Brasileiros criam mobiliário urbano futurista com iluminação e som ativados com energia solar

Syntz usa tecnologia de filmes fotovoltaicos e internet das coisas para oferecer conforto em espaços de convivência

Mobiliário Syntz parece uma árvore e é capaz de gerar energia para tocar música e carregar celulares. Fotos: Divulgação

por Gazeta do Povo

21/06/2019

compartilhe

A energia solar de terceira geração em conjunto com a internet das coisas possibilitou a criação de um mobiliário destinado para espaços de interação social. A sacada do projeto Syntz é a “mágica” que faz com que música e iluminação sejam acionadas com a energia solar. Assim o produto é ideal para instalação em áreas ao ar livre ou com restrição de eletricidade.

A criação é fruto da parceria entre a Sunew, empresa brasileira que fabrica filmes fotovoltaicos orgânicos (OPV) e a Hephaenergy, especializada em internet das coisas.

Tanto música quanto iluminação são controladas por um aplicativo de celular. A ideia é que o uso possa ser em áreas livres, como espaços de convivência de hotéis, resorts, clubes, restaurantes, casas noturnas, lounges, rooftops, parques urbanos, centros de convenções, entre outros.

>>> Painéis fotovoltaicos passam a ser exigidos por lei em novas residências nos Estados Unidos

“A Syntz transforma a energia solar em um ambiente interativo, envolvente e vibrante, por isso lhe demos um nome que relembra a fotossíntese”, explica Felipe Batista, CEO da Hephaenergy.

Foto: Divulgação

Além de gerar energia solar, o OPV absorve raios UVA e UVB, portanto a sombra que o mobiliário produz gera melhor conforto térmico. Outra vantagem é que a aplicação do filme fotovoltaico praticamente elimina sons externos e permite pouco vazamento da música para fora do ambiente.

>>> Com projeto racional e custo reduzido, casa se destaca pela conexão com a terra

Autossuficiente, o mobiliário oferece tomadas para recarregar celulares e outros equipamentos.  “Trata-se de uma nova geração de mobiliário urbano que une sustentabilidade, tecnologia e design. Nas cidades inteligentes o OPV poderá habilitar conectividade, novas funcionalidades e autonomia energética de forma integrada e harmônica”, afirma Tiago Alves, CEO da Sunew. A Syntz tem preço de venda sob consulta, a produção será limitada e o tempo para disponibilização das peças é de aproximadamente 90 dias.

LEIA TAMBÉM

Cientistas brasileiros criam tecnologia inédita para conforto térmico e são premiados nos EUA

Receba nossas notícias por e-mail

Inscreva-se em nossas newsletters e leia em
seu e-mail os conteúdos de que você mais
gosta. É fácil e grátis.

Quero receber

8 recomendações para você