Lego faz parceria com Brasil e cria peças em Braille para ajudar crianças com deficiência visual

Brinquedo atualmente está em fase de testes nos quatros países parceiros do projeto: Dinamarca, Brasil, Reino Unido e Noruega

Foto: Divulgação/Lego

por HAUS

06/05/2019

compartilhe

Segundo dados da Federação Nacional dos Cegos dos Estados Unidos, o número de crianças com deficiência visual no país que está aprendendo a ler Braille caiu de 50% na década de 1950 para 10% na década de 2000.

A preocupação com essa redução — que vai na contramão da inclusão de acessibilidade pelo mundo — foi o que levou a Lego ao seu novo projeto: os Braille Bricks, peças de Lego ensinam letras e números em Braille através das marcas em relevo impressas na nova linha de brinquedos da marca.

Foto: Divulgação/Lego

O projeto foi apresentado no dia 24 de abril, na Conferência de Marcas Sustentáveis em Paris, e foi desenvolvido pela Fundação Lego e Grupo Lego. A ideia está presente na marca desde 2011, quando a proposta foi apresentada à marca pela primeira vez através da Associação Dinamarquesa de Cegos. Em 2017, a brasileira Fundação Dorina Nowill para Cegos reapresentou a ideia, reforçando a importância do pedido.

Foto: Divulgação/Lego

O projeto estava em desenvolvimento desde então, em uma parceria que envolveu associações da Dinamarca, do Brasil, do Reino Unido e da Noruega.

Atualmente, os primeiros protótipos dos brinquedos estão em teste nestes países. A linha oficial tem previsão de lançamento para 2020, e será distribuída gratuitamente para instituições selecionadas pelas associações dos países parceiros.

Foto: Divulgação/Lego

Cada kit terá cerca de 250 peças, que vão conter todas as letras do alfabeto, números de 0 a 9, símbolos matemáticos e inspiração para o ensino e jogos interativos.

>>> LEGO anuncia blocos sustentáveis feitos com cana-de-açúcar brasileira

“Com milhares de audiolivros e programas de computador disponíveis, menos crianças estão aprendendo a ler Braille”, disse Philippe Chazal, Tesoureiro da União Europeia de Cegos. “Isso é particularmente crítico quando sabemos que os usuários de Braille geralmente são mais independentes, têm um nível mais alto de educação e melhores oportunidades de emprego. Acreditamos que os Braille Bricks podem ajudar a impulsionar o nível de interesse em aprender braille”.

Foto: Divulgação/Lego

Para o CEO da Fundação Lego, John Goodwin, as crianças aprendem melhor quando estão brincando, e assim acabam desenvolvendo habilidades como criatividade, colaboração e comunicação. “Com este projeto, estamos trazendo uma abordagem lúdica e inclusiva para o aprendizado de Braille para crianças. Espero que crianças, pais, cuidadores, professores e profissionais em todo o mundo estejam tão empolgados quanto nós, e não podemos esperar para ver o impacto positivo”, afirma.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, 19 milhões de crianças no mundo têm problemas de visão, dos quais 1,4 milhão têm cegueira irreversível.

LEIA MAIS:

Museu Nacional ganha projeto em Lego com renda revertida para sua reconstrução

 

Receba nossas notícias por e-mail

Inscreva-se em nossas newsletters e leia em
seu e-mail os conteúdos de que você mais
gosta. É fácil e grátis.

Quero receber

8 recomendações para você