Casa em Pato Branco foi projetada por Barbara Becker para casal que recentemente decidiu parar com as atividades de trabalho e procuravam uma casa com foco no social e na contemplação da natureza. Fotos: Estudiograma/Divulgação
Casa em Pato Branco foi projetada por Barbara Becker para casal que recentemente decidiu parar com as atividades de trabalho e procuravam uma casa com foco no social e na contemplação da natureza. Fotos: Estudiograma/Divulgação| Foto:

Um casal de Pato Branco, no interior do Paraná, resolveu mudar de vida. Com os filhos adultos já fora do ninho, a dupla decidiu parar de trabalhar e inaugurar uma nova casa para o novo momento do casal.

O desafio coube à arquiteta Barbara Becker, que voltou recentemente de uma temporada em Nova York.

O projeto cheio de linhas paralelas na fachada tem uma linguagem arquitetônica moderna inconfundível e reflete o estilo recém adotado pelos proprietários: uma vida mais contemplativa e simultaneamente com maior atividade social.

Casa flutuante prioriza a contemplação da natureza e atividades sociaisCasa flutuante prioriza a contemplação da natureza e atividades sociais

A arquiteta concebeu dois volumes distintos, correspondentes aos espaços sociais e privados, que se interceptam para formar o todo.

O grande protagonista da casa é a área social integrada: sala, cozinha e jantar. Todos os dias o pôr do sol invade os espaços de encontro, convidando os habitantes e seus convidados à contemplação da cidade e da natureza.

A vista acaba por expandir a sala ao horizonte.

Casa flutuante prioriza a contemplação da natureza e atividades sociais

“A topografia acentuada do terreno, que descende a partir da rua, permitiu que eu deixasse a vista da cidade ao fundo e o jardim em primeiro plano”, clarifica Barbara.

O projeto batizado de Casa da Vista tem 326 m² em um terreno de 600 m².

A laje em concreto aparente que revela a textura da madeira do molde e o ladrilho hidráulico do piso valorizam o modo ainda artesanal de construção no Brasil.

Foto: Estudiograma/Divulgação
Foto: Estudiograma/Divulgação

O hall de entrada articula a circulação para as 3 áreas: o íntimo com os quartos, o social com a sala e cozinha, e o nível inferior do jardim com espaço para festas.

Casa flutuante prioriza a contemplação da natureza e atividades sociais

O paisagismo do jardim teve foco na reestruturação ecológica do terreno. Com plantas nativas, espera-se que as árvores de médio porte plantadas criem uma nova dinâmica com o espaço interno que terá relação direta com as copas. O jardim é regado com uma cisterna de água da chuva captada da cobertura.

Casa flutuante prioriza a contemplação da natureza e atividades sociais

A paleta de cores é bem neutra, oscilando do branco ao concreto aparente, com algumas intervenções em tons mais fortes e deixando a evidência para a madeira do mobiliário e a cerâmica de alguns revestimentos.

Casa flutuante prioriza a contemplação da natureza e atividades sociais

“A casa muda muito de cor durante o dia. Com a luz da manhã é branca gelo. Mas com o pôr do sol é como se transformasse em tons mais quentes. Toda essa dinâmica só é possível porque o cinza e o branco permitem esse jogo natural”, explica a arquiteta.

Casa flutuante prioriza a contemplação da natureza e atividades sociais

O mobiliário escolhido é de madeira maciça de jequitibá feita por artesão local e o fogão à lenha foi produzido no Rio Grande do Sul (de onde a família é originária), que se tornam o elemento central onde os encontros acontecem.

Casa flutuante prioriza a contemplação da natureza e atividades sociaisCasa flutuante prioriza a contemplação da natureza e atividades sociais

LEIA TAMBÉM

Paris anuncia longa reforma e modernização na Torre Eiffel

Técnica propõe construção de edifícios “vivos” usando processos naturais

Netflix estreia série documental sobre o poder do design

Arquiteta curitibana propõe nova solução para conjuntos habitacionais de Manhattan

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]