Escritório criativo une arte e design no ambiente de trabalho

Projeto assinado pela arquiteta Sharise Gulin usa design e iluminação para criar ambientes incomuns

Fotos: Jonathan Campos/Gazeta do Povo

por Luciane Belin*

09/05/2019

compartilhe

Descontração é palavra-chave no redesenho dos espaços corporativos contemporâneos. A ordem quando se trata de trabalho é elaborar espaços que, cada vez mais, fujam do convencional e não se pareçam em nada com uma repartição profissional.

O pedido para que “o escritório não tenha cara de escritório” costuma partir, inclusive, dos próprios clientes, que desejam um projeto que reflita a identidade da empresa e contribua para um cotidiano com qualidade de vida.

Foto: Jonathan Campos

A ideia geral é que o espaço físico se reflete no estímulo mental e deve funcionar transmitindo determinadas mensagens aos funcionários, conforme explica a arquiteta Sharise Gulin. “Os ambientes são projetados para estimular a equipe a alcançar os objetivos da empresa. A ideia foi tornar os espaços agradáveis de maneira a propiciar conexão, criatividade, produtividade e prosperidade. Imaginamos espaços fluidos onde todos os ambientes se conectam física ou visualmente, preservando, entretanto, o conforto acústico, essencial para o trabalho”.

Foto: Jonathan Campos

Foi essa perspectiva que norteou a Sharise Gulin Arquitetura na elaboração de um amplo espaço dedicado ao escritório de uma empresa de holding, em que o desafio de criar uma composição com móveis do acervo da empresa e peças de arte, visando o futuro dos negócios da companhia.

Foto: Jonathan Campos

Itens como a “cristaleira da avó”, o aparador de tronco de madeira maciça, as cadeiras “da casa da mãe”, o recamier, a mesa de mármore e o sofá da “casa da chácara” são alguns exemplos de resgates feitos pela arquiteta, que dialogam com novidades de design como a poltrona Grand Repos, do designer Antonio Citterio, a SPUN Chair, criada por Thomas Heatherwick, e a cadeira Sayl, com design de Yves Béhar.

Foto: Jonathan Campos

Criadas especialmente para o projeto, uma mesa em Corian retroiluminado se destaca na sala da diretoria, enquanto um painel 3D vazado proporciona o charme e personalidade da sala de reuniões. No hall de entrada, um biombo em fibra ótica chama a atenção, assim como os arquivos em vidro colorido sob as janelas.

Foto: Jonathan Campos

A arte nas mais diferentes formas, como grafite, pinturas e esculturas, está em todos os ambientes da empresa, que ocupa os dois últimos pavimentos de um edifício corporativo.

No jardim, sofá e poltronas Bubble Club trazem o design de Philippe Starck para um espaço voltado à descontração dos visitantes e funcionários.

Foto: Jonathan Campos

“No pavimento superior existe um jardim contemplativo. Criamos uma área de reuniões informais em um deck suspenso.Sintetizam-se ali os benefícios e o bem-estar que o contato com a natureza e a arte trazem para o ambiente corporativo, resultando em retenção de talentos e produtividade”, diz Sharise.

*Especial para HAUS.

LEIA TAMBÉM:

Curitiba ganha nova loja de decoração com peças de design assinadas por artistas brasileiros

Arquitetos e designers premiados vão discutir processos criativos em bate-papo gratuito

 

Receba nossas notícias por e-mail

Inscreva-se em nossas newsletters e leia em
seu e-mail os conteúdos de que você mais
gosta. É fácil e grátis.

Quero receber

8 recomendações para você