Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Piscina verde em fibra, da Linha Color, da Henrimar. Há outras seis opções de cores | Henrimar/Divulgação
Piscina verde em fibra, da Linha Color, da Henrimar. Há outras seis opções de cores| Foto: Henrimar/Divulgação

Fique atento

Alguns cuidados simples ajudam a manter sua piscina sempre pronta para o uso

- Meça primeiro o nível de alcalinidade total para então corrigir o nível de pH da água.

- Evite misturar produtos químicos. O cloro granulado, por exemplo, nunca deve ser misturado com nenhum outro produto à base de cloro.

- Aplique um produto com propriedades clarificantes todas as semanas, como manutenção, para manter a água da piscina mais cristalina.

- Preste atenção à medição do pH. Níveis maiores que 7,0 podem causar ardência nos olhos.

- Verifique a quantidade de cloro da água, principalmente se o cheiro do produto estiver forte. Isso significa que a água está com cloração insuficiente e pode causar contaminações.

- Utilize os processos de "floculação" ou "decantação" para aglomerar as partículas de sujeira, facilitando a limpeza da piscina.

- Cuidado com a presença de metais ou metais dissolvidos na água, que podem causar o aparecimento de manchas no fundo ou no revestimento da piscina.

- Mantenha a água sempre balanceada, porque isso otimiza o processo de desinfecção e protege os equipamentos da piscina contra a corrosão, aumentando sua vida útil.

Fonte: hth tratamento de água de piscinas

Produtos

Conheça a função dos principais produtos utilizados para limpeza e manutenção de piscinas:

- CLORO – Previne a turvação ou mudança da cor da água, a proliferação de bactérias, o aumento do consumo de produtos químicos e o aparecimento de odor e sabor na água.

- CORRETORES DE ALCALINIDADE E PH – A alcalinidade da água deve estar nivelada de 80 a 120 ppm. Quando está abaixo pode corroer e danificar acessórios e equipamentos da piscina, e se estiver elevado pode deixar a água turva. Já o pH mede acidez da água e deve estar entre 7 e 7,4 para assegurar a reação química do cloro que vai eliminar as bactérias.

- CLARIFICANTE E FLOCULANTE – O uso correto previne a presença de partículas de sujeira na superfície e evita água turva ou com falta de brilho, porque são soluções químicas que agem na aglomeração da sujeira, que afunda, facilitando o processo de retirada da piscina.

- CONTROLADOR DE METAIS – Inibe a ação dos metais na água, que podem alterar sua coloração e provocar manchas nos revestimentos, paredes ou fundo da piscina.

- ELIMINADOR DE OLEOSIDADE – Previne a formação de oleosidade na superfície da água e elimina a textura gordurosa, permitindo que os frequentadores utilizem bronzeadores e protetores solar.

- LIMPA BORDAS – Não interfere no tratamento diário da piscina e remove facilmente a sujeiras das bordas, sem comprometer a limpeza da água.

Fonte: hth tratamento de água de piscinas.

  • Sistema

A proximidade da estação mais quente do ano traz com ela o desejo de passar os dias ensolarados desfrutando de deliciosos banhos na piscina. Mas, antes disso, é preciso checar se está tudo em ordem não só com a limpeza, mas também com o sistema hidráulico e estrutural da piscina. Os problemas mais comuns são no motor, filtro, vazamentos, furos no vinil, manchas e reposição de revestimentos, como pastilhas e azulejos, nas piscinas de alvenaria.

Fábio Forlenza, responsável técnico de tratamento de piscinas da empresa hth, fabricante de produtos químicos para limpeza e conservação da água, explica que antes mesmo de limpar e tratar a água, é preciso verificar se o motor, bomba e sistema de filtragem estão em bom funcionamento, se há entupimento, danos na escada ou na estrutura da piscina. "Se não estiver tudo certo com esses fatores, a aplicação dos produtos para o tratamento da água não vai surtir o efeito desejado, o que pode causar doenças, principalmente de pele, como micoses, manchas, conjuntivite, otite, febre tifóide, hepatite, entre outras", adverte. Os passos seguintes à revisão e reparos envolvem cuidados frequentes, como a aplicação de produtos químicos específicos para cada finalidade.

