i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Questão racial

Estatísticas mostram que Brasil não pode importar discurso racial dos EUA

  • PorGabriel de Arruda Castro, especial para a Gazeta do Povo
  • 09/08/2020 21:26
Black Lives Matter
Black Lives Matter: importar movimentos raciais para o Brasil ajuda ou atrapalha?| Foto: BigStock

A pauta racial tomou conta do debate público nos Estados Unidos depois da morte de George Floyd, em uma ação injustificável da polícia da cidade de Mineápolis. O caso se transformou em pretexto para movimentos políticos radicais e oportunistas, mas também ressuscitou uma preocupação legítima com o histórico recente de discriminação racial nos Estados Unidos. O país foi varrido por protestos pacíficos - e atos violentos.

Como ocorre com cada vez mais frequência na era das redes sociais, a agitação repercutiu de imediato no Brasil. Times de futebol fizeram protestos contra o racismo. O slogan “Black Lives Matter” foi simplesmente traduzido para “Vidas Negras Importam” e passou a ser repetido à exaustão. Mas, embora a preocupação com o racismo seja bem-vinda, é preciso cuidado ao reproduzir automaticamente a terminologia do debate racial dos Estados Unidos. A formação racial americana é diferente da brasileira, assim como são diferentes as formas como cada país lidou com a questão racial ao longo de sua história.

A principal diferença da classificação racial nos dois países é metodológica: com pouca miscigenação, os Estados Unidos dividem, de forma geral, sua população em “brancos”, “pretos”, “latinos” e “asiáticos”. Embora também use a nomenclatura “branco” e “preto”, o Brasil tem uma categoria intermediária que abarca pessoas de diferentes origens étnicas: o “pardo”. E é aí que reside boa parte do problema. A existência dos pardos não permite a simplificação da questão racial a um embate entre opressores e oprimidos, nos termos marxistas usados com frequência por militantes da causa negra. Grande parte dos brasileiros é herdeira tanto de um lado quanto de outro.

"País de maioria negra"

Talvez nenhum lugar seja tão emblemático da complexidade da composição racial brasileira - e a imprecisão das estatísticas nesse campo - quanto o Amazonas. O estado da Região Norte é, ao mesmo tempo, o segundo com maior população negra e o segundo com menor população afrodescendente do Brasil. Como isso é possível?  A explicação passa pela metodologia empregada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O órgão simplesmente soma “pretos” e “pardos” e os coloca em uma categoria única: os “negros”. Acontece que, nesse caso, “negro” não necessariamente se refere a alguém de ascendência africana.

Segundo o IBGE, o Amazonas tem 69% de pardos e apenas 4% de pretos. Entre os demógrafos, é consenso que a presença de africanos no Amazonas foi reduzida, com pouco uso da mão de obra escrava, e que o elemento étnico predominante é o indígena.

A maior parte dos “negros” do Amazonas, portanto, não são afrodescendentes: são pardos com origem nos povos indígenas. O cenário, aliás, é comum na região Norte, onde a presença das tribos nativas perdurou de forma mais consistente. Não por acaso, o Pará é o estado com maior percentual de pardos no país. O fenômenos se repete, em menor escala, país afora: brasileiros com antepassados indígenas são classificados como “negros” mesmo que não tenham ancestralidade africana.

Isso significa que a frase "O Brasil é um país de maioria negra", repetida por militantes de esquerda para sustentar a tese de que a maior parte dos brasileiros é sobretudo de origem africana, não é claramente sustentada pelos dados.

Oficialmente, o Brasil tem 42,7% de brancos, 46,8% de pardos, 9,4% de pretos, com um total de 1,4% dividido entre amarelos (com origem asiática) e indígenas. Na prática, quase metade do país se encaixa na categoria imprecisa dos pardos. E, se a simples autodeclaração não é suficiente para permitir uma classificação mais exata, um ramo da ciência pode auxiliar a resolver esse quebra-cabeças: a genética.

