Imóvel alugado por estudante em Curitiba tem cozinha mobiliada | Antônio More/Gazeta do Povo
Imóvel alugado por estudante em Curitiba tem cozinha mobiliada| Foto: Antônio More/Gazeta do Povo

Nicho

Compactos mobiliados são os queridinhos dos estudantes e profissionais que estão de passagem

Os estudantes aprovados nos principais vestibulares da cidade, juntamente com os profissionais transferidos para a capital, são os principais responsáveis pelo crescimento da demanda de locação residencial neste início do ano. Na Senzala Imóveis, por exemplo, existem de dois a três interessados para cada imóvel da carteira.

Como a maior parte deles não deseja dividir a moradia, as quitinetes e apartamentos de um dormitório são os mais procurados pelos estudantes. As unidades tornam-se ainda mais atraentes se vierem acompanhadas de móveis planejados instalados, já que o jovem inquilino geralmente não tem tempo, recursos disponíveis e até mesmo interesse em mobiliar o novo lar temporário.

Foi o que aconteceu com o economista e estudante Thiago Dallaverde. Aprovado no mestrado em Desenvolvimento Econômico da Universidade Federal do Paraná (UFPR), ele sairá de Piracicaba, no interior de São Paulo, para morar em Curitiba pelos próximos dois anos, pelo menos. "Procurava um apartamento de um quarto com garagem. Dei preferência para as unidades que tinham móveis porque não teria tempo para mobiliar. Além disso, não faria sentido investir em móveis sendo que poderei mudar em um curto espaço de tempo, quando finalizar o curso", diz o estudante, que está fechando o contrato de locação de um apartamento no bairro Cristo Rei.

Augusta Coutinho Loch, gerente da Senzala Imóveis, conta que alguns poucos estudantes buscam também imóveis de dois dormitórios, para quando os pais vierem visita-los na capital ou para dividirem o apartamento com irmãos. Também nestes casos, a mobília faz a diferença no momento de fechar o negócio.

  • Reparos em pisos e instalações agilizam a locação
  • Imóveis de um a dois quartos são os que exigem mais móveis
  • Reparos em pisos e instalações agilizam a locação

Os primeiros meses do ano são a época de maior movimento no mercado de aluguel residencial, tanto em oferta quanto em demanda. Pensando nisso, os proprietários costumam investir em benfeitorias para deixar o imóvel mais interessante e compatível com as necessidades dos locatários. Nessa disputa, vale deixar a manutenção em dia e apostar na mobília para fechar o negócio.

A presença de armários planejados está entre os itens que mais agradam os futuros inquilinos, segundo os especialistas do mercado de locação. Nos apartamentos pequenos – quitinetes ou unidades com um a dois dormitórios – a oferta de móveis embutidos é praticamente obrigatória e transformou-se em item decisivo para o fechamento de negócios com jovens estudantes e executivos, por exemplo.

"Nos pequenos, sugerimos que o proprietário instale pelo menos os móveis da cozinha. Armários nos quartos e no banheiro, além do box em vidro, também tornam o imóvel mais atraente", explica Augusta Coutinho Loch, gerente da Senzala Imóveis.

Exagerar na mobília e carregar o ambiente, contudo, pode ter o efeito contrário ao esperado, já que gosto é algo muito pessoal. A orientação da diretora do Grupo Gonzaga, Elaine Gonzaga, é investir nos planejados de boa qualidade e com tonalidades e design neutros, que são fáceis de combinar com outros móveis e com a decoração que o inquilino deseje ter em casa.

Piso e acabamento

Nos imóveis maiores, de três a quatro dormitórios, a mobília não é essencial, uma vez que as famílias costumam trazer na mudança os móveis que já possuem. Neste acaso, pode ser mais interessante o investimento em piso laminado ou na revitalização dos tacos, que voltaram à moda.

Instalar acabamentos, como luminárias e espelhos de tomadas, e atualizar as instalações elétricas e hidráulicas dos espaços antigos são outras dicas que valem tanto para os imóveis grandes quanto para os compactos. "O proprietário sempre precisa se colocar no lugar do cliente. Ninguém quer alugar um imóvel para ter de arrumar ou que não seja prático no dia a dia", lembra Elaine.

Retorno

A agilidade da locação é o retorno mais percebido pelos proprietários que investem em benfeitorias. Augusta conta que, ao contrário do que ocorria no passado, o valor do aluguel dos semimobiliados é o mesmo dos imóveis vazios, sendo isso o que os torna mais atraentes para os locatários. Aluguéis maiores são mais praticados nos espaços mobiliados por completo, que custam entre 10% e 20% a mais do que aqueles que não dispõem de móveis.

"Vale muito mais ter um apartamento que alugue rápido, do que esperar seis meses para locar e ainda ter que arcar com condomínio, IPTU e outros custos dos imóveis fechados", avalia Elaine.

Garantia de imóvel alugado vale cada centavo investido

Quando começou a adquirir imóveis para locação, o empresário e investidor imobiliário Edras Pacola não havia cogitado a possibilidade de mobiliar os ambientes. Hoje, quase oito anos depois do início dos negócios imobiliários, os seis apartamentos que aluga possuem armários embutidos como uma vantagem a mais para os locadores.

"Conversei com amigos e verifiquei que outros investidores de sucesso no mercado geralmente mobiliavam os apartamentos, por isso resolvi investir. Além da mobília, instalar o piso também conta bastante", afirma Pacola.

Com exceção de um apartamento, entregue recentemente, todos os demais imóveis do investidor estão ocupados. Ele conta que as benfeitorias já fizeram diferença, inclusive, na venda de outro imóvel. Depois de ficar cerca de um ano sem receber propostas, o apartamento foi comercializado em dois meses após a instalação do piso e do mobiliário.

A maior velocidade de locação e a redução do prejuízo em manter o imóvel desocupado é o principal retorno do investimento realizado por Pacola, que gastou entre R$ 13 mil e R$ 20 mil para semimobiliar cada apartamento.

O investidor conta ainda que mobiliar, simplesmente, não basta. O segredo está em instalar móveis pensados para a unidade e que estejam de acordo com o perfil econômico do apartamento. "Os inquilinos chegam e ficam com brilho nos olhos ao verem que o imóvel está bonito. Assim, irão pensar duas vezes antes de buscar outra unidade. Nesses tempos de incerteza, tratar bem o locatário e saber que o imóvel continuará alugado gera segurança, é um rendimento com o qual dá para contar", avalia Pacola.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]