• Patrocínio

    Vale do Pinhão Prefeitura de Curitiba

Montadora começa investir em prédios inteligentes com edifício que preservará fábrica antiga

Antiga fábrica de tintas em Xangai vai abrigar área residencial e espaço de serviços, escritórios e áreas de uso coletivo. Projeto marca a estreia da iniciativa Mini Living

Projeto busca promover a interação social e tornar o local uma nova centralidade no bairro. Foto: Divulgação / Mini Living

por André Nunes*

compartilhe

Um edifício residencial de uso misto, abrigando serviços, escritórios e áreas de uso coletivo. Essa é a nova “centralidade urbana” anunciada para uma antiga fábrica de tintas em Xangai, na China, pela Mini Living, iniciativa criada pela automotiva Mini para explorar novos conceitos de moradia que otimizam a qualidade de vida em pequenos espaços.

Primeiro projeto de construção em grande escala da Mini Living, a transformação do conjunto de seis edifícios conta com a parceria dos empreendedores chineses da Nova Property Investment Co. A planta industrial existente será transformada através de uma variedade de espaços flexíveis e atividades programáticas, incluindo apartamentos, espaços de trabalho para alugar além de escritórios de coworking, proporcionando uma “flexibilidade individual e otimização do uso do espaço“.

Os apartamentos foram projetados com uma planta mínima, cercada de amplos espaços de uso coletivo que abrigam as demais atividades do programa. As unidades residenciais do edifício foram concebidas tanto para pessoas solteiras e casais, quanto para famílias de configurações diversas. Materiais simples e contemporâneos compõem o interior, além de alguns detalhes inspirados na história de Xangai.

Foto: Divulgação / MINI LIVING

Foto: Divulgação / Mini Living

Para promover a interação social e tornar o local uma nova centralidade no bairro, grande parte do edifício será acessível não apenas para os moradores, mas também para a comunidade local de Jing’An. Espaços públicos, áreas expositivas, jardins, áreas de lazer, lojas, restaurantes e um mercado estarão acessíveis a todos, incentivando a interação entre os moradores e os visitantes.

“Com a Mini Living, procuramos criar uma alternativa autêntica no mercado de aluguel das grandes cidades. Estamos oferecendo um espaço flexível aos seus moradores, dinâmico que funcionará como um respiro em meio a realidade urbana do bairro. Proporcionamos privacidade aos moradores, mas também permitimos que se relacionem com outras pessoas em um espaço repleto de diversidade. Isso faz com que a construção de uma nova cidade seja mais gentil e acessível para as pessoas”, conta Esther Bahne, diretora da Mini Brand Strategy e Business Innovation.

 

Projeto busca promover a interação social e tornar o local uma nova centralidade no bairro. Foto: Divulgação / MINI LIVING

Áreas de serviço, coworking e espaços coletivos estão previstos no projeto. Foto: Divulgação / Mini Living

Além de sua arquitetura inovadora, o projeto também contará com uma variedade de serviços digitais que permitirão aos moradores reservar restaurantes, serviços de limpeza, entrega de comida, aluguel de veículos compartilhados ou outras opções de transporte. A construção do projeto deverá ser iniciada ainda em 2017.

Via Archdaily

*Especial para a Gazeta do Povo

LEIA TAMBÉM

8 recomendações para você