Cearenses "vikings"

Relativamente recentes, os chamados testes de ancestralidade genômica utilizam o DNA para mapear a origem étnica de um indivíduo. E as conclusões podem ser surpreendentes.

O estudo mais recente desse tipo, lançado em 4 de agosto,  analisou a composição genética de 160 moradores do Ceará e concluiu que o elemento europeu era, de longe, o mais frequente. O estudo, publicado pelo instituto Myra Eliane e conduzido pelo professor Eran Elhaik, da Universidade de Lund, na Suécia, também encontrou nos cearenses um percentual não desprezível (em torno de 10%) de material genético do norte da Europa, mais especificamente da região onde viviam os vikings. A explicação está na miscigenação desses povos com habitantes de Portugal séculos atrás. Muitos cearenses, de certa forma, são mais “vikings” do que negros ou indígenas.

De qualquer forma, a mensagem geral do estudo é a da miscigenação onipresente: “Em média, os brasileiros têm mais grupos genéticos do que qualquer outra população no mundo, o que atesta quão diversos e heterogêneos eles são”, disse o professor Eran Elhalk durante o lançamento da pesquisa. Essa tem sido, aliás, a conclusão de todos os estudos sobre a composição étnica dos brasileiros.

Um levantamento mais abrangente foi feito em 2015 por pesquisadores Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). O estudo, um dos mais completos do tipo no Brasil, utilizou amostras de aproximadamente 6.500 moradores das cidades de  Pelotas (RS), Bambuí (MG) e Salvador (BA). As três são representativas dos padrões raciais das diferentes regiões do país. Conclusão; em Bambuí e Pelotas, a ancestralidade europeia era superior a 75%, com aproximadamente 15% de origem africana e cerca de 8% de origem indígena.

Mesmo em Salvador, conhecida como a capital mais negra do Brasil, o resultado demonstrou um certo equilíbrio: a ancestralidade africana ficou em 50%, ante 43% da europeia e cerca de 7% da indígena. Na prática, o estudo demonstrou que, no cômputo geral, os pardos brasileiros talvez sejam mais brancos do que negros.

Fenótipo x genótipo

Parte dos contra-argumentos ao uso da genética para discutir o racismo dá conta de que o preconceito não se baseia primariamente na estrutura genética de um indivíduo (genótipo), mas na aparência dele (fenótipo). É verdade. Os indícios de que a etnia predominante no país é a europeia não significam que os horrores do passado devam ser apagados, ou que essa prevalência dê aos brancos algum tipo de direito especial. Uma coisa, entretanto, esses indícios devem provocar: dúvidas sobre as estatísticas utilizadas por alguns militantes da causa negra. Se o debate sobre o racismo no Brasil se baseia em dados imprecisos, quanto de segurança pode-se ter ao se debater o assunto?

A professora Tabita Hünemeier, da Universidade de São Paulo, aponta outro aspecto que merece ser considerado e que contribui para a imprecisão dos dados, embora no sentido contrário: “Como existe muito preconceito no Brasil, as pessoas tendem a se declararem pardos em vez de pretos, então é difícil saber também qual é a porcentagem de população preta. Considerando que quase 5 milhões de africanos vieram para o Brasil, eu esperaria muito mais do que apenas 9% de pretos declarados”, ela afirma.

Analisando o tema um pouco mais a fundo, é preciso concluir que, na verdade, todos partimos de um ancestral comum com origem na África. “O conceito de raça não é biologicamente validado. Do ponto de visto biológico, todas as populações humanas são ramos diferentes da população africana”, diz a professora Tabita.

Ou seja: o próprio conceito de raça é que não se sustenta de forma geral, e muito menos no Brasil.

Americanização do debate

Para além do debate sobre a miscigenação das raças, também é fato que os Estados Unidos mantiveram uma política de segregação mais intensa, e por muito mais tempo, do que o Brasil. Foi apenas em 1954 que a Suprema Corte americana decidiu que a segregação racial nas escolas era inconstitucional. Ainda assim, nove anos depois, o governo federal precisou enviar tropas para garantir que alunos negros pudessem frequentar a Universidade do Alabama. O governador do estado, George Wallace, protestou e tentou impedir pessoalmente que a integração racial fosse implementada. Um ano antes, ele havia sido eleito com o chocante lema “Segregação agora! Segregação amanhã! Segregação para sempre!”. Cenas do tipo eram inimagináveis no Brasil já naquela época.

