Como se livrar de formigas, pulgões, cochonilhas e lagartas nas plantas

Especialistas ensinam a identificar e combater os problemas mais comuns para deixar as plantinhas sempre saudáveis

Foto: Bigstock

por Guta Brandt*

19/07/2019

compartilhe

Você já notou algumas manchas e partes comidas nas folhas das suas plantas? Ou notou que, de repente, plantinhas que estavam saudáveis começaram a perder vigor e murchar? Esses sintomas podem indicar a presença de pragas comuns em jardins, que atingem hortaliças, árvores frutíferas, flores e plantas ornamentais.

De acordo com a jardineira Carol Costa, que apresenta o programa ‘A louca das plantas’ no canal GNT, cochonilhas, pulgões, formigas e lagartas são as pragas mais comuns e afetam a quase todas as plantas.

Foto: Bigstock

Os pulgões e as cochonilhas são insetos sugadores de seiva, que acabam enfraquecendo as plantas e podem, inclusive, levar à morte do vegetal. “Outro problema que essas pragas causam é o aparecimento de um fungo conhecido como fumagina, que surge a partir das substâncias excretadas pelos pulgões e cochonilhas”, afirma Hugo Vidal, especialista em hortifruti e engenheiro agrônomo conselheiro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (CREA-PR).

>>> 5 dicas para cuidar bem das suas plantas durante o inverno

Água na medida certa

Foto: Bigstock

A rega regular e de acordo com a necessidade de cada planta é fator decisivo para mantê-la saudável. “Como qualquer ser vivo, ela precisa de água. A desidratação causa estresse e enfraquecimento, deixando o caminho aberto para a incidência de doenças, fungos e insetos parasitas. Água em excesso também faz mal. É preciso estar atento à planta, que não pode ficar com o substrato seco e nem encharcado”, alerta Vidal.

Adubar é essencial

“Você previne pragas e doenças adubando bem a planta, essa é a melhor forma”, frisa a jardineira Carol Costa, que explica à reportagem a importância de manter as plantas adubadas com macro e micronutrientes para que as pragas fiquem longe.

Ela ainda dá uma dica preciosa para quem não entende ou tem dúvidas sobre a escolha dos adubos. “O que eu sugiro é que você escolha aqueles que têm mais ‘letras’ – que correspondem aos elementos químicos da tabela periódica. Bons adubos têm, pelo menos, 11 nutrientes”, ensina.

Foto: Bigstock

“É importante ressaltar que toda praga é um sinalizador. Precisamos estar atentos a elas para identificar os problemas e as necessidades de cada planta e, assim, mantê-las saudáveis”, explica a jardineira.

Formiga cortadeira indica deficiência de molibdênio, que é um micronutriente, além de indicar que o solo está muito duro. O pulgão indica que há excesso de nitrogênio. A falta de cálcio provoca a incidência de cochonilhas e também de lagartas, cuja presença sinaliza ainda a falta de boro. “Quase todas as pragas estão relacionadas à deficiência na adubação”, alerta.

>>> Rosa do deserto: aprenda a cuidar da delicada flor de suculenta

Esteja atento aos sinais 

Vistorie as plantas com frequência para verificar sinais de infestação. “Se você é um jardineiro que está atento aos seus vasos, é bem fácil de reagir às pragas”, diz Carol. As cochonilhas costumam se instalar nos caules, sob as folhas e, às vezes, até mesmo nos frutos.

Esses insetos parecem manchas, pois são quase estáticos. Já os pulgões costumam ficar em grande quantidade nas nos botões de flores, nas folhas novas, nos caules mais novos e macios. A presença de lagartas e formigas é evidenciada pelas folhas comidas ou com partes cortadas.

Pulgões: além de verdes, esses insetos podem ser de cor amarela, preta ou marrom. Foto: Bigstock

Como tratar? 

Segundo Vidal, mesmo morando em apartamento, o surgimento de pulgões e cochonilhas é inevitável. “A gente acaba levando estes insetos para dentro de casa, eles podem vir nos produtos hortifruti que compramos em feiras e mercados, ou em roupas e sapatos, por exemplo”, afirma o especialista.

Mas, tenha calma! Apesar da infestação assustar, é possível tratar as plantas e voltar a ter um jardim saudável. Para acabar com as lagartas, Carol Costa indica o uso do controle biológico, um pó que deve ser misturado à água. O controle biológico contém ovinhos de uma pequena vespa que, ao se desenvolver, mata as lagartas. O insumo pode ser encontrado em lojas de produtos para jardins.

Para controlar as formigas, basta colocar talco na base das plantas. “Qualquer talco, o perfume não faz mal”, adianta. E, para pulgões e cochonilhas, a jardineira tem uma receita de detox que é tiro e queda. Mas, para funcionar, “não adianta aplicar o detox apenas uma vez, tem que utilizar semanalmente, pelo menos durante um mês para pegar todas as fases da praga”.

>>> 7 dicas de um monge budista para limpar a casa das más energias

Formigas-colônias-comportamento

Foto: Freeimages

Confira a receita de detox:

Ingredientes:

– 2 ou 3 folhas de tomate grandes e frescas;

– 0,5 L de água;

– Pedaço pequeno de sabão de coco;

– Algumas pimentas, de qualquer tipo.

Modo de preparo:

– Pique as folhas de tomate grosseiramente;

– Bata todos os ingredientes no liquidificador;

– Após coar, coloque a mistura em um borrifador, escolha um dia em que não esteja muito quente e aplique sobre as plantas.

*Especial para a Gazeta do Povo.

LEIA TAMBÉM:

Conheça e saiba como cuidar das plantas que rezam

 

Receba nossas notícias por e-mail

Inscreva-se em nossas newsletters e leia em
seu e-mail os conteúdos de que você mais
gosta. É fácil e grátis.

Quero receber

8 recomendações para você