expo-revestir-docol- revestimentos-banheiro
O arquiteto Marcelo Alvarenga criou a ducha Toró, primeiro chuveiro para áreas externas que não depende de um ponto fixo de água. Destaque pela Docol.| Foto: Divulgação Docol

O design apurado desenvolvido pelos principais profissionais de arquitetura e design do Brasil e do mundo é o grande responsável por muitas das inovações e ‘sacadas’ que tem ‘pipocado’ na sua telinha do Instagram durante a Expo Revestir 2020, a grande fashion week da construção e arquitetura da América Latina, que aconteceu de 10 a 13 de março em São Paulo.

HAUS percorreu os corredores da feira com a Kinta Acabamentos, do Grupo Balaroti, nossa parceira na cobertura, e selecionou os novos revestimentos e peças lançamento para banheiro mais emblemáticos do evento. Olha os nossos preferidos!

Marcelo Alvarenga (Docol)

O arquiteto da Play Arquitetura criou a ducha Toró, primeiro chuveiro para áreas externas que não depende de um ponto fixo de água. O nome remete à pancada de chuva bem concentrada que todos conhecemos. A peça para a Docol é genial pela simplicidade. Em vez de depender de pontos pré-estipulados, é só conectar a uma mangueira comum de jardim, e pronto! A peça tem garantia vitalícia, é todo em aço inox, base de concreto Ductal - seis vezes mais resistente que o comum -, acionamento giratório e uma vazão de até 12 litros por minuto, como explica Suelem de Oliveira, do comercial boutique da Docol.

Angelo Bucci (Docol)

O prestigiado arquiteto paulistano assina uma linha brutalista de cubas para a Docol, a partir do concreto Ductol, que é seis vezes mais resistente que o concreto comum. Desde a última colaboração entre o arquiteto e a marca, suas duas criações foram laureadas com o prêmio alemão iF Design Award. A nova coleção se chama Docol Concreta e prima por ângulos retos e uma profundidade que lembra as antigas pias de fazenda.

Guilherme Wentz (Portobello)

O designer gaúcho superpremiado assina a linha de mobiliários Planos para a Portobello. Ele traduz para o porcelanato a descontração do seu estilo e brinca com o desnível dos planos e as formas arredondadas. Não de forma randômica, mas seguindo os veios dos materiais.

Antonio Bernardo (Portobello)

O consagrado designer carioca de joias Antonio Bernardo, mundialmente conhecido pela produção autoral super elaborada e que acaba de levar para casa o Oscar do design com uma de suas novas peças, lançou em conjunto com a Portobello a coleção de revestimentos cerâmicos Atmosfera. Ela se destaca pelos relevos sutis, que acabam ressignificando o limite entre a superfície plana e o espaço, entre a joia e a arte, e que explora a mistura da cerâmica com o metal.

Os painéis são encontrados em três modelos: Eclipse, Ovni e Lua. Eclipse revela uma das fases do nosso satélite em um relevo particular em composição com metal dourado e negro. Ovnis são formas não identificadas como óbvias, esculpidas na superfície do porcelanato, ora metalizadas, ora monocromáticas. Lua organiza esferas perfeitas e recebe metal de forma alternada. “É uma proposta de não apenas revestir pela funcionalidade, mas de constituir uma parede que é uma obra de arte”, afirma a gerente de produto da Portobello, Pamela Golin.

Osvaldo Tenório (Deca)

O arquiteto e designer pernambucano valorizou as cubas arredondadas com borda infinita, diversos tons de verde e criou duas torneiras acionadas pelo toque. Uma cilíndrica, que se dobra na hora de funcionar e aceita o toque em qualquer parte de seu corpo, e outra tubular mais tradicional, em que o acionamento acontece em uma pequena esfera metalizada.

João Armentano (Roca)

O badalado arquiteto das celebridades João Armentano assina quatro cubas para a Roca, que acabam de ser prestigiadas pelo prêmio da feira Best in Show. Os modelos variam em tamanho e formato, sendo perfeitas tanto para grandes residências quanto espaços compactos. Todas as cubas primam por linhas retas e algumas despertam a surpresa pela forma trapezoidal. Estão disponíveis nas cores matte, preto e branco.

