Secretaria Municipal de Cultura de SP entra no impasse entre Doria e grafiteiros

Depois de Doria pintar de cinza alguns grafites da Avenida 23 de Maio, a orientação da pasta é que obras de famosos não sejam apagadas

grafite-sao-paulo-reproducao-facebook-joao-doria-2

Polêmica entre o prefeito e grafiteiros aumentou depois de Doria apagar alguns desenhos da Avenida 23 de maio no último sábado (14). Foto: Reprodução/Facebook/João Doria

por HAUS

20/01/2017

compartilhe

A Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo entrou na polêmica envolvendo o prefeito da cidade, João Doria (PSDB), e os grafiteiros. O titular da pasta, André Sturm, segundo portal notícias Veja, pediu que um fotógrafo registrasse as obras de autoria de grafiteiros famosos na Avenida 23 de Maio, ícone do grafite na capital paulista. Segundo o veículo, as imagens serão encaminhadas à prefeitura para evitar que desenhos como os de OSGEMEOS, Nina Pandolfo e Nunca sejam apagados.

A guerra entre Doria e os grafiteiros se intensificou no último dia 14 de janeiro, quando o prefeito anunciou novas ações do programa Cidade Linda. Em uma delas, ele pintou de cinza por cima de alguns exemplares na avenida, afirmando que estavam velhos e “vandalizados por pichadores”.

grafite-sao-paulo-reproducao-facebook-joao-doria-3

No último dia 14, Doria pintou de cinza por cima de grafites da Avenida 23 de Maio. A Secretaria Municipal de Cultura fez fotos de obras que não devem ser apagadas. Foto: Reprodução/Facebook/João Doria

grafite-avenida-23-maio-haddad

O painel tem mais de 5 quilômetros e ganhou desenhos de mais de 200 artistas urbanos. Foto: Heloisa Ballarini/Divulgação Prefeitura de SP

Defendendo a diferença entre grafite e pichação, Doria propõe a criação de áreas específicas para o primeiro e punições para o segundo. A região passou a receber grafites em 2015 com autorização do então prefeito Fernando Haddad (PT). Mais de 200 artistas trabalharam nos mais de 5 quilômetros do painel.

grafite-avenida-23-maio-haddad-2

O prefeito afirmou que manterá oito espaços para grafite na avenida. Foto: Heloisa Ballarini/Divulgação Prefeitura de SP

A área conhecida como “Arcos do Jânio”, na Rua Jandaia, no centro, também perderá seus grafites. Segundo o prefeito, o local será reformado, dando lugar a um projeto voltado a grafiteiros e muralistas, com cafés e lojas, a exemplo do que acontece no distrito de Wynwood, em Miami, nos Estados Unidos, em que galerias foram instaladas em uma região de grafite.

Em resposta às atitudes, São Paulo vem recebendo grafites de protestos, como o do grafiteiro Todyone, que mostra uma caricatura de Doria vestido de gari varrendo a pichação para debaixo do tapete e dizendo “Isso não é arte. Romero Britto é top”.

reproducao-instagram-todyone-grafite-sao-paulo

Todyone grafitou na zona leste da cidade um protesto contras as medidas do prefeito. Foto: Reprodução/Instagram/Todyone

OSGEMEOS, dupla brasileira de grafiteiros com reconhecimento mundial, já opinou em outra época, antes de Doria assumir a prefeitura, sobre o combate ao grafite na cidade. Em desenho assinado e divulgado nesta terça-feira (17) pela página de Facebook Graffiti de Rua, os irmãos Gustavo e Otávio Pandolfo afirmaram que um prefeito deve atentar para outras questões.

graffiti-grafite-osgemeos-arte-de-rua-polemica-joao-doria-pichacao

OSGEMEOS já haviam protestado contra medidas de apagar grafites em outras épocas, antes de Doria assumir a prefeitura. Foto: Reprodução/Facebook/Graffiti de Rua

 LEIA TAMBÉM

>>>Em entrevista exclusiva, OSGEMEOS falam de arte e política

>>>Mural de 3 mil m² feito por Eduardo Kobra vira point no Rio

>>>Grafite na Trajano Reis traz novos ares a prédio de 1935

Receba nossas notícias por e-mail

Inscreva-se em nossas newsletters e leia em
seu e-mail os conteúdos de que você mais
gosta. É fácil e grátis.

Quero receber

8 recomendações para você