Café e literatura: dupla consagrada

Design, uma boa dose de charme e aconchego aparecem juntos em espaços que agregam café, prosa e verso

Quintana Café & Restaurante. Fotos: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

por Geanine Ditzel

22/04/2015

compartilhe

Tem coisa que combina mais que café+livro? A dinâmica dessa dupla dá tão certo que diversos cafés da cidade resolveram reservar um cantinho ou várias paredes para uma biblioteca completa. Aí é aquela história: cada página lida, um gole da bebida. E cada um deles aproveita o clima para brincar com a decoração do ambiente. Uns priorizam as prateleiras com mais títulos, outros estampam referências da bebida, investem em décor supercontemporâneo e ainda há os que se deleitam com a pegada vintage. “No imaginário comum, os espaços com café e literatura requerem ambientes adequados à introspecção, ao relaxamento e, ao mesmo tempo, à sociabilização, sugerindo ambientes confortáveis, acima de tudo”, afirma a arquiteta Silvana Laynes de Castro.

Para a arquiteta, os projetos normalmente consideram elementos que levam as pessoas a permanecer mais tempo no local. É o chamado “conforto ambiental”, que se conquista pela ergonomia, forma, dimensionamento, materiais (texturas e cores), iluminação e a qualidade do ar, entre outros elementos. Mas há outros fatores que contribuem para que o espaço do cafezinho se torne agradável e atrativo. “Controle da luz, temperatura ambiente, acústica e olfato são alguns deles. Não é à toa que os italianos usam aromatizadores de ‘pão fresco saindo do forno’ ou ‘panetone’ em alguns estabelecimentos onde se comercializam esses produtos .”

O poeta Jorge Luis Borges costumava dizer que o paraíso deveria ser “uma espécie de livraria”. E se ele vier acompanhado de uma xícara de café quentinho, então… Conheça alguns desses “paraísos” espalhados por aí.

QUINTANA CAFÉ & RESTAURANTE

quintana2

Fotos e frases do poeta Mario Quintana estão por toda parte e dividem espaço com obras de artistas plásticos e uma biblioteca. Os livros ficam sobre as mesas ou balaios espalhados pelo jardim. “Literatura e café é um casamento perfeito. ‘O café é intelectual. O chá, espiritual’”, diz a proprietária Gabriela Carvalho, em referência ao poeta.

quintana3

O jardim multicolorido do Quintana é um show à parte, com flores, temperos, árvores frutíferas em plena Avenida do Batel, no coração da capital

BELLO CAFÉ

smith-prd-meth01-tom_rpc_intraCANTBZZQ

Livros e café especiais decoram as prateleiras e compõem o cenário que tem um quê nostálgico. Mas basta sentar-se para apaixonar-se pelos detalhes. Um tarro de leite é usado como base de uma das mesas, feitas de peroba rosa de demolição, e o que antes era um cocho virou banco

Bello Caffè

Aqui, as cadeiras escolares podem ser usadas para jogar conversa fora. A mesa de tronco apoia uma boa xícara de café e bons títulos literários

A antiga pia de ferro foi pintada de rosa e ganhou um cantinho especial no café

A antiga pia de ferro foi pintada de rosa e ganhou um cantinho especial no café

LIVRARIA DA VILA E SANTO GRÃO

Livraria da Vila e Santo Grão: a arquitetura da loja, teatro e café leva a assinatura do arquiteto Isay Weinfeld. As pessoas circulam, entre livros e café. Se quiser um pouco mais de privacidade vá até a varanda e espere o pôr do sol. Por ali, escultura suspensa  do arquiteto francês Jean Jacques Sendra. Fotos: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

A arquitetura da loja, teatro e café leva a assinatura de ninguém menos que Isay Weinfeld, famoso por projetar os hotéis do Grupo Fasano e a Boate Disco. A autoria do décor dá o tom da obra, clássica, confortável e aconchegante. As mesas e cadeiras de madeira do Santo Grão ficam dispostas em frente ao balcão gourmet, e por ali que crianças, jovens e adultos circulam, entre livros e café, em uma interação interessante entre leitura, bate papo e gastronomia. Se quiser um pouco mais de privacidade vá até a varanda e espere o pôr do sol, espetacular segundo Fernando Dourado, um dos sócios da casa

