Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Luminária Kripton, do designer e engenheiro Carlos Alcantarino para o projeto “Iluminar com Arte”
Luminária Kripton, do designer e engenheiro Carlos Alcantarino para o projeto “Iluminar com Arte”| Foto: Priscilla Fiedler

Nove aclamados escritórios de design e arquitetura brasileiros acabam de lançar novas luminárias autorais em edição limitada e seriada. É o projeto "Iluminar com Arte", idealizado pela produtora cultural Consuelo Cornelsen e pelas empresárias Soraya Ribas e Letícia Pangracio, da Ideally Iluminação, que foi lançado oficialmente na última quinta-feira (25) em um Sofá de HAUS.

Assinam as peças os arquitetos Bernardo Richter, Fernando C. de Lacerda e Pedro A. Tavares, do Arquea Arquitetos; o designer paraense radicado no Rio de Janeiro e autodidata Carlos Alcantarino; o designer paulistano e artista do papel Nido Campolongo, conhecido por sua sofisticada pesquisa de materiais; o designer Leonardo Sokolovich; a produtora Consuelo Cornelsen; os multipremiados Mauricio Noronha e Rodrigo Brenner, da Furf Design Studio, que são instrutores da Unido, o departamento de desenvolvimento industrial da ONU; o designer paranaense Guilherme Bez, laureado com a melhor decoração de restaurante do Brasil; as arquitetas cheias de personalidade da Moca Arquitetura, Ana Sikorski e Katia Azevedo; e o designer e artista multidisciplinar Marcelo Stefanovicz.

Siga a HAUS no Instagram

A ideia para o projeto surgiu de um antigo desafio que Consuelo sempre se propõe: criar uma arquitetura do cotidiano, transformar objetos do dia a dia em obras de arte. E assim nasceram as nove luminárias que "unem o escultural e o funcional, a arte e a praticidade, o etéreo e o terrestre", como descreve a jornalista Ana Amélia Cunha Pereira Filizola, vice-presidente do Grupo Paranaense de Comunicação (GRPCOM) e sócia-proprietária do jornal Gazeta do Povo, que assina o texto de abertura da exposição no showroom da Ideally.

E como ressaltam as empresárias Soraya e Letícia, a sustentabilidade (em menor ou maior grau, dependendo da peça) e a inclusão de materiais são duas características que permeiam as luminárias. Conheça cada uma delas!

Kripton, por Carlos Alcantarino

Luminária Kripton, do designer e engenheiro Carlos Alcantarino para o projeto "Iluminar com Arte"
Luminária Kripton, do designer e engenheiro Carlos Alcantarino para o projeto "Iluminar com Arte"| Priscilla Fiedler

Os cristais de quartzo são resultado de um processo geológico que leva milhares de anos para sua formação. Cada peça jamais será igual a outra. A busca pela valorização do material utilizado, associado a um fazer artesanal, foi a tônica para o desenvolvimento da peça. Os cristais servem como condutores da luz. E são protagonistas na transformação dessa luminária em objeto de arte.

Arco, por Furf Design Studio

| Priscilla Fiedler

A luminária Arco nasce de um elemento milenar e global, visto pela humanidade desde as construções do Império Romano ou das ocas de uma tribo da Amazônia. Sua forma icônica é o perfeito equilíbrio entre função e borogodó, como defendem os designers. Ela é clássica e futurista, ao mesmo tempo, e casa com os mais diferentes interiores. Está disponível em duas versões: uma pequena e outra grande, em aço inox polido e Corian.

Ello, por Moca Arquitetura

| Priscilla Fiedler

A luminária traz o encaixe entre o lógico e o lúdico, resgatando a conexão subconsciente com as formas geométricas básicas e os tons primários. É interativa, pode adquirir formas diversas, reinterpreta o neon e é um belo casamento de dois movimentos históricos distintos: Bauhaus e Memphis.

Con, Arquea Arquitetos

| Priscilla Fiedler

A peça utiliza uma variação de madeiras proposital, como cedro rosa, tauari e freijó, para mostrar a riqueza da flora brasileira. O latão, os detalhes de encaixe e de reflexão da luz remetem às lamparinas a gás, um elogio ao tempo, às coisas que duravam gerações e, claro, às boas lembranças.

Maccaroni, por Guilherme Bez

| Priscilla Fiedler

A natureza é a grande inspiração e o bambu é lapidado como um diamante, gerando diferentes formas de luz. Uma peça suspensa, criada a partir da conexão de dois elementos da natureza: o metal e a madeira, que trazem um equilíbrio perfeito entre o tradicional e o contemporâneo. Uma joia iluminada!

Trio, Nido Campolongo

| Priscilla Fiedler

Designer e artista reconhecido por sua ampla pesquisa de materiais, Nido utiliza papel parafinado combinado com materiais de demolição ou descarte. Com uma única base, feita a partir de janelas e gavetas de madeira encontradas em caçambas de São Paulo, a cúpula pode adquirir diferentes formas, à gosto do freguês, valorizando a interatividade e o lúdico.

Eiva, por Leonardo Sokolovich

| Priscilla Fiedler

Design limpo e elegante e valorização da madeira, o material que nunca perde a sua majestade. A base metálica em ferro preto quase desaparece e faz a cúpula de madeira entalhada flutuar, e lembrar um grande olho.

Bubblegumlight, por Marcelo Stefanovicz

| Priscilla Fiedler

O chiclete mascado que gruda, marcado de dentes e dedos, de uma maneira nostálgica, transporta qualquer um e principalmente o designer para o final da sua infância. Nas salas de aula, mesas de estudo, cinemas, o cheiro doce dos descobrimentos, das amizades, dos primeiros passos de uma rebeldia alegre e irreverente. Algo que marca presença, sela, carimba e, agora, ilumina essas lembranças.

O Gordo e o Magro, por Consuelo Cornelsen

| Priscilla Fiedler

A partir de restos de Corian, resíduos da indústria, a artista deu vida a duas luminárias de linhas orgânicas e complementares que lembram um de seus programas favoritos de todos os tempos: "O Gordo e o Magro".

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]