Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Foto: divulgação
Foto: divulgação| Foto:

Você compra uma cerveja, enterra a embalagem e, em algumas semanas, nasce da terra um pé de manjericão. Pode parecer uma ideia fora da casinha, mas ela já é uma possibilidade. A cervejaria argentina Cerveza Patagonia lançou, nesta sexta-feira (4), uma versão 100% biodegradável da sua embalagem de seis unidades.

Seu diferencial é a vida que o papel ganha após o descarte. Na sua composição, o material tem sementes vivas, que podem brotar diferentes tipos de hortaliças se plantados — agrião, tomate, manjericão. Para isso, basta rasgar o papel, cobrir com terra e regar periodicamente.

Batizada de Eco Pack, a embalagem foi realizada em parceria com a empresa Papel Semente, que recicla papel para a produção deste tipo de material. Para que as sementes não morram, o papel é impresso com tinta atóxica e à base d’água. Foram necessários cinco meses de desenvolvimento do projeto até se chegar ao resultado final.

Foto: divulgação
Foto: divulgação

“São oito folhas de papel que vão se juntando uma sobre a outra até dar a espessura necessária”, detalha Guilherme Almeida, gerente de marca da Patagonia no Brasil. “A ideia surgiu para unir o útil ao agradável: sem perder a comodidade, transformar a embalagem em algo sustentável”.

Foram produzidas, de início, 300 embalagens, exclusivas para a cerveja Amber Lager — que, segundo Almeida, é a que mais se adapta ao paladar do brasileiro. A novidade já está disponível nos dois bares da marca no Brasil, um localizado em Curitiba e o outro, em Florianópolis. Ela também será comercializada via e-commerce através do Empório da Cerveja.

A ideia é que esta primeira produção sirva de teste, já que a intenção é fazer o projeto crescer, com mais embalagens produzidas desta forma.

LEIA MAIS

Moinho desativado será primeiro prédio público sustentável de Curitiba

Marca brasileira lança cadeira produzida com plástico 100% reciclado

Brasil pode reciclar 98% dos resíduos da construção civil, mas só consegue dar conta de 21%

Calor gerado pelo metrô de Londres será utilizado para aquecer 1,3 mil casas

 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]