Mostra no Museu Oscar Niemeyer homenageia arquiteto e urbanista Le Corbusier

Exposição inicia no dia 27 de abril e traz diferentes olhares de artistas e arquitetos sobre a obra do suíço; estudantes de arquitetura e profissionais recém formados podem se inscrever de concurso para participar da mostra

Retrato de Le Corbusier feito em 1964 pelo fotógrafo Joop van Bilsen. Foto: Stedelijk Museum Sikkensprijzen/ Wikimedia Commons

por Luciane Belin*

08/04/2019

compartilhe

Um grupo de conceituados artistas e arquitetos brasileiros se reuniu para elaborar obras exclusivas em homenagem a Charles-Édouard Jeanneret, arquiteto suíço e naturalizado na França que ficou conhecido como Le Corbusier. Nomes como os dos irmãos Campana, Paulo Mendes da Rocha e Lucas Simões, além de escritórios de arquitetura, como Terra e Tuma, Aleph Zero e Triptyque, estão entre os que assinaram peças para a exposição “Experimentando Le Corbusier – Interpretações Contemporâneas do Modernismo”.

A mostra, no Museu Oscar Niemeyer (MON) inaugura no dia 27 de abril e vai até o dia 11 de agosto, com a proposta de reviver a experiência do pensamento revolucionário de Le Corbusier, levando-o para além da arquitetura.

>>>> Conselho de Arquitetura recusará registro profissional de estudantes de cursos a distância

A exposição tem curadoria de Pierre Colnet e Hadrien Lelong, da Cremme – Editora de Mobiliário, via Instituto Cremme, associação que tem como compromisso atuar nas esferas social, educacional e artística por meio da promoção de atividades de fomento à cultura. Segundo Colnet, partindo de questões atuais, os artistas e arquitetos receberam uma equação [na imagem abaixo] e foram convidados a refletir sobre ela, revivendo a experiência do pensamento de Le Corbusier, adequando-o ao momento contemporâneo brasileiro.

Os artistas envolvidos na exposição propuseram uma obra criada a partir de uma reflexão sobre a equação da imagem. Foto: Divulgação

“O objetivo com isso foi sair do perímetro da arquitetura e dialogar com outras disciplinas para falar sobre modernismo e desdobramentos deste no Brasil”, explicou.

O resultado foram 20 peças únicas criadas especialmente para a exposição, em que os artistas, arquitetos e designers defenderam a relevância de se discutir a obra de Le Corbusier na atualidade, no que diz respeito a reflexões propostas pelo próprio arquiteto.

Foto: Divulgação

“Sem conhecer a proposta dos demais, todos os arquitetos propuseram um suporte diferente, o que mostra a riqueza dos arquitetos no momento da criação. Também chamou a atenção que, além dos suportes, que cada um fez um tratamento das relações entre modernismo, Brasil e Le Corbusier com um viés diferente, com viés político, poético, entre outros, o que mostrou a atualidade do arquiteto e a diversidade brasileira de pensamento”.

>>>> Curitiba ganha nova galeria de arte e design em prédio de luxo no Cabral

Segundo Colnet, a ideia inicial do instituto era realizar um livro sobre o arquiteto, mas a temática se desdobrou de maneira a alcançar outras plataformas, se transformando em exposição. “O intuito é que seja uma exposição itinerante; a primeira foi em São Paulo, no Museu da Casa Brasileira, e agora vai rodar o Brasil inteiro, e em cada cidade a ideia é convidar novos artistas”, detalhou.

Uma das peças que será exposta na mostra traz o bambu como base. Foto: Divulgação

Concurso A0

Conectado à exposição pela mesma equação que foi proposta aos arquitetos está um concurso que incentiva o pensamento sobre o tema entre estudantes e arquitetos recém-formados. Voltado aos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Design, Fotografia, Audiovisual, Comunicação e Artes Visuais dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, o concurso convida os participantes a concretizar algumas das reflexões feitas por Le Corbusier em um objeto artístico inédito que, se escolhido, fará parte da exposição “Experimentando Le Corbusier”.

Foto: Divulgação

“Através do Concurso A0, a mesma provocação conceitual se estende aos estudantes e recém-formados do Sul do Brasil. A ideia dessa experiência é envolver as pessoas nesse mundo de fazer, não enxergar a arte como apenas contemplativa”, diz o curador.

Os projetos serão aceitos até o dia 27 de maio. Cinco trabalhos serão selecionados para serem fabricados e expostos no evento de premiação final previsto no dia 20 de junho, no Museu Oscar Niemeyer.

Foto: Divulgação

Poderão ser propostos projetos para diferentes suportes, tanto obras espaciais (escultura, elemento de intervenção espacial, utensílios) quanto um elemento de representação visual (ilustração, pintura, fotografia). O edital do concurso está disponível no site do Instituto Cremme.

*Especial para Haus.

LEIA TAMBÉM

Receba nossas notícias por e-mail

Inscreva-se em nossas newsletters e leia em
seu e-mail os conteúdos de que você mais
gosta. É fácil e grátis.

Quero receber

8 recomendações para você