Zanine de Zanini (Eliane)

O designer carioca desenvolveu uma série de revestimentos para os 60 anos da marca. Azulejos verdes com manchas sutis que valorizam a imperfeição, uma série de ripas em capitonê e outra que imita as placas de concreto armado.

Pedro Franco (Portinari)

Ele, que é um dos principais expoentes do design brasileiro contemporâneo e fundador da A Lot Of Brasil, criou uma série de revestimentos que homenageiam o artesanato afetivo brasileiro para a Portinari. São placas que imitam o ponto cruz, principal elemento do bordado nacional. É encantador.

Pedro Franco (Arauco)

O fundador da A Lot Of Brasil também celebra o bordado brasileiro em uma série inédita para a Arauco, com desenhos recortados nas chapas de MDF em terracota.

Juliana Medeiros (Portinari)

Papel de parede Natureza Imaginária é o primeiro da Portinari e homenageia a natureza brasileira, segundo a visão de Candido Portinari e Juliana Medeiros. | Foto: Divulgação
Papel de parede Natureza Imaginária é o primeiro da Portinari e homenageia a natureza brasileira, segundo a visão de Candido Portinari e Juliana Medeiros. | Foto: Divulgação

A Portinari, umas das maiores empresas de revestimentos cerâmicos do país, surpreendeu com uma coleção inédita de papel de parede. Batizado de Natureza Imaginária, o papel decorativo faz parte da coleção Nuances da Natureza, assinada pela arquiteta Juliana Medeiros e inspirada no livro "Poemas de Portinari", que contém diversas poesias de autoria do pintor modernista Cândido Portinari. A arquiteta premiada também produziu revestimentos cerâmicos inspirados na areia do mar e nas folhagens tropicais.

Arthur Casas (Solarium)

Um dos arquitetos queridinhos do momento, Arthur Casas criou a linha Braille, uma brincadeira de encaixes que geram desenhos geométricos lúdicos. Todas as peças são de concreto e, por serem de alturas diferentes, aceitam layouts imensos.

Rodrigo Ohtake (Solarium)

O jovem designer paulistano assina o cobogó Arco, que não tem frente nem verso definidos. Duas curvas idênticas, mas em tamanhos diferentes, o que possibilita diversos jogos de plano, profundidade, iluminação e frestas.

Vivian Coser (Solarium)

A arquiteta assina o cobogó Morris, que também conta com uma versão de revestimento de parede. A criação nasceu a partir das curvas da arquitetura limpa de Carlo Scarpa, um artista em meio a brutas formas retas de concreto, em contraponto à arte vibrante de Sarah Morris, que também é uma inspiração para a linha.

Paola Navone (Portobello)

Formas irregulares em tom pastel, que remetem aos docinhos vistos de cima, foram a inspiração para a criação das pastilhas arredondadas Bonbon, da Portobello, pela designer italiana de Turim Paola Navone.

Marcelo Rosenbaum (Pointer)

O designer conhecido pelos trabalhos vernaculares de design, que exploram as matérias-prima e mão de obra locais, aliou-se à Pointer e ao designer Rodrigo Ambrosio e criou os cobogós Mundaú. São feitos a partir das conchas do molusco sururu, considerado patrimônio imaterial de Alagoas, na comunidade do Vergel. O nome do produto homenageia a Lagoa de Mundaú, que banha as habitações locais. O recorte vazado é em formato orgânico das conchas dos moluscos e, na escala de cores, destaque para o brilho furta-cor, tons de verde e de roxo.

Vivian Coser (Brasigran)

A Brasigran,  empresa especializada no beneficiamento de blocos de granito e outras rochas ornamentais, traz com destaque a banheira L´Atelier, produzida em mármore Donatello maciço e sem emendas, e cubas esculpidas na rocha natural. O ambiente é assinado pela arquiteta Vivian Coser.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]