i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Praças e viadutos abandonados de Curitiba podem virar espaços de arte e lazer

  • PorLuan Galani
  • 25/07/2017 15:30
Imagens: Grifo Arquitetura/Expo 2017/Reprodução
Imagens: Grifo Arquitetura/Expo 2017/Reprodução| Foto:

Certas áreas de passagem da cidade com grandes estruturas viárias, como praças e viadutos, geram com bastante frequência espaços abandonados. Mas eles podem ser diferentes. “Intervenções de fácil aplicabilidade sem a necessidade de alterar as estruturas existentes poderiam transformar esses locais em áreas de lazer, esporte e convivência“, defendem os arquitetos do escritório Grifo Arquitetura, que propuseram mudanças para seis pontos subaproveitados de Curitiba.

Eles são: Praça das Nações, Viaduto do Capanema e do Colorado, Viaduto da Avenida Presidente Affonso Camargo, trecho da BR-277 (saída para as praias), Viaduto da Avenida Marechal Floriano Peixoto e Viaduto da Avenida Brasília.

Praças e viadutos abandonados de Curitiba podem virar espaços de arte e lazer

O projeto integra a exposição Arquitetura para Curitiba 2017, e recebe assinatura dos arquitetos Fábio Domingos Batista, Igor Costa Spanger, Luciano Suski, Moacir Zancopé Junior, Suzanna de Geus, Rodolfo Luís Scuiciato, Aline Train e Janaína Nichele, em conjunto com os estudantes Aline Marafigo, Amanda Mendes de Lima, Ana Luiza Voltolini, Heitor Lorega Dilay, Isabella Moura, Jackson Oliveira, Kimberly Dias, Mirela Purim, Nícolas Marques, Eduardo Hungaro, Victor Reis Alvim, Tayla Amaral e Thays Lima.

Praças e viadutos abandonados de Curitiba podem virar espaços de arte e lazer

“São lugares desprovidos de memória coletiva e identidade”, explicam os responsáveis pela ideia, que analisaram cerca de 38 pontos da cidade antes de eleger as seis localidades para serem transformadas. “Por isso se tornam desertos, abandonados, destinados a habitantes desafortunados que vivem à margem da cidade oficial.”

Praças e viadutos abandonados de Curitiba podem virar espaços de arte e lazer

As soluções são específicas para cada viaduto ou praça, mas, em geral, consistem em deques, grafites ou pinturas coloridas, mobiliário urbano diferente, e espaços para comércio em contêineres.

Praças e viadutos abandonados de Curitiba podem virar espaços de arte e lazer

“Não importa apenas a intervenção pontual. O que vai transformar esses espaços são a influência do ambiente ao redor, que pode chancelar e trazer outros usos para a área“, garantem os arquitetos.

Praças e viadutos abandonados de Curitiba podem virar espaços de arte e lazer

LEIA TAMBÉM

Não passe frio! Confira 7 itens a partir de R$ 14 que vão aquecer sua casa

Brasil ganha mais um Patrimônio Cultural da Humanidade; conheça os outros 13 no país

O frei gaúcho que devolveu música para o órgão da igreja Bom Jesus

 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.