Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Aperto de mão entre os líderes comunistas da Rússia, Josef Stalin, e da China, Mao Tse-tung | Pixabay
Aperto de mão entre os líderes comunistas da Rússia, Josef Stalin, e da China, Mao Tse-tung| Foto: Pixabay

A Revolução Comunista chega ao seu centenário carregada por uma carga negativa. As marcas deixadas pelo regime totalitarista que inspirou movimentos de esquerda pelo mundo são difíceis de ser esquecidas, em especial, pelo povo soviético e outros sobreviventes dos métodos criados pelos comunistas. A literatura, ao longo dos anos, tem compilado de maneira diversa os efeitos dessa ideologia. 

Opinião da GazetaÉ insensato comemorar a Revolução Russa

A seguir, seis livros que ajudam a entender o legado de horror deixado pelo comunismo:

Capa do livro “A Maldição de Stalin”, lançado pela Editora RecordReprodução

1 - A Maldição de Stalin - O projeto de expansão comunista na Segunda Guerra Mundial e seus ecos para além da Guerra Fria 

Ano de lançamento: 2017 

Autor: Robert Gellately 

Editora: Record 

Preço: R$ 79,90 

Por que ler: publicado pela Editora Record por ocasião do centenário da Revolução Russa, A Maldição de Stalin apresenta uma investigação sobre as origens da Guerra Fria. O autor, o historiador Robert Gellately, analisa a estratégia russa para expandir o império soviético e o papel de Stalin ao empregar o terror como método para manter o poder, de acordo com a ideologia marxista-leninista. As consequências desse plano, como erradicação de opositores, abolição do capitalismo e supressão de liberdades individuais, também são pontuadas no livro.

Livro “Sussurros” traz entrevistas com sobreviventes da União SoviéticaReprodução

2 - Sussurros - A vida privada na Rússia de Stalin 

Ano de lançamento: 2010 

Autor: Orlando Figes 

Editora: Record 

Preço: R$ 114,90 

Por que ler: Orlando Figes reconstrói nesta obra as experiências das pessoas que viveram os anos de terror do regime de Stalin e como o ditador teve influência na vida pessoal e familiar do povo soviético. Para isso, o autor tomou como base o trabalho de investigadores que vasculharam registros como cartas, diários e fotografias, além de entrevistas com sobreviventes. O resultado são histórias dolorosas e comoventes de uma sociedade que sussurrava para escapar da prisão e da morte.

Livro “A História do Comunismo contada aos doentes mentais”, de Matéi VisniecReprodução

3 - A história do comunismo contada aos doentes mentais 

Ano de lançamento: 2012 

Autor: Matéi Visniec 

Editora: É Realizações 

Preço: R$ 24,90 

Por que ler: o livro narra a trajetória do premiado escritor Iuri Petrovski por um hospício, semanas antes da morte de Stalin, em 1953. O ambiente mistura pacientes reais e opositores políticos internados pelo regime, enquanto o culto à imagem do ditador permeia o enredo. Iuri é convidado a escrever de forma poética e sensível sobre a história do comunismo e a Revolução de Outubro na Rússia.

Livro relata como decisões equivocadas do governo chinês custaram vidas humanasReprodução

4 - A grande fome de Mao – A história da catástrofe mais devastadora da China 

Ano de lançamento: 2017 

Autor: Frank Dikötter 

Editora: Record 

Preço: R$ 57 

Por que ler: a obra se concentra no regime político que imperava na China entre os anos de 1958 e 1962 e a campanha O Grande Salto Adiante, de Mao Tsé-Tung e o Partido Comunista Chinês - ainda vivo após a implosão da União Soviética. A iniciativa tentou acelerar o crescimento do país em menos de 15 anos, mas fracassou. Dikötter relata como as decisões equivocadas do governo, em nome de uma suposta igualdade social, custaram sofrimento e vidas humanas.

“O Livro Negro do Comunismo”: obra é uma espécie de enciclopédia sobre a violência resultante do comunismo no mundoReprodução

5 - O livro negro do comunismo – Crimes, terror e repressão 

Ano de lançamento: 1999 

Autores: Stephanie Courtois, Nicolas Werth, Jean-Louis Panne, 

Editora: Bertrand Brasil 

Preço: R$ 114,90

Por que ler: a obra é uma espécie de enciclopédia sobre a violência resultante do comunismo no mundo ao mostrar como o chamado “socialismo real” foi uma tragédia de dimensões gigantescas. Os autores relatam como essa violência comunista se tornou um instrumento político-ideológico na rotina do governo em episódios da história humana como a Revolução Francesa, na fase violenta do jacobinismo, e a industrialização do extermínio judaico pelos nazistas. Também traz relatos sobre os três maiores comunistas da espécie humana, Lênin, Stalin e Mao Tse-Tung, e outros que atuaram no Terceiro Mundo, como o cubano Fidel Castro e o cambojano Pol Pot. 

Jornalista Osvaldo Peralva faz um relato no livro sobre o que o levou a se decepcionar com o regimeReprodução

6 - O retrato 

Ano de Lançamento: 2015 

Autor: Osvaldo Peralva 

Editora: Três Estrelas 

Preço: R$ 40,90 

Por que ler: o livro representa um documento de crítica importante ao comunismo, a partir do relato do jornalista Osvaldo Peralva. Ele chegou à cúpula da comunicação do movimento em Moscou, nos anos 1950, e viveu sacrifícios pessoais para fazer parte da estrutura, após ingresso no Partido Comunista Brasileiro (PCB). O autor conta como funcionava a estrutura centralizada dos partidos comunistas, em meio à conjuntura da época, além do que o levou a romper com a organização.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]