Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Luminária colorida da marca RatoRói.
Luminária da marca catarinense RatoRói, que trabalha com sacolas plásticas descartáveis: reaproveitamento é grande tendência no design.| Foto: Reprodução/Instagram

No segundo dia de Expo Revestir 2021 - neste ano realizada de forma totalmente on-line - a "fashion week" da arquitetura trouxe conversas voltadas ao design de interiores e ao design afetivo - foi esse o tema da mesa entre Walter Rodrigues, coordenador do Núcleo Design e Pesquisa do Inspiramais, e o jornalista Jackson Araujo, especializado em Análise de Comportamento em Cultura, Moda, Design e Comunicação.

Valorização de produtos locais e máximo aproveitamento de materiais são algumas das tendências apontadas pela dupla, que aponta que vivemos em uma era da "economia afetiva".

Siga a HAUS no Instagram

Valorização do coletivo (fazer com quem e para quem) é o ponto de partida que deve guiar o design atual, segundo Araujo. "Não cabe mais a ideia de fazer alguma coisa por estar fazendo. Temos que ter cuidado em propor novas coisas e produtos, para que sirva a uma melhora coletiva", ponderou o jornalista.

Linhas de móveis e produtos em geral que sejam ecologicamente corretos - reaproveitando materiais que seriam descartados, como madeira de demolição, por exemplo - e socialmente justos, com uma relação ganha-ganha na produção são outras tendências apontadas pela dupla, que ainda trouxeram exemplos de empresas como a RatoRói, empresa de design de Jaraguá do Sul (SC), que cria objetos, mobiliários e outros produtos com um laminado feito com sacolas e embalagens plásticas que iriam ao aterro sanitário.

Para Walter Rodrigues, a criatividade é algo que fica ainda mais desafiador quando se trabalha com materiais que seriam descartados. "É muito bom ser criativo quando se trabalha com fontes virgens de matéria, mas ela tem que explodir no reaproveitamento e dar novas vidas às matérias", salientou. "O designer é responsável por todo o lixo criado, isso deve ser uma reflexão sempre. O design não é válido só pela ideia".

Conteúdo editado por:Luan Galani
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]