052444

Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Imóveis
  3. Seis tendências tecnológicas para a construção civil

Obras

Seis tendências tecnológicas para a construção civil

Programa Sebrae Inteligência Setorial apresenta as novas tecnologias que devem contribuir com a economia e a qualidade das construções

  • Da Redação
Impressora 3D se propõe a imprimir casas inteiras em 24 horas. | Divulgação/Contour Crafting
Impressora 3D se propõe a imprimir casas inteiras em 24 horas. Divulgação/Contour Crafting
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Acompanhando o desenvolvimento de tecnologias, o setor da construção civil está sempre em busca de novas soluções em materiais, sistemas construtivos e métodos de gestão de obras que resultem em ganho de produtividade e economia para os canteiros.

De olho neste segmento, o Programa Inteligência Setorial do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) listou, em seu Boletim de Tendência, novas tecnologias que prometem contribuir para otimizar o tempo das obras, reduzir os retrabalhos e os desperdícios de materiais e aumentar a qualidade das construções.

Imagens térmicas

A utilização da imagem infravermelha na construção civil pode contribuir, pode exemplo, para localizar os pontos por onde ocorre desperdício de energia, seja por meio de correntes de ar ou da falta de isolamento. Neste sentido, a tecnologia auxilia os projetistas e incorporadores a tornarem seus projetos mais sustentáveis.

Impressão 3D

A impressora 3D desenvolvida pela Universidade do Sul da Califórnia, nos Estados Unidos, se propõe a imprimir casas inteiras – de dois pavimentos e cerca de 80 m² – em apenas 24 horas. Conhecido como Contour Crafting, o equipamento consiste em dois trilhos de apoio nas laterais do terreno e um guindaste com dois braços que imprimem as estruturas do imóvel em camadas, obedecendo fielmente o projeto. A eliminação do desperdício de materiais e de seu transporte está entre as vantagens do equipamento.

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/04/05/Economia/Imagens/Cortadas/CC_Curve_House-kmME-ID000002-1024x341@GP-Web.jpg
Divulgação/Contour Crafting

Drone

Os drones chegaram para ficar e marcam presença, também, na construção civil. Algumas incorporadoras têm apostado na utilização da tecnologia para analisar a área do terreno e o entorno, o que auxilia na tomada de decisão pela compra do terreno, e também para definir detalhes do projeto, baseados em análises como a da incidência solar e da vista que o morador terá de cada pavimento.

As vantagens da tecnologia dizem respeito à possibilidade do acompanhamento em tempo real da obra, tanto pela empresa quanto pelos operários e clientes, e da redução dos acidentes de trabalho, uma vez que os drones podem chegar a lugares que representem riscos para os trabalhadores.

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/04/05/Economia/Imagens/Cortadas/DRONE 14JC-2138-kmME-U202154188GaD-1024x341@GP-Web.jpg
Jonathan Campos/Gazeta do Povo

Impressora de calçadas

O sistema, que imita uma impressora, consiste um uma máquina que organiza e posiciona blocos de material reciclado (do tipo paver) sobre o chão previamente preparado. O equipamento se adapta à largura necessária à pavimentação (com um limite de até seis metros) e necessita, apenas, ser alimentado com os blocos em sua parte superior para que possa pavimentar cerca de 500 metros de calçada por dia. A agilidade na execução e a redução da mão de obra estão entre as vantagens do sistema.

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/04/05/Economia/Imagens/Cortadas/tigerstone-machinaal-bestraten2-1024x768-kmME-U202154188ftG-1024x341@GP-Web.jpg
Divulgação/Tiger Stone

Concreto permeável

Produzido com grãos maiores de rocha e areia, que deixam entre 15% e 35% de espaço aberto no pavimento, o concreto permeável permite que água da chuva passe através dele, aumentando seu escoamento. Ao permitir que a água entre no solo com mais facilidade, ele auxilia na prevenção de alagamentos, por exemplo.

Tinta que absorve a energia solar

Em desenvolvimento pela Universidade de Alberta, no Canadá, a tinta é composta por micropartículas de zinco e fósforo e impressa sobre uma fita plástica, imitando os painéis solares. Quando utilizada na cobertura de telhados, por exemplo, ela poderia fornecer energia elétrica para a residência, sem a necessidade de uma fonte externa.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE