Fotos: Tulku Thondup/Reprodução| Foto:
Ouça este conteúdo

As tarefas domésticas de limpar a casa também podem ser um exercício espiritual profundo. Pelo menos para os monges budistas, que conferem à faxina tradicional um significado especial, que pode auxiliar na meditação e na remoção das más energias de casa. A lição é do monge Tulku Thondup, que dedica sua vida a traduzir textos antigos do budismo tibetano e a escrever livros sobre ensinamentos da religião.

CARREGANDO :)

Siga HAUS no Instagram

Para conferir o texto original do monge, em inglês, clique aqui. Confira um resumo logo abaixo!

Publicidade

1. Aqueles que não cuidam dos objetos não cuidam das pessoas também: não devemos esquecer que cada objeto foi criado com o trabalho de alguém e ter cuidado ao limpá-lo demonstra respeito e gratidão por esse trabalho.

2. Devemos ser gratos pelas coisas que nos serviram uma vez: precisamos reciclar o que não precisamos mais para que nós, ou outra pessoa, possamos continuar a usá-lo.

3. Se começarmos em silêncio, rodeados de calma, quando a vegetação e as pessoas ao redor ainda dormem, nosso coração vai se sentir em paz e nossa mente, clara: por isso devemos começar a limpar no início do dia; antes de dormir, devemos meditar um pouco para começar a limpeza no dia seguinte.

4. Devemos abrir as janelas e deixar o ar circular pela casa antes de começar a limpar: o ar puro nos deixará mais ávidos para limpar e também nos permitirá “entrar em contato com a fragilidade humana, a natureza e a força da vida”.

Publicidade
Foto: Bigstock

5. Não deixe pratos sujos ou restos de comida durante a noite: os pratos são lavados no final do dia e os resíduos orgânicos tornam-se compostos para as plantas; tudo em casa funciona como um ecossistema.

6. Quando estiver limpando, pense apenas na tarefa que está fazendo naquele momento: evite que sua mente vagueie ou se concentre em outras coisas; mantenha sua atenção no aqui e agora da tarefa que você faz.

7. Sempre divida a limpeza com o restante dos membros da família ou com as pessoas com quem você compartilha a casa: dessa forma, você aprenderá a valorizar o trabalho dos outros e entenderá que dependemos uns dos outros.

*Com Portal Raízes; matéria publicada originalmente em 5 de janeiro de 2019.

Publicidade