Vai viajar? Saiba como deixar suas plantas saudáveis enquanto estiver fora

No período de férias é necessário deixar os canteiros ou vasos com algum sistema de irrigação. Aprenda a fazer um gotejador

Plantas sofrem durante o período de viagem. Mas é possível minimizar os problemas, programando formas inteligentes de rega. Foto: Fred Kendi / Gazeta do Povo

por Gazeta do Povo

21/12/2018

compartilhe

O período de férias é crítico para quem tem plantas em casa. Como fazê-las sobreviver sem as regas na hora certa, mudanças de posição e aquela atenção especial? Algumas dicas simples poderão ajudar nesta missão. Confira:

1) Conheça os hábitos de regas de cada espécie que você cultiva. Elas precisam de muita ou pouca água? Gostam de muito ou pouco sol? Com esse dado será mais fácil planejar uma forma de garantir que a planta sobreviva às suas férias. Procure não alterar o local onde a planta está habituada para não interferir em mais um aspecto.

2) Nunca encharque o vaso. Na tentativa de compensar os dias sem água, você poderá causar o apodrecimento das raízes, matando a planta. Afinal, as plantas só absorvem a quantidade de água necessária e a sobra ficará acumulada no fundo do vaso.

3) Para vasos pequenos uma boa sugestão é a rega por capilaridade. Você precisará de uma vasilha de água e alguns barbantes. Coloque uma ponta do barbante dentro do recipiente e a outra ponta no vaso que deseja aguar. Por capilaridade, a água vai naturalmente do recipiente até o vaso. Não se esqueça de colocar tampa na vasilha para evitar que ela se torne um foco perfeito para a proliferação do Aedes aegypti.  O mesmo princípio de capilaridade é usado nos vasos autoirrigáveis, que estão disponíveis em floriculturas ou mesmo em supermercados por preços a partir de R$ 10.

 

Sistema de rega por capilaridade é uma boa alternativa para vasos pequenos. Foto: Cura pela Natureza.

Modelo de vaso autoirrigável: em um compartimento vedado armazena-se água que será utilizada conforme a necessidade da planta. Foto: Reprodução.

Modelo de vaso autoirrigável: em um compartimento vedado armazena-se água que será utilizada conforme a necessidade da planta. Foto: Reprodução.

4) Outra boa tática é usar um sistema de gotejamento com garrafa pet. Será necessário fazer um pequeno furo na tampa, enchê-la de água e enterrar parte dela no vaso de cabeça para baixo. Para tirar a pressão é preciso fazer outro furo na parte superior da garrafa. A terra não vai deixar que a água saia toda de uma vez e a planta ficará úmida na medida certa.  Uma solução mais sofisticada é o uso de gotejadores fabricados para esse fim e facilmente encontrados em lojas de jardinagem. São garrafas plásticas com dosador na ponta. Lembre-se de testar o sistema pelo menos uma semana antes da viagem, para se certificar de que ficará tudo bem.

collage

5) Mais uma dica, da arquiteta e paisagista Lucia Manzano é o uso de um gel (composto por 98% de água e 2% de celulose). Ao ser enterrado e entrar em contato com as bactérias do solo, durante o processo de quebra de seus compostos há a transformação do gel para o estado líquido; liberando lentamente a umidade. Esse processo pode durar de 30 a 90 dias.

6) Um erro muito comum e extremamente perigoso em tempos de combate ao mosquito Aedes aegypti é deixar água no pratinho que fica sob o vaso. Além de não ajudar a planta a ficar bem durante os dias de ausência (pois o líquido vai apenas umidificar o fundo do recipiente sem suprir de fato a necessidade de irrigação), a prática cria um ambiente propício para a reprodução dos mosquitos.

LEIA TAMBÉM


Receba nossas notícias por e-mail

Inscreva-se em nossas newsletters e leia em
seu e-mail os conteúdos de que você mais
gosta. É fácil e grátis.

Quero receber

8 recomendações para você