Cristaleiras-decoração
Neste projeto, a arquiteta Cristiane Schiavoni deu destaque para a cristaleira, que tinha um valor sentimental para a família.| Foto: Carlos Piratininga/Divulgação

A vida da professora de geografia Pri Almeida, 37 anos, mudou completamente no último ano: moradora da zona oeste do Rio de Janeiro, já tinha vivido em uma casa e em um apartamento amplo na região, mas necessitava de algo mais central por conta do trabalho. Mudou-se então para um apartamento de pouco mais de 50 m² no bairro do Flamengo, e precisou enxugar a decoração. Mas tem um móvel que, mesmo ocupando muito espaço, a professora fez questão de manter: a cristaleira, que ela acomoda em um canto da sala.

| Priscila Almeida/Arquivo pessoal

Pri, que divide suas ideias de decoração no @ape_perdido_na_cidade, é uma fã do móvel que deixou o status daquele armário antigo de "casa de vó" para se tornar um protagonista na decoração, a exemplo do apartamento da professora, que divide o espaço com o marido e dois gatos. "Eu preferi deixar a sala apertada do que me desfazer dela, que é um móvel que remete ao antigo e ao mesmo tempo é super moderno", fala.

A arquiteta Cristiane Schiavoni, à frente do escritório que leva o seu nome, costuma empregar bastante a cristaleira em seus projetos, principalmente por conta da funcionalidade. "A peça é uma forma organizada de deixar tudo mais acessível no setor social da casa", fala.

Cristaleira também pode ser ponto de cor na decoração mais neutra. Foto: Carlos Piratininga/Divulgação
Cristaleira também pode ser ponto de cor na decoração mais neutra. Foto: Carlos Piratininga/Divulgação

Outro aspecto positivo do móvel, pontua Pri Almeida, é a versatilidade e a proteção dos objetos. "Eu gosto de ter um cantinho do café e queria deixar isso mais visível. Na cristaleira consigo mostrar sem que acumule muita poeira e sujeira. E eu também posso, quando quiser mudar a decoração, usar ela como um armário para livros, por exemplo".

A professora Pri Almeida na sala de seu apartamento, no bairro do Flamengo. Foto: Pri Almeida/Arquivo pessoal
A professora Pri Almeida na sala de seu apartamento, no bairro do Flamengo. Foto: Pri Almeida/Arquivo pessoal

Segundo a arquiteta Cristiane, é essencial saber arrumar os itens dentro da cristaleira: nada de deixar tudo "jogado"ou sem um padrão de organização. Busque enaltecer os objetos que mais agradam e com memória afetiva.

Na hora de comprar o móvel, fala a arquiteta, é ideal medir o espaço para que ela comporte os itens da casa sem ficar "amontoada" com outros mobiliários - sala de jantar, estar e varanda que conte com espaço para cozinhar e receber são alguns dos cômodos que melhor comportam a cristaleira. A cozinha também é um bom local, ainda mais se for mais ampla.

Em modelos de cristaleira sob medida, Cristiane explica que é possível criar vãos com alturas diferentes, para otimizar os espaços.

A arquiteta Cristiane Schiavoni aproveitou o recuo para instalar uma cristaleira, aproveitando melhor o espaço. Foto: Raul Fonseca/Divulgação<br />
A arquiteta Cristiane Schiavoni aproveitou o recuo para instalar uma cristaleira, aproveitando melhor o espaço. Foto: Raul Fonseca/Divulgação

No mercado não faltam opções, mas quem gosta de algo mais vintage pode garimpar cristaleiras em antiquários. Só se atente, alerta Cristiane, para o estado de conservação e o vidro da porta - certifique-se que o material seja de cristal, e não de vidro comum. Não esqueça de checar se não há infestação de cupins, o que pode tornar o garimpo uma dor de cabeça.

Conteúdo editado por:Luan Galani
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]