i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
opinião

Por que os cubanos precisam romper com a ditadura castrista

Tortura e repressão à liberdade de expressão continuam ocorrendo na ilha e, com a eminência do afastamento de Raúl Castro, o que a população menos precisa é um novo ditador

    • The Washington Post
    • 09/01/2018 06:35
    Raúl Castro, de 86 anos, já é presidente há uma década e deve se afastar do cargo em abril. | IVAN SEKRETAREVAFP
    Raúl Castro, de 86 anos, já é presidente há uma década e deve se afastar do cargo em abril.| Foto: IVAN SEKRETAREVAFP

    No dia 20 de dezembro, um grupo de artistas e ativistas preparavam uma performance chamada "Psychosis" em Havana. A narrativa se desenvolvia ao redor de uma pessoa que mostra sintomas de loucura, trancada em um espaço pequeno, querendo sair.  

    A peça foi inspirada pelos eventos que aconteceram em 2010 em um hospital psiquiátrico de Havana, onde 26 pacientes morreram de fome e frio. A história é também uma metáfora sobre o regime de Fidel e Raúl Castro, que governaram a ilha por quase seis décadas de intolerância e liberdade de expressão. A performance apresentava alusões a Raúl Castro e usava termos como "ditadura". 

     

    Como era previsível, autoridades apareceram e prenderam as pessoas antes da realização da performance. O diretor foi detido temporariamente, assim como o ator principal. A ativista Lia Villares também foi presa. Quando foi liberada no dia 22 de dezembro, ela disse ter deixado uma mensagem gravada nas paredes da cela: "Arte Sim, Censura Não. Eu sou livre". Ela foi multada por ter danificado as paredes. As autoridades a alertaram fortemente a não apoiar mais o Cuba Decide.

    O Cuba Decide é um movimento que defende a realização de um plebiscito, para que a população cubana decida se quer eleições livres e liberdade de discurso em Cuba. Ele é liderado por Rosa María Payá Acevedo, cujo pai, Oswaldo Payá, conduziu o Projeto Varela, que buscava os mesmos objetivos há alguns anos. Claramente, o regime Castro não gosta da ideia de deixar que os cubanos decidam algo sobre seu próprio futuro.  

    Oswaldo Payá, morto em 2012 em um acidente de carro mal explicado, fundou o Movimento Cristão de Liberação em Cuba. O coordenador atual do movimento, o médico Eduardo Cardet, foi preso em novembro de 2016 por criticar Fidel Castro alguns dias depois da morte do líder. Recentemente, o médico foi movido para uma famosa prisão da Havana e torturado.  

    Foi assim que Fidel e Raúl Castro mantiveram o poder por tantos anos: com força e punhos. Mas a era Castro está em uma encruzilhada. Raúl Castro, de 86 anos, já é presidente há uma década e deveria se afastar esse ano, no fim do seu segundo mandato. Recentemente, ele adiou sua saída de fevereiro para abril e, mesmo quando não for mais presidente, vai reter o poder atuando como secretário geral do Partido Comunista. 

    Suas reformas econômicas modestas, que permitiriam atividades limitadas fora do controle do estado, estão paralisadas, enquanto o governo lida com o colapso que sofreu em sua relação comercial de compra de petróleo da Venezuela. Esperanças de relações melhores com os EUA e de investimentos e turismo estrangeiros também diminuíram com as ações recentes do Presidente Donald Trump. Agora, Castro está olhando para Rússia em busca de petróleo e alívio. 

    O que Cuba precisa não é outro Castro ou um clone deles para prolongar as privações do socialismo e da ditadura. O que as pessoas da ilha precisam é uma chance genuína de decidir o próprio futuro, no qual possam encenar uma peça chamada "Psychosis" sem medo ou prisões.

    Tradução de Gisele Eberspächer
    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.