues, o Cabideiro Stand By, assinado por Claudia Moreira Salles, além das diversas peças da Sollos, por Jader Almeida.

Sala de estar se une à sala de jantar, que se apresenta como parte da cozinha, em grande apartamento.  Foto: Eduardo Macarios
Sala de estar se une à sala de jantar, que se apresenta como parte da cozinha, em grande apartamento. Foto: Eduardo Macarios | Eduardo Macarios
Pequeno cantinho para permanência e refeições rápidas. Foto: Eduardo Macarios
Pequeno cantinho para permanência e refeições rápidas. Foto: Eduardo Macarios
Detalhe da área social e do hall. Foto: Eduardo Macarios
Detalhe da área social e do hall. Foto: Eduardo Macarios

Passar as férias juntos

Destaque na sala é a estante que atravessa o espaço de ponta a ponta: começa na cozinha, se transforma em solução para acomodar a TV e vira um armário no quarto. “O espaço original era um retângulo sem nada: a primeira solução foi criar a integração entre os ambientes; a segunda foi apostar num sofá modular que se transforma em duas camas de solteiros”, detalha Ana Carolina Boscardin, que assina o projeto com Edgard Corsi e Fernanda Staut, do Studio Boscardin.corsi Arquitetura.

Cozinha, sala de estar e quarto em espaço único, porém delimitado. Foto: Eduardo Macarios
Cozinha, sala de estar e quarto em espaço único, porém delimitado. Foto: Eduardo Macarios

Um casal com duas filhas optou por um apartamento de 60 m² totalmente integrado para passar as férias juntos em Florianópolis. Apenas o banheiro e a lavanderia ficaram fechados. Cozinha e sala são separadas do quarto de dormir apenas por uma porta de correr que pode ser escancarada e revelar um ambiente único.

Ana Carolina vê uma tendência crescente dos projetos “open space”. “As metragens são cada vez menores e já se foi o tempo em que as plantas eram compartimentadas. Os espaços vão ficar cada vez menos ociosos e, para isso, têm que estarem integrados”, defende.

Porta envidraçada pode isolar área íntima quando os proprietários quiserem. Foto: Eduardo Macarios
Porta envidraçada pode isolar área íntima quando os proprietários quiserem. Foto: Eduardo Macarios| Eduardo Macarios
Detalhe da cozinha e da ilha americana, que mistura cinza, textura de cimento queimado e madeira. Foto: Eduardo Macarios
Detalhe da cozinha e da ilha americana, que mistura cinza, textura de cimento queimado e madeira. Foto: Eduardo Macarios
Armários dois em um: pia e TV lado a lado. Foto: Eduardo Macarios
Armários dois em um: pia e TV lado a lado. Foto: Eduardo Macarios
Conteúdo editado por:Luan Galani
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.