Tratamentos

Os cuidados com a piscina são simples e podem ser feitos pelo próprio morador, mas exigem dedicação e periodicidade adequada. "Quando o cliente compra uma piscina, damos um treinamento e depois fazemos um acompanhamento. Em 60% dos casos a própria família faz a limpeza, mas também é possível contratar técnicos especializados para o serviço, que custa em torno de R$ 150 a R$ 200 por mês apenas a mão de obra, considerando uma visita semanal", diz João Carlos Vieira, gerente comercial da EOS Piscinas.

Forlenza explica o processo e ressalta que um dos fatores importantes é a alcalinidade, relacionada ao conjunto de sais que ajudam a equilibrar o pH da água, que deve ser verificada pelo menos uma vez por mês para manter o nível ideal de 80 a 120 ppm. O segundo passo é o pH, que mede a acidez da água, e deve ficar na faixa de 7 a 7,4, sendo monitorado de uma a duas vezes por semana, levando em consideração uma piscina utilizada somente nos fins de semana. Se a frequência de uso for maior, deve-se aumentar o número de medições para três vezes semanais. A seguir é feita a desinfecção com o cloro, aplicado pelo menos três vezes por semana.

Forlenza conta que existem alguns mitos relacionados à presença do cloro nas piscinas que costumam causar muitas dúvidas entre os usuários. "Quando as pessoas sentem um cheiro forte do produto costumam achar que é por excesso da substância, mas na verdade é sinal de que está faltando cloro na água. O mesmo acontece se houver vermelhidão nos olhos ou coceira, que na maioria das vezes são causadas pelo desajuste do pH e não pela presença de cloro. A substância que deixa o cabelo esverdeado não é o cloro, mas sim sulfato de cobre ou algicidas que contenham esse material", esclarece.

Os algicidas, diz Forlenza, complementam o tratamento de de­­sin­­fecção e devem ser utilizados semanalmente. O produto é responsável por prevenir o aparecimento de algas, que contaminam e deixam a água com tom verde, mesmo em piscinas cobertas e protegidas por capas. "Quando isso acontece em estruturas de fibra e vinil a recuperação pode levar até oito horas, mas agride o material e causa um desgaste ao equipamento. É preciso estar sempre atento, não só a esse tipo de coloração, mas também a outros fatores, porque nem sempre uma piscina com aspecto visual limpo quer dizer que a água esteja livre de contaminação", alerta Viei­­ra, da EOS Piscinas.

Os agentes floculante e clarificante, usados semanalmente, ajudam a acumular a sujeira que decanta no fundo da piscina e facilita a aspiração, diz Forlenza. Por fim é realizada a limpeza da borda, que melhora o aspecto visual e tem ação preventiva contra a dengue. "Nunca misture produtos diferentes no mesmo balde para realizar os tratamentos. Alguns produtos, como os da hth, podem ser aplicados juntos na água, desde que sejam alternados os pontos de aplicação. Depois de colocado o último produto, espere pelo menos uma hora para entrar na piscina", indica Fábio Forlenza.

Cuidados especiais

A manutenção nos modelos de piscina de alvenaria, vinil e fibra é basicamente o mesmo. O gerente da Piscinas Curityba Adilson Correia chama a atenção para o material de vinil e fibra que podem manchar mais facilmente do que os revestimentos de pastilhas e azulejo. Outro ponto importante é fazer a filtragem diária, com duração de pelo menos 6 horas, que pode variar conforme o fabricante. Essa ação é importante para não empedrar a areia do filtro, que pode ter sua vida útil reduzida de até dois anos para apenas três meses. "O gasto com reparos é bem maior quando não é feita a manutenção periódica. Casos esporádicos podem custar até R$ 300 apenas para corrigir um problema que poderia ser evitado com os recursos de manutenção diária e semanal", explica Correia.

