Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
curitiba-cidade-arquitetura-futuro-cidades-mercado-imobiliario-habitacao-social-baggio-schiavon-haus-mon-exposicao-40-anos (2)
Skyline de Curitiba, uma das melhores cidades para se viver no Brasil.| Foto: Bigstock

Urbanismo para todos

Todo edifício é de alguma maneira uma intervenção urbanística. Sempre tivemos esse princípio claro na Baggio Schiavon Arquitetura (BSA), tal qual o nosso papel em contribuir com o desenvolvimento urbano. Há 40 anos, Curitiba é uma cidade de vanguarda no que tange ao planejamento e soluções urbanísticas e está preparada para as próximas quatro décadas, justamente pelo equilíbrio entre a visão urbanística e o desenvolvimento imobiliário.

Levar desenvolvimento das regiões centrais para a periferia, visando dinamizar os bairros, é um desafio que a cidade procura equacionar, e nós, como profissionais, tentamos contribuir, participando de eventos e levando a experiência do mercado para a regulamentação, revelando oportunidades na aproximação entre empresas construtoras e as necessidades dos segmentos mais populares.

Siga a HAUS no Instagram

curitiba-cidade-arquitetura-futuro-cidades-mercado-imobiliario-habitacao-social-baggio-schiavon-haus-mon-exposicao-40-anos (1)
Visão da paisagem urbana central de Curitiba.| Unsplash/Vinicius Brasil

A ampliação das demandas e dos programas de projeto nos aproximou ainda mais do urbanismo, permitindo o desenvolvimento de bairros inteiros que se interligam ao tecido urbano das cidades. Estes bairros planejados buscam oferecer uma rede de serviços, espaços públicos e de lazer acessíveis aos lotes que estamos planejando, articulados a sistemas viários multiusos, onde a escala humana é fundamental.

As entidades ligadas à construção civil têm se unido para contribuir nas discussões urbanísticas, como na última revisão da Lei do Uso do Solo de Curitiba, que contou com o apoio do G11, que congrega 11 grandes entidades empresariais. O grupo, cada qual com seu representante - incorporação, construção e comercialização de imóveis - conferiu um olhar multifacetado aos ajustes propostos para o uso do solo, disponibilizando a experiência acumulada e a sensibilidade de quem gera emprego e renda, movimentando a cadeia produtiva da construção e da economia como um todo.

curitiba-cidade-arquitetura-futuro-cidades-mercado-imobiliario-habitacao-social-baggio-schiavon-haus-mon-exposicao-40-anos (4)
Visão aérea da Unilivre, um dos parques mais queridos de Curitiba.| Unsplash/Patrick Miyaoka

Já existe uma base consistente em Curitiba no que tange à qualidade de vida nos bairros. O que se entende é que os bairros, além de consolidar sua capacidade de prover comércio e serviços à sua população, deveriam se articular mais entre eles de forma a evitar funis viários. Criação de novos ambientes de lazer e pontos de encontro, mesmo que menores e semelhantes aos que já existem no Centro, seriam indispensáveis para o amadurecimento de diversas regiões.

No que se refere à habitação de qualidade para todos, a missão também está no radar do setor público e privado. Todo o mercado da construção civil é balizado por pesquisas. E, grandes empresas em Curitiba, talvez entre as melhores no Brasil, mapeiam as demandas do segmento. O segmento menos assistido, que se avoluma em uma proporção enorme, não é desconhecido pelo mercado. Ocorre que para a produção de unidades econômicas, o setor se depara com insumos muito caros e o mais caro deles é o terreno. Em resumo, terrenos em setores com potencial muito alto são muito caros e os edifícios verticalizados não são coerentes com esse tipo de faixa de renda.

curitiba-cidade-arquitetura-futuro-cidades-mercado-imobiliario-habitacao-social-baggio-schiavon-haus-mon-exposicao-40-anos
BSA idealizou uma mostra sobre seus 40 anos de atuação na arquitetura, que coincidem com os anos de urbanismo de Curitiba.| Bigstock

Ainda há outro agravante: terrenos para a produção de imóveis populares são encontrados somente a distâncias muito grandes ou em grotões, que não são de interesse do ponto de vista urbanístico, além de requererem esforço de infraestrutura e investimentos. Todavia, essas discussões em torno do urbanismo em Curitiba amadurecem para uma solução de olhar setores de coeficientes baixos, criando condições especiais para adensar pontualmente essas áreas, quando destinadas às classes menos favorecidas. Essa foi uma das ideias discutidas durante a última revisão da Lei de Uso de Solo e que certamente aumentaria a oferta de imóveis para o segmento de baixa renda.

O conceito básico é a ampliação da densidade populacional nas ZR1, ZR2 e ZR3 exclusivamente para empreendimentos de interesse social, atraindo e viabilizando o setor privado para produção de moradias econômicas. É também uma forma de induzir o círculo virtuoso fantástico que a construção civil proporciona, que reconstruiu a Espanha, e que ajudou a desenvolver muitos países, trazendo qualidade de vida para a comunidade e às pessoas.

Serviço:

O escritório Baggio Schiavon Arquitetura (BSA) é idealizador da mostra “40+40: Baggio+Schiavon, 40 anos de arquitetura”, em cartaz no Museu Oscar Niemeyer (MON). No dia 31 de março, a mostra será finalizada com um grande evento gratuito que trará nomes importantes do setor. Saiba mais!

Flavio Schiavon é sócio-diretor da Baggio Schiavon Arquitetura (BSA).
Flavio Schiavon é sócio-diretor da Baggio Schiavon Arquitetura (BSA).| Paula Morais
Conteúdo editado por:Luan Galani
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]