O que você encontra na maior (e quase impossível) rota terrestre do mundo

Caminho passa por 16 países, muitos que vivem conflitos armados Mas há monumentos incríveis em muitas cidades

Foto: Reprodução/Offbeat Travelling

por HAUS

compartilhe

O holandês Bart Van Eijden calculou, e publicou em seu blog Offbeat Travelling, o maior caminho possível de ser feito exclusivamente por terra no mundo: começa na Libéria e termina na China. Entre os dois países estão mais 14: Costa do Marfim, Burkina Faso, Gana, Burkina Faso novamente, Níger, Líbia, Egito, Israel, Cisjordânia, Jordânia, Irã, Turcomenistão, Uzbequistão, Tadjiquistão, Afeganistão e Tadjiquistão novamente.

O percurso possui 13.589 km e conecta o Oceano Atlântico ao Pacífico. A “mãe de todas as rotas”, como chama o holandês, passa por diversos locais perigosos por serem zonas de guerra e conflito como a Líbia, o Iraque, e a região central do Deserto do Saara. Nunca ninguém, nem mesmo Ejiden, tentou fazer este percurso devido à questão de segurança. Se alguém algum dia conseguisse terminar a aventura, iria direto para o livro dos recordes.

Dificuldades

De acordo com Ejiden, um detalhe fundamental na hora de fazer a rota é decidir a direção do caminho pois, a passagem de um país para o outro pode ficar complicada. Passar da China para o Tadjiquistão, por exemplo, é permitido, enquanto do Tadjiquistão para a China não. Portanto, a indicação do especialista é de que a trilha seja feita a partir da China em direção à Libéria.

Outra grande empecilho é a passagem pelas zonas de conflito. A Líbia, por exemplo, tem sido cenário para ataques de extremistas como a ISIS. O viajante declara que em nenhuma hipótese é um país seguro para ir, especialmente para ocidentais. Já o Iraque é uma área controlada pelo Estado Islâmico, e é considerado ainda mais perigoso que a Líbia. A região central do Deserto do Saara é, de acordo com Ejiden, uma “terra de ninguém” deserta, ideal para o tráfico de pessoas e qualquer atividade criminosa.

Além desses entraves, existe também a questão da passagem de um país para o outro. Dos 16 países na rota, 12 tem fronteiras complicadas. Entre o Egito e a Líbia, o problema é a violência da guerra civil que está acontecendo na Líbia. Entre a Líbia e o Chad não existe nenhum ponto legal de passagem, a única forma de ir de um país ao outro seria ilegalmente. A região de fronteira entre o Tadjiquistão e o Afeganistão é extremamente remota, de acesso praticamente impossível. Uma alternativa é ir diretamente do Afeganistão ao Uzbequistão, mas também é extremamente perigoso. As fronteiras do Níger, Burkina Faso, Gana e Costa do Marfim são todas difíceis por diversos motivos: guerra civil, oficiais de imigração corruptos, e zonas de conflito.

Estas são apenas algumas das dificuldades elencadas por Ejiden. Ele afirma que qualquer um que pensa em aceitar o desafio, deve estar louco (nós concordamos e não recomendamos!).

O que ver no caminho

Apesar de todos os perigos existentes na trilha, há alguns grandes pontos turísticos que podem ser vistos no caminho. Um dos maiores e mais conhecidos é o Muro das Lamentações, em Jerusalém, Israel. O Muro é um dos locais mais sagrados do judaísmo, por ser um dos últimos vestígios do Templo De Herodes.

Fora este monumento, a cidade inteira de Jerusalém é considerada sagrada. Em 2009 cerca de 2,2 milhões turistas desembarcaram por lá: uma das cidades mais antigas do mundo com cerca de 6 mil anos. Israel possui diversos outros monumentos importantes como o Centro Mundial Bahà’í, a Caverna dos Patriarcas, a Grande Sinagoga de Tel Aviv e muito mais.

Foto: Reprodução/GoIsrael

Foto: Reprodução/GoIsrael

Além disso, a China também é famosa por ser um grande destino turístico. Lá, o viajante pode conhecer cartões postais como a Grande Muralha, a Cidade Proibida, os Jardins de Yuyuan, o Mausoléu de Mao Tse Tung e o Exército de Terracota.

Foto: Reprodução/China National Tourist Organization

Foto: Reprodução/China National Tourist Organization

Foto: Reprodução/China National Tourist Organization

Foto: Reprodução/China National Tourist Organization

O Egito também é um destino procurado por visitantes do mundo inteiro, por abrigar duas das maiores obras arquitetônicas da história: a Grande Esfinge e as Pirâmides de Gizé. O país é a casa das primeiras civilizações, e é repleto de templos como as ruínas de Abu Simbel e o Karnak.

Foto: Reprodução/Egypt

Foto: Reprodução/Egypt

Foto: Reprodução/Egypt

Foto: Reprodução/Egypt

LEIA TAMBÉM

8 recomendações para você