Aproveite para se encantar com a brise de madeira que o arquiteto francês Jean Jacques Sendra desenhou em um único dia de visita à loja, e que fica suspensa no teto. As velas (de veleiros de competição) dispostas sobre a brise foram ideia do fundador do Santo Grão, o neozelandês Marco Kerkmeester, em uma referência forte à sua terra natal. Funcionais, controlam a acústica, protegem do sol e mantêm a temperatura do ar condicionado

Aproveite para se encantar com a brise de madeira que o arquiteto francês Jean Jacques Sendra desenhou em um único dia de visita à loja, e que fica suspensa no teto. As velas (de veleiros de competição) dispostas sobre a brise foram ideia do fundador do Santo Grão, o neozelandês Marco Kerkmeester, em uma referência forte à sua terra natal. Funcionais, controlam a acústica, protegem do sol e mantêm a temperatura do ar condicionado

smith-prd-meth01-tom_rpc_intraCACNCTWI

Atrás do balcão do Santo Grão

LE MUNDI LIVROTECA E CAFÉ

smith-prd-meth01-tom_rpc_intraCA991DBA

Prepare-se para entrar e viajar! Na decoração um pouquinho do olhar da proprietária, Wilmarise Martins, que deixou o emprego de 17 anos como comissária de bordo para aventurar-se no mundo da literatura e café. Londres, Paris, Nova York, Milão, Frankfurt, Madri e Buenos Aires, as influências de suas viagens estão nos bibelôs dispostos sobre as prateleiras, nos móveis e nos objetos

lemundi2

Tudo ali tem um toque pessoal. Geladeiras antigas com adesivos, freezer de sorvete plotado, bulezinhos da avó, edição de Os Lusíadas da mãe, brinquedo feito pelo filho na escola, móveis pintados pelo pai, muita cor e um toque de feng shui. Lá você pode pedir seu café em português, inglês, espanhol e francês direto para a proprietária – que especializou-se no preparo da bebida -, alugar um livro para ler em casa e participar de clubes de conversação em inglês, espanhol e alemão

POETRIA LIVROS E ARTE

Poetria Livros e Arte: um refúgio de leitura para quem gosta de associar café e literatura. O colorido moderninho contrasta com as antiguidades. A cada dois meses, a casa recebe exposições que decoram as paredes. Os livros estão à venda

A proposta desde o início foi oferecer livros de qualidade em um ambiente acolhedor, um ‘refúgio de leitura’ para aqueles que reconhecem o prazer em associar café e literatura, ou vice-versa. O colorido moderninho predomina e contrasta com as peças de antiguidades distribuídas pelo ambiente

poetria2

A cada dois meses, a casa recebe exposições que decoram as paredes. Os livros estão à venda, mas também podem ser lidos ali com uma xícara de café orgânico. O mezanino fica restrito às oficinas literárias que buscam estimular o surgimento de novos escritores

MEZANINO DAS ARTES

A referência artística está no nome, nas paredes, com reproduções de mestres da pintura mundial, e nas prateleiras, com livros de arte, poesia, contos e fotografia. Não abre cedo, mas a partir das 11h30 até as 23h, dá para tomar um café, fazer uma leitura ou jogar conversa fora, no térreo, com janelões para a rua, ou no mezanino

A referência artística está no nome, nas paredes, com reproduções de mestres da pintura mundial, e nas prateleiras, com livros de arte, poesia, contos e fotografia. Não abre cedo, mas a partir das 11h30 até as 23h, dá para tomar um café, fazer uma leitura ou jogar conversa fora, no térreo, com janelões para a rua, ou no mezanino

Mezanino das Artes: nas paredes, reproduções de mestres da pintura , e nas prateleiras, livros de arte, poesia, contos e fotografia. Das 11h30 às 23 horas, dá para tomar um café, ler ou jogar conversa fora, no térreo, com janelões para a rua, ou no mezanino

