Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Livrar-se do mofo, da umidade e de fissuras. Coloque a mão na massa e pinte você mesmo o teto do banheiro.
Livrar-se do mofo, da umidade e de fissuras. Coloque a mão na massa e pinte você mesmo o teto do banheiro.| Foto: Bigstock

Em até 12 horas é possível resolver o pior cenário de mofo no teto do banheiro e ainda dar uma cara nova com uma pintura especial que você mesmo pode fazer.

Siga HAUS no Instagram!

Nesse período de quarentena fica ainda mais fácil notar aquelas pendências domésticas que foram sendo postergadas dentro de casa. Aquelas que exigem uma dedicação maior tendem a ser ainda mais adiadas, como aquele mofo no teto do banheiro que só o pano úmido com vinagre não é mais suficiente. Essa, inclusive, pode ser uma boa oportunidade para se dedicar a ele e dar uma cara nova ao banheiro, afinal o bolor causado pela umidade, além de deixar o ambiente feio, escuro e por vezes com cheiro ruim, pode ser prejudicial à saúde.

Os fungos são perigosos para as vias respiratórias, sobretudo para pessoas que já possuem doenças respiratórias, como rinite, bronquite e outros tipos de alergia, inclusive de pele. A retirada do mofo e uma pintura adequada podem resolver o problema por um bom tempo. Porém, tanto a limpeza quanto a pintura exigem uma certa dedicação, mas é uma tarefa que pode ser concluída em algumas horas com um pouco de paciência.

Segundo o profissional de treinamento e assistente técnico da Tintas Verginia, William Henrique de Medeiros, o primeiro passo para a pintura do teto do banheiro é identificar o tipo de teto e garantir os materiais certos para aplicação. Ele explica que os tetos mais comuns em banheiros são feitos de laje de concreto e gesso.

Ferramentas indicadas

  • Fita crepe, para isolamento da área;
  • Papelão ondulado ou lona, para proteger os móveis, pia, vaso e qualquer outra área;
  • Rolo antirrespingo, ou seja, um rolo de lã para dar um acabamento melhor;
  • Pincel para os cantos, geralmente de duas polegadas;
  • Desempenadeira de aço, para aplicação da massa;
  • Lixa, uma de espessura 120 para remoção de excessos da massa e uma de 180 para deixar a massa bem lisa;
  • Bandeja de pintura.

Primeira pintura teto de alvenaria

Caso o teto do banheiro de alvenaria seja seminovo e não tenha nenhuma camada de tinta, Medeiros recomenda que seja feito o massamento antes da aplicação da tinta. Mas antes de qualquer coisa, seja para primeira pintura ou repintura, o local deve ser limpo. Caso tenha indício de mofo, um pano úmido e água sanitária devem resolver o problema.

Após secagem da limpeza, Medeiros recomenda a utilização massa acrílica em toda área exposta a umidade, como cozinha, banheiro e lavanderia. “Você até pode aplicar [a tinta acrílica] direto, porém a aplicação não ficará tão perfeita”, comenta.

| Bigstock

Após a aplicação da massa e o massamento é necessário fazer o lixamento da superfície. Medeiros alerta para o ponto certo para o lixamento, que deve ocorrer após a secagem da massa. Entretanto, ele alerta, a massa não pode secar muito, para não impedir a absorção da tinta na etapa seguinte. O ponto pode ser observado ao passar a lixa e não ocorrer um acúmulo de massa. “Quando você passar a lixa na massa e ela não entupir [ou seja, não amontoar a massa na lixa] e só sair pó seco, ele está no ponto de lixamento”, explica.

É necessário fazer a remoção total do pó com pano úmido, para depois aplicar a tinta de resina acrílica. “E de preferência que essa tinta tenha um aditivo antimofo mais concentrado, existem tintas especificas para esse tipo de região”, diz.

O número de demãos vai variar de acordo com a cor escolhida, no caso do branco, em média, utiliza-se de duas a três demãos de tinta. O tempo de secagem varia de acordo com o tipo da tinta. Medeiros lembra que esse tipo de informação vem especificada na embalagem do produto.

