Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Mesa centro
| Foto: Divulgação

Sejam centrais ou laterais, discretas ou extravagantes, as mesas de apoio unem utilidade, versatilidade e design. Mas para escolher a peça ideal para o seu ambiente, algumas dicas podem ser valiosas — especialmente para quem não dispõe de muito espaço.

Mesas laterais
Para criar dinâmica, as mesas laterais podem ser combinadas com peças do mesmo modelo, mas em tamanhos diferentes; ou peças de diferentes formatos.| Eduardo Macarios

No caso da mesa de centro, a primeira informação que você deve ter em mente na hora de escolher uma peça é o espaço de circulação. A arquiteta e proprietária da Oslo, Cláudia Guimarães da Costa, aponta que é necessário haver no mínimo 60 cm ao redor da mesa para que ela não interfira no fluxo de pessoas.

Neste sentido, o próprio formato da mesa pode auxiliar, conforme explica o designer e arquiteto Leandro Garcia. “As mesas circulares, por exemplo, favorecem a circulação, sugerem maior fluidez e espaços mais dinâmicos. Já as retangulares e quadradas são mais estáticas e fortalecem a relação com as demais peças de mobiliário no mesmo ambiente.”

Outra coisa que deve estar no topo das suas prioridades é pensar em quais serão os usos dessa mobília. Se a família costuma usar a mesa central para o apoio de copos, por exemplo, talvez a madeira não seja o material ideal para esse ambiente. Se desejar usá-la como apoio para os pés, é possível cogitar opções que comportem essa função, como o caso das mesas retráteis.

Para quem é mais ousado, é possível escolher modelos inovadores, que lembram verdadeiras esculturas. É o caso do conjunto de mesas central e lateral criado pela Oslo em parceria com Marcelo Stefanovicz, artista multidisciplinar e designer. Sua base é completamente feita com baquetas, instrumento que auxilia a percussão na bateria, e o tampo é de vidro, o que valoriza a estrutura e os detalhes da peça. Além disso, o tampo de vidro também pode ser uma solução encontrada para não dispensar as mesinhas em espaços pequenos, como aponta Garcia. “Ela tende a ter uma aparência mais leve e parecer ocupar menos espaço devido à transparência do vidro”.

Mesa Oslo e Marcelo Stefanovicz
A base da mesa é completamente feita com baquetas de bateria. O tampo em vidro valoriza a estrutura dessa peça escultural. | Marcelo Stefanovicz/Divulgação

Mesas laterais

Para espaços reduzidos, em que a versatilidade é a palavra de ordem, as mesas laterais são verdadeiras aliadas. Garcia sugere o uso de peças multiuso, como banquinhos que em momentos diferentes servem de mesa lateral e assento. O conceito de versatilidade também impera nas opções retráteis, como uma mesa que comporta outras mesas menores embaixo, e podem ser utilizadas caso você receba convidados, por exemplo.

Mas para além da sala de estar, onde costumam figurar com mais frequência, as mesas laterais podem ser usadas de forma criativa em qualquer espaço. A mesa de apoio Fita, assinada por Garcia, é um exemplo: “ela pode ser usada desde apoio, ‘encaixada’ a um sofá, até como apoio para banheira em sala de banho, onde já vimos a própria alça ser utilizada como pendurador para toalhas pequenas”, comenta o designer e arquiteto.

No quarto, as mesinhas laterais podem estar presentes em pequenas áreas de lazer ou, ainda, servir de mesa de cabeceira, bastando atentar-se para o encaixe entre o modelo e o espaço disponível. Cláudia, da Oslo, sugere ainda fazer combinações que brinquem com a altura das mesas para criar um móvel exclusivo e dinâmico. A mesma ideia vale para as mesas de centro: “Eu gosto de fazer um mix, às vezes de dois modelos diferentes, para criar um movimento, não ficar aquela coisa estática”, aponta.

Ambiente externo

As mesas destinadas à área externa precisam de uma atenção especial. Mesas de plástico, alumínio e inox são mais resistentes às intempéries, mas outros materiais demandam que as mesas tenham um acabamento pensado para este contexto. Existem madeiras naturalmente mais resistentes, mas o ideal é que sejam tratadas, para aumentar ainda mais a longevidade. “É o tratamento que faz a diferença. Não adianta deixar uma mesa de área interna na área externa, mesmo que seja na varanda. Pegando sol, ela acaba estragando”, aponta Costa.

Para se inspirar, confira uma seleção de mesas centrais e laterais de diversos estilos.

Mesa Trio

Mesa trio
| Divulgação

A simplicidade, o foco na utilidade e o uso da madeira são algumas das principais características dos móveis assinados pelo time da Oslo Design. No caso da mesa lateral TRIO, a inspiração vem do design modernista e nórdico. Bastante leve, a peça tem 71 cm de largura, 51 cm de altura e 71 cm de profundidade — indicada, portanto, para quem tem espaços maiores. “Dizemos que a mesa TRIO é escultórica, parece uma esculturinha”, comenta Cláudia Guimarães da Costa, uma das arquitetas que projetou a peça.

Mesa centro C41

Mesa centro
| Divulgação

Esta mesa de centro assinada por Marcus Ferreira é um exemplo para quem busca ousar no design. Feita em estrutura de aço carbono com pintura eletrostática, ela é completamente vazada, o que permite dar asas à criatividade. Para apoiar objetos, demanda um tampo de madeira, mármore, vidro, livros ou bandejas de apoio, por exemplo. Mas o tampo não precisa cobrir toda a peça: uma área pode ficar destampada, o que permite que uma planta seja instalada em seu interior e tenha espaço para crescer acima da altura da mesa, passando pelos vãos da mesa-escultura.

Mesa Toco

| Ricardo Perini

Assinada pelo escritório Leandro Garcia, o ponto de partida para a criação da peça foi a constatação de que a maior parte das mesas de centro têm diâmetro acima de 80 cm. Assim, a mesa mais baixa deste modelo tem 60 cm de diâmetro e funciona tanto como mesa lateral para espaço maiores, quanto mesa de centro para pequenos espaços. São três tamanhos disponíveis, que podem ser usados separadamente ou em uma composição. Seus pés em formato cilíndrico trazem tonalidades diferentes de madeira. A conexão entre o tampo e os pés fica por conta de espaçadores e botões metálicos.

Mesa Pietra Palermo

| Eduardo Macarios

A peça é inspirada no bairro de Palermo, em Buenos Aires. Projetada pela equipe Oslo, tem base em madeira maciça torneada e bandeja em pietra fina na cor Branco Paraná. A peça é produzida em dois tamanhos: P, com diâmetro de 44 cm e 55 cm de altura; e G, com diâmetro de 54 cm e 60 cm de altura. À exemplo da foto que abre essa matéria, é possível criar combinações com as duas peças, conferindo dinâmica a partir das diferentes alturas.

Mesa Fita

| Ricardo Perini

Ideal para espaços reduzidos, a mesa de apoio Fita, de Leandro Garcia, foi pensada para encaixar em outras peças, como um sofá. Em dois modelos, a linha é produzida com diferentes materiais: no caso da peça quadrada, mármore negro e latão; já aquela arredondada, cumaru com aço inox. Pode ser usada em ambientes diversos, incluindo o banheiro, onde serve de suporte para a banheira; ou no quarto, como apoio.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]