Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Zamioculca: conheça as características e dicas de cuidados da “planta da prosperidade”
| Foto: Bigstock

Se você está chegando agora ao universo das plantas e quer começar por algo mais simples de cuidar, uma boa dica é investir em uma Zamioculca. Conhecida como a “planta da prosperidade”, a variedade de folhas brilhantes e bem desenhadas ganhou fama nos últimos tempos, principalmente por conta do Feng Shui, técnica milenar chinesa que passou a ter muitos adeptos durante o isolamento social na pandemia, por ter como objetivo o equilíbrio de energias e a busca pela harmonia nos ambientes.

Normalmente, a Zamioculca costuma ser colocada na porta de entrada das casas, justamente por ser conhecida como uma planta que atrai dinheiro e riqueza. No entanto, por não necessitar de muitos cuidados e ser muito versátil, a espécie pode ser usada na decoração de diversos espaços, com muita, pouca ou nenhuma luz, como lavabos e banheiros, por exemplo.

Siga a HAUS no Instagram

“Se tiver um canto escuro, um lavabo que não tenha janela, ela não sofre. Nenhuma planta fica feliz sem luz, mas algumas sobrevivem e essa é uma delas. Não definha, não perde folha, não amarela, mantém o aspecto brilhoso e verde mesmo sem luz no ambiente. Gosto de indicar para pessoas que não tem tempo para cuidar”, declara o dono da loja de plantas Argila Botânica, Marcos Bernini.

Variedade black da planta adulta, que tem coloração verde neon quando pequena.
Variedade black da planta adulta, que tem coloração verde neon quando pequena. | Argila Botânica/Divulgação

Também chamada de “ZZ Plant” pelos americanos, a Zamioculca teve origem na Tanzânia, na África. Além desta, existe uma variedade chamada Zamioculca Black, que nasce com folhas em tons de verde neon e, conforme cresce, muda a aparência, ganhando uma coloração preta. De acordo com Bernini, a planta não foi modificada geneticamente, mas encontrada em uma estufa, multiplicada e posteriormente preservada.

Características e cuidados

Bernini explica que uma Zamioculca pode chegar a até um metro de comprimento e que seu crescimento é médio e lento. Segundo o empresário, é preciso colocá-la em um vaso com furos e regá-la apenas uma vez ao mês. “A raíz é bem suculenta, a parte do caule tem muita água. Se regar em excesso, a planta amarela e apodrece. Indico que reguem de menos do que demais”. Bernini ainda recomenda que, para verificar se a planta precisa de água, a dica é colocar o dedo na terra. Se estiver seca, é hora de regar, mas com moderação.

Por ter folhas brilhantes e lisas, a planta pode atrair bastante poeira e, por conta disso, é preciso tirar o pó para não impedir a entrada de luz, mesmo que ela resista bem à baixa luminosidade. “É interessante sempre passar um paninho úmido uma vez ao mês para tirar a poeira. Se for um lugar com muita circulação, tem que observar a necessidade”, ensina o empresário.

É preciso retirar o pó das folhas pelo menos uma vez ao mês, para garantir a saúde da planta.
É preciso retirar o pó das folhas pelo menos uma vez ao mês, para garantir a saúde da planta.| Argila Botânica/Divulgação

Para melhorar a saúde da espécie, são indicados adubos de liberação lenta, sempre respeitando a dosagem adequada e o intervalo necessário entre cada adubação. “A maioria das pessoas erra na dosagem ou coloca adubo granulado, que queima a planta”. Além disso, Bernini também indica que o processo seja interrompido em períodos de baixas temperaturas. “No inverno, a planta entra em dormência e, se está dormindo, não vai absorver os nutrientes do solo”, diz.

Por fim, para ter sucesso no cuidado não só da Zamioculca, mas de qualquer espécie, o empresário destaca que é imprescindível respeitar a rotina da planta. “Elas não gostam de quebra de rotina. Quando há essa quebra, elas entram em estado de alerta porque ou estão passando sede, ou recebendo muita água, ou passando muito frio. Tem que cuidar de todos esses fatores”, finaliza.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]