É importante respeitar a pausa entre secagens, que dura, em média duas horas, mas devido ao banheiro ser uma área mais fria e com menor ventilação, Medeiros recomenda aguardar até 4 horas entre uma pintura e outra.

| Bigstock

Repintura teto de alvenaria

No caso de uma repintura, a tinta de base precisa estar firme e sem bolha e mofo, ou brilho, para que a pintura seja feita diretamente no local. Caso não esteja, a orientação é que se lave a superfície com agua sanitária para matar o mofo, pois, segundo Medeiros, os fungos se alimentam de elementos da tinta. Depois de lavar, enxaguar e secar bem, pode aplicar a tinta diretamente. “Desde que que esteja sem contaminante nenhum, nem brilho também. Se tiver algum brilho, será necessário fosquear essa tinta [que está na superfície de base], para aderir melhor a tinta [nova]”, explica Medeiros.

Caso a tinta de base esteja descascando ou a tinta tenha brilho, Medeiros recomenda que se lixe o local antes da primeira demão, lembrando sempre de limpar o pó que fica após o lixamento antes da primeira camada de tinta.

Para o acabamento, entretanto, ele recomenda que seja uma tinta acetinada – intermediário entre o fosco e o brilhante. O profissional explica que para aplicação das primeiras demãos, a tinta deve ser fosca para que impregne bem na superfície, sendo o acabamento brilhoso feito no acabamento para dificultar a absorção da umidade no teto no dia a dia de uso do banheiro.

Pintura gesso novo

Agora, se tem infiltração, o problema se torna mais complicado, porque é difícil dar uma solução genérica, segundo Medeiros. Recomenda-se que problema seja solucionado antes da pintura, para evitar o trabalho de repintura em pouco tempo depois. A tinta também terá mais dificuldade de agir devido a umidade extra no local. “A grande parte dos descascamento acontece no gesso porque a tinta tem uma certa dificuldade de aderência no material. Em alguns casos, o gesso começa a soltar aquele pó e seria como pintar em uma superfície com areia. Isso é muito comum em teto de gesso”, diz.

Nesse caso, em um teto de gesso novo, Medeiros recomenta o uso de um fundo preparador de paredes – muito parecido com um verniz. “Recomendamos dissolver 100% (proporção igual de diluição). Essa diluição é importante porque esse fundo tem a função de penetrar na porosidade do gesso, para que ele faça essa ponte de aderência entre a tinta e o gesso”, ensina. O produto cria o ponto de ligação entre o gesso e a tinta. A ideia é que a tinta faça aderência ao fundo preparador, que também funciona como uma cola, assim todo aquele pó remanescente do gesso gruda, dando o ponto para a aplicação da tinta. “Sempre respeitando o tempo de secagem, que vem nas instruções na embalagem”, ressalta. Depois de aplicar o preparador, o processo de pintura é o mesmo que o explicado para alvenaria.

Repintura de gesso

Se não tiver descascamento ou bolha, é preciso remover o mofo, sem abundância de água, como acontece no teto de alvenaria. O fundo preparador também é importante, bem como observar se a tinta aparente é brilhosa, se for o caso, é preciso retirá-la com a lixa. “Se já tiver uma tinta, recomendamos o uso do preparador, mas daí não tem necessidade de fazer a diluição 100%. Sugiro fazer 50%, então aguarde a secagem e aplique a tinta”, explica Medeiros.

No gesso que possui descascamento é necessário raspar com uma espátula ou lixar a parte que está descascando, de forma a arrancar toda película de tinta sobressalente. “Feito isso, então podemos indicar o uso do fundo preparador, com diluição de 100%, pois provavelmente estará direto no gesso novamente”, diz. Se precisar compensar o desnivelamento resultado da raspagem ou do lixamento, Medeiros recomenda o uso da massa acrílica, depois disso, deve-se fazer o lixamento, remover o pó e aplicar a tinta.

“Observação importante, não indicamos o uso do fundo preparador sobre massa acrílica, porque ela já tem uma película muito lisa. Aplicar uma nova camada, deixaria a superfície muito lisa e a tinta teria dificuldade de aderência”, ressalta.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]