Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Cartaz do filme Juan dos mortos: sátira à ditadura cubana | Divulgação
Cartaz do filme Juan dos mortos: sátira à ditadura cubana| Foto: Divulgação

Cuba é um país que divide opiniões. Dados positivos em saúde e educação são as principais propagandas do regime socialista e motivos pelos quais muitos cubanos e não cubanos defendiam Fidel Castro e continuam apoiando o irmão Raul. Mas qual é o preço que a população deste país está pagando? 

É difícil medir, embora existam levantamentos realizados por organizações não governamentais, como a Cuba Archive, que tem registrado em sua base de dados 7.335 mortes atribuídas ao regime castrista desde 1959

O cinema, mesmo não sendo considerado documento oficial, cumpre papel fundamental de registrar pontos de vista divergentes daqueles apresentados pelo próprio governo e seus aliados. Nesta lista, elaborada com a ajuda de especialistas em cinema, elencamos filmes que mostram facetas obscuras da ditadura dos Castro: fuzilamentos, campos de concentração, prisões arbitrárias, perseguições aos homossexuais, pobreza, falta de liberdade de expressão e a desilusão das novas gerações e daqueles que uma vez apoiaram a revolução socialista.   

Morango e Chocolate (Fresa y Chocolate) 

Ano: 1994 

Direção: Tomás Gutiérrez Alea e Juan Carlos Tabío 

História do filme: De uma tentativa de sedução frustrada nasce uma amizade improvável na Havana de 1979 entre Diego, um intelectual homossexual, e David, um estudante universitário apaixonado por uma mulher que o rejeitou e pelos ideais da revolução cubana. No primeiro encontro dos dois, David deixa claro seu desconforto em relação à orientação sexual de Diego, mas volta a vê-lo, incentivado por um de seus colegas de universidade, para investigá-lo. A cada conversa os dois passam a perceber que, apesar das diferenças óbvias, eles possuem algo em comum: o gosto pela literatura e o amor à Cuba, apesar de verem o regime socialista sob diferentes perspectivas. 

Por que é importante assistir: Em Morango e Chocolate, o diretor Tomás Gutiérrez Alea mostra que, apesar de ter sido um apoiador da revolução socialista no país, não hesita mostrar em seus filmes os defeitos do regime castrista. Nesta produção, o diretor faz uma crítica à falta de liberdade na ilha comandada por Fidel Castro, abordando um tema considerado tabu na sociedade cubana: a homossexualidade. Em um dos muitos diálogos interessantes entre os dois amigos, Diego conta que havia se frustrado com a revolução ao perceber que a tão falada liberdade não era para todos, referindo-se a si próprio por ter que viver sua homossexualidade às escondidas. Além do tom político, é um filme que fala sobre amizade, tolerância e respeito ao próximo. Concorreu ao Oscar na categoria Melhor Filme Estrangeiro na 67ª edição e foi vencedor dos prêmios Goya de Melhor Filme Ibero-Americano, Urso de Ouro na categoria prêmio Especial do Júri e Melhor Filme no Festival de Gramado. 

 

Antes do anoitecer (Before Night Falls) 

Ano: 2001 

Diretor: Julian Schnabel 

História do filme: Baseado no livro autobiográfico do cubano Reinaldo Arenas, Antes que Anochezca, o filme narra a história de vida do escritor, desde a infância vivida na extrema pobreza na área rural de Cuba, até sua morte em um pequeno apartamento em Nova York. Quando era adolescente se juntou aos revolucionários socialistas para a derrubada do ditador Fulgêncio Batista, mas anos mais tarde foi perseguido e preso pelo regime de Fidel Castro por ser homossexual e por escrever sobre assuntos que desagradavam aos que estavam no poder. Em 1979, devido a uma autorização do regime para a saída de homossexuais, contrarrevolucionários e criminosos da ilha, Arenas vai para o exílio nos Estados Unidos. 

Por que é importante assistir: O filme tem uma abordagem bem diferente de Morango e Chocolate para tratar do mesmo assunto: a repressão à homossexualidade em Cuba. Mas não é por isso que perde a sensibilidade. O drama mostra os abusos do regime socialista em relação aos “contrarrevolucionários” e aos homossexuais ao denunciar campos de trabalho forçado, prisões arbitrárias e condições desumanas nos presídios. Em Cuba, até 1979, homossexualismo era considerado crime. 

 

Conduta Imprópria (Mauvaise Conduite) 

Ano: 1983 

Diretores: Nestor Almendros e Orlando Jimenez-Leal 

História do filme: A parceria entre os dois diretores resultou em um documentário que reúne depoimentos de exilados cubanos e alguns momentos históricos em Cuba, narrados a partir do ponto de vista da imprensa nacional cubana (pró-regime) e dos próprios exilados, como o episódio em que milhares de pessoas foram até a embaixada do Peru em busca de asilo para deixar Cuba. Um dos temas centrais do documentário também é perseguição aos homossexuais, que, segundo os depoimentos, eram o grupo de pessoas que mais sofriam com a repressão do regime socialista. 