Arte e literatura compõem a decoração do Mezanino

LIVRARIA E EDITORA ARTE & LETRA

smith-prd-meth01-tom_rpc_intraCA5ZUI1H

Atrás da tradicional Casa de Pedra, no bairro Batel, está a Livraria e Editora Arte & Letra. Um longo caminho de pedras leva a uma construção pequena, se comparada à casa principal, mas não menos charmosa e imponente. Antigamente, nesta construção, aos fundos da casa principal, ficava a garagem e os aposentos dos empregados de uma tradicional família curitibana, que usava a propriedade como uma espécie de “casa de campo”. Na varanda, mesas para leitura e cenário perfeito para o café – com jeito de quintal de casa. Há leitores que passam horas ali e chegam a ler livros inteiros entre algumas xícaras de café, antes de pagar a conta e ir embora

arte-letra2

O piso de mármore, na parte interna, é herança do show room de uma marmoraria que funcionou no local

Livraria e editora Arte & Letra: um longo caminho de pedras leva ao café, que tem cara de varanda que dá para o quintal de casa. É tão gostoso que tem quem leia livros inteiros entre algumas xícaras de café. Lançamentos de obras e eventos literários, cenário de filme, exposições, os eventos acontecem a toda hora. Só falta casamento, mas a proposta já foi feita por um casal e os proprietários estão maturando a ideia

Porta de ferro e parede de tijolinho à vista são heranças de época. Elas dão acesso à editora, no mezanino, onde antes era o quarto de dormir dos empregados. O café tem “a cara da Arte e Letra”, diz o editor e designer gráfico e um dos proprietários, Frederico Tizzot, que fez curso de barista para especializar-se na arte. Lançamentos de obras e eventos literários, cenário de filme, exposições, os eventos acontecem a toda hora. Só falta casamento, mas a proposta já foi feita por um casal e o proprietário está maturando a ideia

CAFÉ COM LETRAS

Um antigo restaurante deu lugar a uma livraria com perfil retrô, em São José dos Pinhais. Cores e tecidos diferenciados, como o jeans manchado e tons de listrado, dão o tom vintage da ambientação, que traz peças de design, como a mesa em forma de caixa de fósforo, do designer paranaense Gustavo Eugelhardt, e caixas de madeira reaproveitadas para guardar livros. Painéis amadeirados e mobiliário com cores sóbrias contrastam com peças de tons vibrantes, como os pendentes em degrade de azul e verde. O projeto de iluminação, com rasgos de luz no gesso e fitas de LED, dá um toque sofisticadinho e acolhedor. Foto: Divulgação

Um antigo restaurante deu lugar a uma livraria com perfil retrô, em Pinhais. Cores e tecidos diferenciados, como o jeans manchado e tons de listrado, dão o tom vintage da ambientação, que traz peças de design, como a mesa em forma de caixa de fósforo, do designer paranaense Gustavo Eugelhardt, e caixas de madeira reaproveitadas para guardar livros. Painéis amadeirados e mobiliário com cores sóbrias contrastam com peças de tons vibrantes, como os pendentes em degrade de azul e verde. O projeto de iluminação, com rasgos de luz no gesso e fitas de LED, dá um toque sofisticadinho e acolhedor. Foto: Divulgação

 

SERVIÇO: Quintana Café & Restaurante, Avenida do Batel, 1.440, fone (41) 3078-8944. Livraria da Vila/Santo Grão,  Pátio Batel. Livraria e Editora Arte & Letra, Alameda Presidente Taunay, 130, fone (41) 3039-6895. Le Mundi Livroteca Café, Rua Conselheiro Carrão, 262, fone (41) 9974-2723. Poetria Livros e Arte, Avenida Vicente Machado, 865, fone (41) 3046-3036. Mezanino das Artes, Alameda Dr. Carlos de Carvalho, 805, fone (41) 3222-3439. Bello Caffè, Rua Comendador Macedo, 371, fone (41) 3079-6977, e Rua Augusto Stresser, 318, fone (41) 3076-7477. Café com Letras, Av. Camilo di Léllis, 633, Pinhais, fone (41) 3059-0202.

Receba nossas notícias por e-mail

Inscreva-se em nossas newsletters e leia em
seu e-mail os conteúdos de que você mais
gosta. É fácil e grátis.

Quero receber

8 recomendações para você