O técnico Alexandre Pedro da Rocha, da Subservi, recomenda ainda que o carrinho aspirador utilizado em piscinas de vinil e fibra seja somente de cerdas e não com rodas, para não danificar a superfície. Ao limpar as bordas com esponjas do tipo de lavar louça, deve-se utilizar apenas o lado mais fino, porque o lado grosso é abrasivo e, embora remova melhor a sujeira, causa arranhões à estrutura, aumentando o risco de impregnar mais sujeira posteriormente. Já para piscinas com pastilhas e azulejos o uso é liberado. Esponjas do tipo palha de aço não devem ser utilizadas em nenhuma circunstância, porque soltam fragmentos que enferrujam dentro da piscina e provocam manchas.

Colorido especial

A alegria e exuberância das co­­res, sempre em alta no verão, podem aparecer de diversas formas também nas piscinas. Para estruturas de alvenaria, Adriana Baraldi Ahrens, proprietária da G.Baraldi, indica revestimento em pastilhas de vidro ou porcelana. "As peças podem ter um toque rústico ou acabamento mais sofisticado, com opção de vários tamanhos. A única recomendação é de, quanto mais curva a piscina, menor deve ser o tamanho da pastilha."

Quanto ao uso de cores, embora os clientes ainda prefiram os tons de azul, Adriana sugere combinações coloridas, como uma miscelânea de cores, a formação de listras uma de cada cor, ou mesmo desenhos e mosaicos, além do degradê com tonalidades do claro ao escuro.

Para estruturas em vinil, a Si­­brape oferece opções de personalização não só para o formato, mas também em cores e desenhos. Além da coleção de estampas pron­­tas, no tradicional azul, branco, marrom, verde, entre outros, o consumidor pode ter uma piscina feita por meio do sistema "Sibrape By You", o qual permite a criação de desenhos exclusivos, bem como a alteração de tons da coleção já existente. Seguindo essa linha de projetos especiais de cores e personalização nos modelos de piscina de alvenaria e vinil, a Henrimar tra­­balha desde 2009 com a Linha Color em fibra, com sete cores que podem ser aplicadas nos mais de 60 formatos que compõem a linha tradicional de produtos. Essas no­­vidades trouxeram um incremento de mais de 35% no faturamento anual da indústria.

Para quem tem uma piscina ou não quer fugir do tradicional, mas mesmo assim busca um colorido a mais para a estação do calor, a su­­gestão são as colorações temporárias para água. O AquaCouleur, pro­­duzido na França e distribuído no Brasil pela Hidroazul, traz uma variedade de seis cores, e não altera a qualidade ou transparência da água da piscina, bem como a taxa de desinfecção ou pH. Seguidas as orientações de uso, a coloração não provoca manchas, não adere às vestimentas, não causa irritação nos olhos ou na pele e nem provoca danos aos equipamentos ou componentes da piscina, como o sistema de filtragem. A cor dura aproximadamente seis horas e o processo de descoloração pode ser acelerado por meio de uma cloração de choque.

Serviço:

EOS Piscinas – Avenida Comendador Franco, 4.351 - Uberaba. Fone (41) 3039-4351 - www.eospiscinas.com.br. Piscinas Curityba – BR 116, 15.194 - Fanny. Fone (41) 3082- 3502 - www.piscinascurityba.com.br. G.Baraldi – Rua Rocha Pombo, 265 - Juvevê. Fone: (41) 3353-3789 . hth – produtos para piscina - Fone 0800 011 2200 - www.hth.com.br.Subservi – Fone (47) 9978-3954 - www.subservi.com.br. Henrimar – Fone (16) 3393-9900 - www.henrimar.com.br. Sibrape – Fone 0800 7273737 - www.sibrape.com.br. Hidroazul – Fone (32) 3429-4684 - www.hidroazul.com.br.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]