Por que é importante assistir: Por ser um documentário, traz à realidade o que os dois filmes anteriores mostram e que mais tarde até mesmo Fidel Castro reconheceu, que foi a intolerância e agressividade do regime socialista na repressão a gays e lésbicas nas décadas de 1960 e 1970. Na voz dos entrevistados, explica como eram os campos de concentração que funcionaram entre 1965 e 1968 em Cuba e as condições das prisões. 

O filme também vale a pena porque traz os depoimentos dos importantes escritores cubanos Reinaldo Arenas e Virgilio Piñera. 

 

A Morte de um Burocrata 

Ano: 1966 

Diretor: Tomas Gutierrez Alea 

História do filme: Um proletário morre e em homenagem ao trabalho que exerceu os colegas resolvem enterrá-lo com sua carteira de trabalho, mas o que os familiares não sabiam é que o documento seria necessário para solicitar a pensão da viúva. É aí que começa a saga do sobrinho do morto para conseguir recuperar a carteira de trabalho, mas a burocracia que ele encontra é tanta que o fim do filme é tragicômico. 

Por que é importante assistir: A Morte de um Burocrata é uma sátira social sobre dois subprodutos do socialismo: a burocracia e os jeitinhos que as pessoas acham para burlar o sistema. Em alguns momentos do filme as situações sao tão absurdas que fazem rir e em outros até lembram a burocracia brasileira. 

 

Retorno à Ithaca 

Ano: 2014 

Diretor: Laurent Cantet 

História do filme: Depois de 16 anos, Amadeu volta a sua terra natal, Cuba, e reencontra os amigos no terraço de um prédio decadente em Havana. À medida que os amigos vão conversando, feridas de anos atrás voltam a se abrir, principalmente após Amadeu revelar que voltou ao país definitivamente. Seus amigos tentam convencê-lo de que sua ideia de morar em Cuba depois de anos no exílio é loucura e citam suas próprias experiências para provarem seus pontos de vista. 

Por que é importante assistirRetorno à Ithaca é um filme que trata sobre a decepção de uma geração de cubanos que acreditaram que seu país poderia ser melhor com o socialismo, mas que ao final acabaram colecionando lembranças amargas e ressentimentos. Os personagens nos contam, entre outras coisas, que a educação superior não foi suficiente para que conseguissem ter bons salários e boa condição de vida. O diretor do filme é francês, mas foi o aclamado autor cubano Leonardo Padura (de “O Homem que Amava os Cachorros”) quem escreveu os diálogos. 

 

Juan dos mortos 

Ano: 2013 

Diretor: Alejandro Brugués 

História do filme: Seria mais um dia comum na vida de Juan e de todos os habitantes de Havana, não fosse a invasão de zumbis que infesta a capital cubana. Juan é o anti-herói da história, que passou a ver a situação toda como uma forma de negócio, mas quando sobram poucas pessoas vivas ele se vê na posição de salvar os amigos e a filha. Para o governo cubano, os zumbis sao dissidentes enviados ao país pelos Estados Unidos. 

Por que é importante assistir: É uma comédia escrachada que vai render boas gargalhadas. Usa um humor ácido para criticar o governo dos Castro e até mesmo os próprios cubanos e os americanos. Em uma das cenas, quando os zumbis já haviam tomado conta das ruas, Juan fala que a cidade não está tão diferente do que era antes. No decorrer do filme é possível perceber críticas ao autoritarismo do regime socialista, ao sistema de saúde, de transporte e à alienação em um país onde a única organização de mídia é o próprio governo. 

 

Patria o Muerte: Cuba, Fatherland or Death 

Ano: 2016 

Diretor: Olatz López Garmendia 

História do filme: Este documentário produzido pela HBO, canal de televisão norte-americano, mostra uma nova geração de jovens cubanos frustrados. Enquanto alguns protestam pela liberdade de expressão e de imprensa, outros vivem o dia a dia, tentando sobreviver com os péssimos salários que recebem. Alguns dos temas visitados nos depoimentos dos entrevistados sao as repressões violentas por parte do governo, prisões injustificadas, perseguição a travestis e dificuldades financeiras. 

Por que é importante assistir: A produção mostra a Cuba atual, as esperanças e desesperanças da geração de jovens que foram educados em um regime socialista, mas que desejam muito mais para seu país. A pluralidade dos personagens e suas diferentes histórias também fazem valer a pena assistir a este documentário. 

21 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]