É nesse contexto que surgem, por exemplo, as chamadas ações afirmativas: os negros não podiam sequer se aproximar de algumas universidades; quando a integração passou a ser a regra, muitas instituições acreditaram que era preciso oferecer uma espécie de compensação.

No Brasil, entretanto, o contexto histórico e racial era muito diferente; embora os negros estivessem em desvantagem do ponto de vista econômico, não havia um regime oficial de segregação que os impedisse de frequentar as universidades. Outro exemplo: já na Segunda Guerra Mundial, quando o Brasil enviou sua Força Expedicionária à Europa, soldados de todas as raças lutavam lado a lado, enquanto as forças americanas ainda mantinham uma separação.

Por causa de diferenças como essas, a “americanização” do debate racial no Brasil acaba importando ideias e soluções que não se adaptam ao contexto brasileiro. Isso não quer dizer que não exista racismo no Brasil; mas a simples divisão entre “brancos e negros” gera uma imprecisão estatística, que exclui descendentes de indígenas e cria uma falsa dicotomia entre opressores e oprimidos, como se um grupo devesse ao outro - e nunca é recomendável danificar o tecido social com base em inverdades.

Os “negros” do IBGE merecem toda a atenção do poder público, não porque sejam a maioria da população, ou porque sejam todos descendentes de escravos, mas porque, como diz a Constituição, possuem exatamente os mesmos direitos e os mesmos deveres dos demais brasileiros.

26 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 26 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • L

    Leandro Fluzão

    ± 0 minutos

    Há uma forte imprecisão na matéria. Não existe isso de "negros" do IBGE. De fato, o IBGE não se utiliza dessa expressão historicamente construída pelos romanos - que eram brancos e falavam o latim -, empregando para cor e raça os termos pardo, branco, preto, amarelo e indígena. Inexiste em qualquer relatório do IBGE a palavra "negro". Aliás, o que significa ser "negro"? Porque os colonizadores portugueses chamavam os indígenas brasileiros de "negros da terra"? Porque nos E.U.A, diz-se "black", enquanto negro ou nigger são termos tidos como ofensivos?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • L

      Leandro Fluzão

      ± 0 minutos

      Há uma forte imprecisão na matéria. Não existe isso de "negros" do IBGE. Corretamente o IBGE não se utiliza dessa expressão historicamente construída pelos romanos - que eram brancos e falavam o latim -, empregando para cor e raça os termos pardo, branco, preto, amarelo e indígena. Inexiste em qualquer relatório do IBGE a palavra "negro". Aliás, o que significa ser "negro"? Porque os colonizadores portugueses chamavam os indígenas brasileiros de "negros da terra"? Porque nos E.U.A, diz-se "black", enquanto negro ou nigger são termos tidos como ofensivos?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • A

        AALB

        ± 13 dias

        chance zero da militancia negra buscar a verdade.Acreditam que o "discurso da vitimizacao perpetua" lhes dara mais vantagens e beneficios.Prefiro acreditar que lutar para ajudar os mais pobres, independente de cor de pele, e' o caminho correto. Somos todos humanos,uma so raca.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • M

          Mauricio Conde

          ± 16 dias

          Excelente texto.

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • C

            Claudia Aguiar de Siqueira

            ± 18 dias

            Excelente contribuição ao debate, Gabriel!

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            • E

              Emerson Luís

              ± 19 dias

              Quando fala-se de implementar o liberalismo no Brasil, a esquerda brasileira diz que os princípios liberais não funcionariam aqui por causa das diferenças históricas e culturais. Mas quando é para importar narrativas da esquerda americana, eles mal traduzem e já aplicam.

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

              • D

                Denis

                ± 19 dias

                Aprendo muito lendo este jornal. Parabéns

                Denunciar abuso

                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                Qual é o problema nesse comentário?

                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                Confira os Termos de Uso

                • D

                  Dylan Rees

                  ± 19 dias

                  Dada a complexidade brasileira deve-se simplesmente sustentar que raça não existe, como, de fato, não existe. Seria uma avanço liderado pelo Brasil que prova que raça em si não importa. Agora, que humanos sempre irão categorizar uns aos outros irão e que categorias tem fundo de busca de um poder sobre um outro grupo existe. Mas raça (mesmo fenotipo) deixa de ser uma ferramenta de categorização. A esquerda adora categorias - sempre não comprovadas - os "burguês, o "capital" - inúmeras categorias preconceituosas.

                  Denunciar abuso

                  A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                  Qual é o problema nesse comentário?

                  Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                  Confira os Termos de Uso

                  • A

                    André

                    ± 19 dias

                    E algum esquerdista está interessado em estatística? Maquiam e manipulam os dados descaradamente para tentar justificar de alguma forma a ideologia estúpida deles. Isso vale para todos os levantamentos de dados, sobre qualquer assunto. Certa vez fiz uma pesquisa pessoal para confrontar os dados apresentados pela esquerda sobre violência contra a mulher com os dados oficiais da polícia e de ONGs e fiquei abismado com tamanha distorção que havia na apresentação das informações pelas feministas. Qualquer pessoa que queira fazer uma pesquisa honesta vai ficar enojado de ver o grau de manipulação das informações que esse pessoal utiliza para enganar o verdadeiro GADO.

                    Denunciar abuso

                    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                    Qual é o problema nesse comentário?

                    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                    Confira os Termos de Uso

                    • M

                      marco farias

                      ± 19 dias

                      precisamos parar de querer nos encaixar em gavetas de opressores e oprimidos e promover direitos e deveres iguais para todos. Raça não existe.

                      Denunciar abuso

                      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                      Qual é o problema nesse comentário?

                      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                      Confira os Termos de Uso

                      • J

                        Jorge Dias

                        ± 19 dias

                        O Brasil não precisa de BLM pois já tem cotas.

                        Denunciar abuso

                        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                        Qual é o problema nesse comentário?

                        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                        Confira os Termos de Uso

                        • M

                          Michel Ribeiro

                          ± 19 dias

                          Texto sensacional. Parabéns.

                          Denunciar abuso

                          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                          Qual é o problema nesse comentário?

                          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                          Confira os Termos de Uso

                          • A

                            Araucária

                            ± 19 dias

                            Esse comentário foi removido por não estar de acordo com os Termos de Uso.

                            Denunciar abuso

                            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                            Qual é o problema nesse comentário?

                            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                            Confira os Termos de Uso

                            • P

                              Pzig

                              ± 19 dias

                              Ótimo artigo. Demonstra com fundamento as realidades diferentes.

                              Denunciar abuso

                              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                              Qual é o problema nesse comentário?

                              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                              Confira os Termos de Uso

                              • R

                                Rodrigo Bertozzi

                                ± 19 dias

                                São realidades absolutamente distintas nos EUA e BRASIL nesta questão. Somos o povo mais miscigenado do mundo. O artigo demostra claramente esta realidade. Excelente!

                                Denunciar abuso

                                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                Qual é o problema nesse comentário?

                                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                Confira os Termos de Uso

                                • J

                                  JHGL

                                  ± 19 dias

                                  Um bom artigo. Concordo com o que vários postaram aqui. A raça é humana, quem cria as diferenças e força essas crises é a imprensa de todo mundo, principalmente a americana. Esse caso de barbarie se tornou uma bandeira política para se somar a outros, na tentativa de derrubar o Trump, nas próximas eleições. Infelizmente aqui a nossa imprensa faz o mesmo, criando um acirrado estilo de agressividade sobre o assunto. Lamentável essa atitude.

                                  Denunciar abuso

                                  A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                  Qual é o problema nesse comentário?

                                  Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                  Confira os Termos de Uso

                                  • J

                                    João

                                    ± 19 dias

                                    Se a existência de raças (ou etnias ou seja lá o que for) humanas não tivesse um mínimo de fundamento na biologia, esses testes de DNA não indicariam coisa alguma coisa e cita-los seria inútil. No resto, bom artigo.

                                    Denunciar abuso

                                    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                    Qual é o problema nesse comentário?

                                    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                    Confira os Termos de Uso

                                    1 Respostas
                                    • T

                                      Thiago

                                      ± 19 dias

                                      E indicam. Há doenças que afetam algumas raças mais do que outras (diabetes, intolerância à lactose, etc). O tabu obscurantista da tábula rasa buloqueia pesquisas sobre outras possíveis diferenças há décadas, mas humanos estão sujeitos as mesmas regras de seleção natural e variação aleatória que afetam toda vida. E ninguém seriamente duvida que há tendências de temperamento distintas entre uma "etnia" canina e outra. Nada semelhante foi provado em humanos, mas já que é proibido cogitar a possibilidade a falta de evidência diz pouco.

                                      Denunciar abuso

                                      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                      Qual é o problema nesse comentário?

                                      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                      Confira os Termos de Uso

                                  • F

                                    Fernando Cortopassi de Oliveira

                                    ± 19 dias

                                    Excelente artigo que nos conclama ao pensamento antes de, simplesmente, assumirmos uma postura de contra ou a favor de uma causa.

                                    Denunciar abuso

                                    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                    Qual é o problema nesse comentário?

                                    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                    Confira os Termos de Uso

                                    • D

                                      DENISSON HONORIO DA SILVA

                                      ± 19 dias

                                      Belo artigo. Ainda que pesem acontecimentos desagradaveis na ultima semana envolvendo racismo no país, eles são mais complexos por causa da miscigenação. Há muito de tolice de ambos os lados. Dos que fazem disso um cavalo de batalha, e aí incluso os proprios academicos da USP que resolveram desancar a nossa miscigenação, importando teorias não adaptaveis ao nosso contexto. Mas também, os estultos que abraçam teorias racistas muito comuns aqui no sul do país e onde vi in loco suas ações. É preciso que seja dito que a escravidão não comporta racismo propriamente, mas um processo economico anacronico tardiamente implantado nas ex-colonias europeias. Sobrou a desgraça da desigualdade social.

                                      Denunciar abuso

                                      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                      Qual é o problema nesse comentário?

                                      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                      Confira os Termos de Uso

                                      • M

                                        Maquiavel

                                        ± 19 dias

                                        Muito esclarecedor este artigo!

                                        Denunciar abuso

                                        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                        Qual é o problema nesse comentário?

                                        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                        Confira os Termos de Uso

                                        • J

                                          Jose Carlos Marucci

                                          ± 19 dias

                                          Interessante e esclarecedor artigo. O discernimento conduz ao progresso. Esse debate a partir de premissas frágeis parece contribuir mais para o atraso na implementação de soluções do que para tratar das questões mais substantivas.

                                          Denunciar abuso

                                          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                          Qual é o problema nesse comentário?

                                          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                          Confira os Termos de Uso

                                          • C

                                            carlos

                                            ± 19 dias

                                            Esse comentário foi removido por não estar de acordo com os Termos de Uso.

                                            Denunciar abuso

                                            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                            Qual é o problema nesse comentário?

                                            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                            Confira os Termos de Uso

                                            1 Respostas
                                            • M

                                              Maquiavel

                                              ± 19 dias

                                              false

                                              Denunciar abuso

                                              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                              Qual é o problema nesse comentário?

                                              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                              Confira os Termos de Uso

                                          • J

                                            Joxi

                                            ± 19 dias

                                            Um pouco de sensatez nesse debate. Parabéns pela reportagem.

                                            Denunciar abuso

                                            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                            Qual é o problema nesse comentário?

                                            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                            Confira os Termos de Uso

                                            Fim dos comentários.