i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Friozinho

5 tipos de lareiras para aquecer, decorar e trazer conforto à casa

  • PorSharon Abdalla
  • 17/07/2020 14:56
Foto: Pxhere
Foto: Pxhere| Foto:

A lareira está entre os sonhos de consumo doméstico de boa parte das pessoas que moram nas regiões mais frias do país. Afinal, além de aquecer os ambientes - que no Brasil não costumam contar com sistemas de calefação -, elas dão um charme todo especial à decoração e potencializam a sensação de aconchego nos espaços.

Siga a HAUS no Instagram!

E engana-se quem pensa que só de grandes obras e reformas se faz uma lareira. Com diferentes tamanhos e sistemas de combustão, o mercado oferece opções para todos os gostos, bolsos e espaços, inclusive com modelos portáteis.

Confira as características dos cinco tipos de lareiras e as vantagens e desvantagens de cada um deles!

Clássica

Atire a primeira pedra quem nunca se imaginou sentado em frente à lareira sentindo o calor do fogo e ouvindo o estalar da lenha queimando, como bem retratam as cenas de filmes. Charmosas, as lareiras tradicionais costumam ocupar lugar de destaque nas salas de estar, sendo ponto focal do ambiente. Justamente por isso, sua concepção precisa ser pensada já durante a obra ou reforma do imóvel, uma vez que sua estrutura demanda mão de obra especializada e a execução de chaminé ou duto para a exaustão da fumaça.

No projeto assinado por Ieda Korman, do escritório Korman Arquitetos, a lareira tradicional ganhou um nicho com fechamento específico para guardar as lenhas com a reforma. Foto: Gui Morelli
No projeto assinado por Ieda Korman, do escritório Korman Arquitetos, a lareira tradicional ganhou um nicho com fechamento específico para guardar as lenhas com a reforma. Foto: Gui Morelli

Seu interior é composto por tijolos refratários, como os utilizados em churrasqueiras. Para o revestimento externo, pode-se seguir a preferência do morador, exceto quando os dutos ficam embutidos na parede. Nesses casos, materiais resistentes a altas temperaturas e que atuem como isolante térmico, como lã de rocha e gesso rosa, são indicados. O mercado também oferece modelos pré-fabricados, em alvenaria, metal e concreto.

“Sem contar toda essa estrutura descrita, o projeto precisa ser espaçoso. Em geral, é mais comum prever a construção de uma lareira em casas, pois é raro encontrar prédios que disponibilizam infraestrutura para a saída de dutos de ar”, aponta o arquiteto Bruno Moraes.

A álcool

Práticas, as lareiras a álcool, também conhecidas como ecológicas, são opções viáveis para apartamentos ou casas já construídas, pois não demandam obras para sua instalação. Isso decorre do fato de elas não expelirem odor, fumaça ou fuligem, o que faz com que não seja preciso a instalação de dutos ou chaminés.

No deck da cobertura, a arquiteta Isabella Nalon previu a execução de uma caixa de madeira para acoplar a estrutura metálica da lareira ecológica. Foto Julia Herman
No deck da cobertura, a arquiteta Isabella Nalon previu a execução de uma caixa de madeira para acoplar a estrutura metálica da lareira ecológica. Foto Julia Herman

Além disso, elas são mais versáteis quando o assunto é a estética da peça, uma vez que os queimadores (em inox) podem ser encaixados sobre diversas superfícies, como madeira, alvenaria, pedra natural ou porcelanato, por exemplo. O tamanho da lareira em função do ambiente é determinado por meio de um cálculo específico, realizado pelo arquiteto. "Para equacionar o aquecimento em cima da lareira, geralmente especifico uma pedra natural ou um tijolo refratário recuado para não correr o risco de superaquecer”, acrescenta a arquiteta Isabella Nalon.

Com queimadores de diversos tamanhos, as lareiras a álcool ainda contam com modelos portáteis, que transitam das salas e suítes às varandas.

A gás

Com uma estética similar a das abastecidas a álcool, as lareiras a gás também podem ser instaladas sobre diferentes tipos de superfícies. Elas também dispensam a instalação de dutos ou chaminés, pois não expelem fuligem, fumaça e odores, mas dependem da instalação da tubulação de gás para seu funcionamento.

Foto: Bigstock
Foto: Bigstock

Tal característica coloca a impossibilidade de mudá-las de lugar como uma das desvantagens do modelo. Ela ganha, porém, no fato de não precisar ser reabastecida frequentemente, como ocorre com as demais. "Com todos os cuidados, é só abrir o registro [de gás]", resume Moraes.

Elétrica

Pode-se dizer que o modelo, alimentado por eletricidade, é praticamente um aquecedor. A diferença entre a lareira elétrica e o eletrodoméstico, no entanto, está na estética: enquanto produz calor ela reproduz uma imagem em 3D que retrata a lenha e as chamas do fogo.

Foto: Pxhere
Foto: Pxhere

Para instalá-la, basta conectá-la à tomada, o que faz da facilidade inversamente proporcional ao custo de uso do modelo, devido ao alto consumo de energia elétrica.

Calefator

Uma espécie de mescla entre lareira e aquecedor, os calefatores são outra opção para aquecer os ambientes sem a necessidade de grandes obras ou reformas. Disponível em diversos tamanhos, o equipamento funciona como uma lareira fechada, na qual a lenha ou os pellets (pequenos cilindros formados por serragem de madeira comprimida) são queimados para emitir calor.

Foto: Divulgação/Pellet Brasil
Foto: Divulgação/Pellet Brasil

Entre as vantagens do equipamento (que é fixo e costuma ser apoiado no chão ou embutido na lareira ou em outras estruturas) está a dupla combustão, ou seja, a queima não apenas da lenha/pellets, mas também dos gases resultantes dela, o que potencializa a eficiência do aquecimento. Entre as desvantagens, por sua vez, está a necessidade da instalação de um duto para a exaustão dos gases restantes.

Conteúdo editado por:Luan Galani
1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • R

    RFB

    ± 4 horas

    Reportagem superficial, o assunto poderia ser melhor explorado!!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso