i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Caderno de provas do ENEM 2018 | Maicon J. Gomes/Gazeta do Povo
Podcast

Ideias 79. “Para acuendar o Pajubá”: O aparelhamento ideológico do Enem

    • PorDa Redação
  • 10/11/2018 10:31

“Nhaí, amapô! Não faça a loka e pague meu acué, deixe de equê se não eu puxo teu picumã!” Entendeu as palavras dessa frase? Esta foi a pergunta feita na prova do Enem realizada no domingo passado. Provavelmente ninguém entendeu, a não ser os iniciados na língua pajubá, um dialeto secreto falado por gays, travestis e drags.

“Amapô” é mulher, “acuê” é dinheiro, “equê” é truque e “picumã” é cabelo. Deu para entender melhor?

A pergunta servia de enunciado para a seguinte questão:

Da perspectiva do usuário, o pajubá ganha status de dialeto, caracterizando-se como elemento de patrimônio linguístico, especialmente por: 

  • A: ter mais de mil palavras conhecidas. 
  • B: ter palavras diferentes de uma linguagem secreta. 
  • C: ser consolidado por objetos formais de registro. 
  • D: ser utilizado por advogados em situações formais. 
  • E: ser comum em conversas no ambiente de trabalho. 

A resposta correta é a C: “ser consolidado por objetos formais de registro”

Uma questão bastante fácil, mesmo para quem não perdeu um segundo estudando para o Enem.

Então, qual é a relevância desse enunciado em um exame nacional realizado pelo ministério da Educação? Os colunistas da Gazeta do Povo Rodrigo Constantino, Guilherme Fiuza e Gustavo Nogy, e o professor Dennys Xavier, da Universidade Federal de Uberlândia, comentam o assunto.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.